Política: polêmica envolvendo Thiago Bianchi vem à tona

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fabio Pitombeira, Fonte: Full Rock, Press-Release
Enviar correções  |  Ver Acessos

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

Thiago Bianchi, vocalista da banda Noturnall, estampou a capa da Folha de São Paulo, por ser uma das figuras presentes na manifestação que aconteceu no domingo, 16 de agosto de 2015, na região da paulista.

Bandas Iniciantes: 11 cagadas que vocês NAO podem cometerHeavy Metal: os vinte melhores álbuns da década de 80

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Thiago Bianchi: "NAO votei em Dilma, NAO sou petista, NAO votei em Aécio e NAO apóio o PSDB. Sem provas reais de irregularidades nas eleições ou corrupção ativa, não sou a favor de golpe, impeachment ou militares no poder. Fui à manifestação, pois sou APENAS MAIS UM DOS MILHÕES de brasileiros indignados com o nível NOJENTO de corrupção na política de nosso país. Não podemos ficar nem um minuto a mais, indiferentes à nossa gente que passa fome, não têm escolas, morrem em corredores de hospitais sem médicos, sem higiêne, sofrem com os valores absurdos da gasolina, da conta de luz, da inflação, enquanto alguns poucos safados, vagabundos, enchem suas contas na suíça. Fui às ruas por um simples, chega!"

Você já é considerado umas das grandes referências da voz do Metal brasileiro para o mundo. Faz parte dos seus planos também ser uma referência dentre o mundo dos músicos militantes na política?

Thiago Bianchi - Primeiramente, obrigado pelas palavras! Quanto a sua pergunta, você pode ter certeza que a resposta é um "sonoro" NAO! Em absoluto!!! Nunca tive intenção nenhuma de atuar em âmbito político! Longe disso! Meu compromisso é com a música, com o Heavy Metal, com quem aprecia meus trabalhos, com meus irmãos de banda e com o público. Sou músico, não por opção, mas sim por obrigação! Meu coração me colocou nessa vida e é nela que sempre estarei.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas você hoje, no dia 16 de Agosto de 2015, estampou a capa de um dos maiores jornais da América Latina, como referência a um dos militantes que figuraram na manifestação da Paulista que ocorreu neste mês de agosto e que votaram em Aécio Neves, do partido PSDB. Por quê você estava lá?

Thiago Bianchi - Sim, fiquei muito orgulhoso disso inclusive. Bom, muito obrigado por me fazer essa pergunta, pois aparentemente você foi o único a fazê-lo antes de colocar palavras em minha boca ou atitudes em meu nome. Afinal, claro que é uma grande coisa, mas a chamada da matéria em si, não tem nada de conectividade com meu caso, pelo menos o meu. NAO votei em Dilma, NAO sou petista e principalmente, NAO votei em Aécio e NAO apoio o PSDB! Fui para a manifestação porque sou BRASILEIRO. Fui às ruas, pois igual a qualquer cidadão de uma democracia, tenho direito de defender o que acredito e me manifestar pacificamente. Fui às ruas, pois não vou ficar indiferente ao que está acontecendo em nosso país, onde bilhões são roubados ano após ano por políticos corruptos que impedem o avanço de meu país. Fui às ruas, pois o dinheiro meu, seu e de todos os contribuintes brasileiros, não chega onde deveria: nas escolas, nos hospitais, na infra-estrutura, no apoio ao esporte, a arte... Existe um rombo, um desvio, um vazamento, onde poucos são beneficiados com suas escusas manobras de poder, enchendo seus bolsos e os bolsos de seus comparsas, causando um dano terrível para milhões e milhões de brasileiros. Não posso ficar inerte a situação do meu país, quando ainda em 2015, existem milhares de crianças nas ruas passando fome, na mais pura miséria, enquanto meia dúzia lambe os beiços com os bilhões e mais bilhões de reais, abastecendo suas contas na Suíça. Podem me chamar do que quiser! Podem me acusar de ser da direita, de coxinha, do que for, mas a verdade vai ser sempre a mesma: fui às ruas porque estou FARTO do jeito que a política anda nesse país. Estou FARTO de ver o nível da sujeira cada vez que uma CPI é instalada, dos números, das atitudes desses políticos vagabundos, safados. Fui às ruas pois quero fazer coro às vozes que clamam por mudanças imediatas. Quero que esses corruptos saibam, que a hora deles está chegando, que o povo não vai ser conivente às suas atitudes. Quero que sintam a pressão de saber que sabemos o que eles estão fazendo e que não vão ficar impunes. Quero que eles saibam que o povo não vai deixar por menos, que vamos nos manifestar até que TODOS sejam julgados por suas atitudes nefastas e egoístas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Thiago Bianchi - Claro que defendo a democracia, não quero "Impeachment" de ninguém, nem intervenção militar ou algo do tipo, mas quero que existam sim, mais investigações nas eleições, mais transparência onde está sendo gasto o dinheiro público, mas dentre muitas outras coisas, principalmente, uma profunda mudança nas penalidades referentes a desvio de verba pública. Isso principalmente, tem que mudar. Algo tem que ser feito a ponto de fazer de quem está lá em cima, pensar duas vezes antes de mexer no que é do povo. Vivemos numa época de informação, de interação, de conectividade. É muito fácil ser transparente nos dias de hoje, mas temos que estar atentos, as coisas estão do jeito que estão porque aparentemente poucos se importavam e agora isso mudou. Estou muito mais orgulho de ser brasileiro hoje, pois finamente o povo brasileiro está consciente que precisamos mudar.

Inclusive, aparentemente, você discursou em cima de um dos principais caminhões da manifestação e até tocaram um trecho de uma música da NOTURNALL. O que você falou e por que tocar uma música de sua banda em uma manifestação política?

Thiago Bianchi - Ótima pergunta, obrigado! Sim, fui reconhecido por um dos organizadores e convidado a subir e dizer algumas palavras. Ele me perguntou se poderia me anunciar músico da NOTURNALL e eu respondi que não, para que as coisas ficassem mais as claras possível, afinal minha motivação ali não tinha nada a ver com divulgação de meu trabalho, mas sim expressar minha alegria de fazer história junto ao meu povo. Vale lembrar que é óbvio que cada um estava ali por um motivo em particular, e muitas palavras de ordem eram entoadas, então com certeza seria um momento de ter muita cautela com o que dizer... Bom, uma vez dito isso, claro que prontamente aceitei, com muita honra, inclusive, e até vale mandar um grande abraço ao pessoal da organização, foram muito atenciosos e mostram serem um exemplo de democracia! Quanto ao discurso, fui muito breve, falei de minha condição de músico no Brasil, de quanto é difícil nossa luta diária neste ofício e também expressei meus sentimentos a todos os presentes sobre estarmos juntos contra a corrupção e a nossa exigência de mudança imediata no sistema punitivo judicial do país. O lance da música foi o seguinte... Um dos organizadores pegou o microfone e anunciou que justamente afim de frisar a profundidade democrática da manifestação, que gostaria de tocar um trecho de uma música nossa e que tinha muito a ver com a atual situação do país, e eis que do nada entra , "Fight the System" (Nota do Redator: música que integra o novo álbum da banda, "Back to F*** You Up!"), em alto e bom som pras mais de 300 mil pessoas que ali estavam! Foi muuuuuito do caralho!!!! Um dos momentos de mais orgulho de minha vida. Até porque, a música tem uma parte em homenagem ao Racionais MC's, e de fato a música tinha tudo a ver com o momento. Mas o mais engraçado foi ver aquela multidão de famílias, senhorinhas e até crianças, com o cabelo voando ao som do bom e velho Heavy Metal. Foi de fato um momento único!

Você não tem receio que possam pensar que estão "pegando uma carona" para promover seu trabalho?

Thiago Bianchi - Com certeza imagino que para quem queira simplesmente falar mal, por falar mal, sim, você até poderia dizer isso. Mas se realmente fosse o caso, teria falado o nome da banda, feito propaganda de nosso disco ou algo assim. E nada disso aconteceu, pois eu disse a todos que cantamos em inglês pra contar ao mundo sobre nossa gente, sobre nossas visões. Queria dividir com as pessoas que ali estavam, que existem músicos preocupados com a situação do país e que estão engajadas em delatar ao mundo sobre a corrupção que está infestando nossa política.

Thiago Bianchi - E te digo, a mensagem foi entendida e muito bem recebida pelas mais de 300 mil pessoas presentes.

Falando ainda de política, a capa do recém lançado trabalho de estúdio da NOTURNALL, trás em sua capa a mascote Jurará (Nota do Redator: nome da zumbi presente em grande parte das capas da banda), aparentemente pondo fogo em Brasília com o que parece ser gasolina da Petrobrás. É isso mesmo? Qual a motivação da banda pra essa imagem?

Thiago Bianchi - Exatamente a mesma que nos levou às ruas neste mês de agosto: indignação. O fogo é a forma mais clara de purificação, recomeço. É exatamente o que o Brasil está precisando. Obviamente, que é uma imagem totalmente ilustrativa, em momento algum estamos falando de vandalismo ou de chegar as vias de fato, de tal ato. O que deve ser entendido dessa arte, inclusive brilhantemente executada por Carlos Fides, com co-produção de Pedro Campos, é a necessidade de uma séria mudança no congresso! Da urgência de uma limpa nessa corja que usa de nossos recursos para fins próprios. A mensagem é bem clara: CHEGA! É HORA DE "RESTARTAR" A POLÍTICA DO BRASIL. E vamos usar de suas próprias máquinas pra fazer isso. Vamos virar o jogo contra eles com sua própria maquina. Tenho muito orgulho dessa capa.

Vocês se apresentarão no Rock In Rio no dia 19 de Setembro. Podemos esperar algum apelo político no show da banda?

Thiago Bianchi - O conteúdo lírico do disco, em sua grande maioria, é de renovação, de reavaliação de conceitos. Não só na política, mas em nossa condição humana. Desde a fundação dessa sociedade injusta, mas também da falta empatia que a humanidade desenvolve cada vez mais. Dessa incrível abstinência de respeito e carinho ao próximo, que esse sistema monetário causou em nossa raça. É um disco que toca em questões que vão muito além de política, mas sim de uma profunda reavaliação da condição humana atual. Quanto a sua pergunta, show não é lugar para apelos politizados, ainda mais por se tratar do maior evento musical do mundo! Temos que ser respeitosos com o público, que está lá para se divertir, justamente para esquecer um pouco das mazelas da vida. O que todos podem esperar é muito Heavy Metal e muito empenho em fazer o melhor show de nossas carreiras! Pretendemos entregar um show que faça com que as pessoas tenham o dia mais divertido de suas vidas!

Dando uma olhada no Facebook da banda, notamos em uma das postagens, algumas pessoas reclamando de terem seus "comentários" apagados, justamente em uma das "postagens" sobre a democracia. O que aconteceu ali?

Thiago Bianchi - Infelizmente ou felizmente, a NOTURNALL cresceu a um nível de que realmente fica impossível para seus músicos tomarem conta do dia a dia de sua página no Facebook. Tivemos um problema tem um tempo atrás, até exatamente sobre isso, mas acabamos descobrindo que essa pessoa era mal intencionada. Atualmente o pessoal do nosso fã clube faz esse trabalho, e eles são ótimos! Mas infelizmente, às vezes no calor do momento, visando o melhor para banda, algumas atitudes impensadas podem acontecer. Mas entramos em contato com eles rapidamente e já está tudo resolvido. Todos os comentários foram recolocados no ar. Mas sempre mantendo o nível. "Haters" e "Bullies" sempre banidos.

Dentre tantos pontos positivos na breve história da banda, recentemente vocês foram destaque nas duas maiores revistas da atualidade do Metal: Roadie Crew e Comando Rock. O que geralmente acontece apenas com bandas de mais anos de "estrada" do que vocês. A que se deve todo esse sucesso?

Thiago Bianchi - Porra cara, valeu por suas palavras! Sim, uma grande honra!!! Somos leitores assíduos de ambas as revistas desde o começo de nossas carreiras. Lembro de ter imaginado tantas vezes um dia estar na capa de ambas, mas no fundo sempre achei meio ilusão de adolescente, manja (risos)? Pra ser sincero, dentro desses dois anos de NOTURNALL, devo admitir que alguns sonhos têm se tornado realidade, com certeza esse é um deles. Quanto a sua pergunta, a NOTURNALL desde o seu começo, teve um pensamento extremamente profissional. Temos um grande aliado que é nosso produtor executivo, Franz Bedacht, que sabe tudo sobre reestruturação empresarial. Ainda temos o grande Aquiles Priester, sempre "esperto" com tudo que acontece ao nosso redor, um verdadeiro empreendedor. Nos sentimos igual a "muleques" montando sua primeira banda, mas com a sabedoria de "macacos veios" (risos)!

Pra finalizar, por favor fale um pouco dos próximos planos da NOTURNALL.

Thiago Bianchi - Cara, pra ser sincero, temos duas grandes BOMBAS! Mas realmente não posso falar nenhuma das duas agora... Em algum dia todos saberão (risos). Muito obrigado pelo espaço e um grande abraço a todos.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Entrevistas

Bandas Iniciantes: 11 cagadas que vocês NAO podem cometerBandas Iniciantes
11 cagadas que vocês NAO podem cometer

Heavy Metal: os vinte melhores álbuns da década de 80Heavy Metal
Os vinte melhores álbuns da década de 80


Sobre Fabio Pitombeira

Trabalha desde 2002 com produção de shows em Teresina. Teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes do Heavy Metal e Rock and Roll como Paul Di Anno, Ira!, Hangar, Angra, Shaman, Andralls, Drowned, Clamus, Dark Season, Megahertz, Anno Zero Empty Grace, Mordydia, Káfila, entre outros.

Mais matérias de Fabio Pitombeira no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280