Coldness: Quem é fã quer ter material em mãos, folhear o encarte

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Enviar correções  |  Ver Acessos

A COLDNESS é uma banda cearense que vem agregando um grande número de fãs a cada ano que passa. No segundo full-length, com nova formação, a banda mostra uma notável evolução, sem deixar de lado os arranjos intricados que se tornaram a principal característica de seu "heavy metal de luxo". Conversamos com Lenine Matos, vocalista da banda desde meados de 2013 sobre o novo disco, sobre planos para o futuro, shows, entre vários outros assuntos.

Dream Theater: o suposto plágio de música de Leandro & Leonardo?Sexo e Satã: as mensagens subliminares em capas de Rock / Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Foto: Gandhi Guimarães
Foto: Gandhi Guimarães

O que podemos esperar da COLDNESS com o novo disco? Quando e como ele será distribuído?

Lenine Matos: Bom, como qualquer coisa na vida em que você vai ganhando experiência, uma evolução, tanto instrumental quando se fala em execução, quanto de composições mais elaboradas com uma maior produção, tudo com um objetivo de fazer o melhor possível para entregar aos fãs um trabalho profissional, dentro de nossa realidade. O CD inicialmente será distribuído pela Gallery Productions para todo Brasil.Você pode adquirir nosso material através do nosso site e teremos nosso "merchan" em todos os shows que faremos e eventos de Metal em geral.

Embora seja dona de composições inspiradíssimas e de um instrumental riquíssimo, a COLDNESS recebeu algumas críticas à época da divulgação do primeiro disco com relação aos vocais. Agora você ocupa esse posto, tem recebido muitos elogios e "Intervention" é o primeiro registro com a sua voz. Você acha que vai conseguir colocar uma pedra sobre as críticas que a banda recebia?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lenine Matos: Eu estou em um bom momento. Acredito que deve se buscar lapidar o seu dom e nunca descansar, porque os grandes vocalistas seguiram esse mesmo caminho e não há atalhos. E em relação a esse assunto já virou passado...

Quais os próximos planos da COLDNESS? Alguma das faixas de "Intervention" vai ganhar um video clipe?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lenine Matos: Vamos continuar trabalhando, fazer shows no interior do Ceará como fizemos com o primeiro álbum "Existence" e em outros estados, tocar em nossa terra natal divulgar nosso novo álbum que fizemos com tanta paixão. Queremos fazer um clipe vamos trabalhar para que isso ocorra.

Há alguns anos, a COLDNESS participou junto com outras bandas da empreitada RockTour CE, com várias bandas fazendo turnê juntas, dividindo contratos, despesas e cachês. Essa iniciativa deve continuar?

Lenine Matos: Sim, agora que lançamos nosso segundo álbum muitas cidades estão ávidas para ter o novo material. Então, o projeto deverá continuar esse ano.

A COLDNESS passou por mudanças de formação recentemente. Saíram o guitarrista Wilton e o baterista Pedro. E recentemente, mais uma baixa. Por que aconteceram estas mudanças? Quem assumirá o posto de guitarrista nos próximos shows?

Lenine Matos: É um assunto delicado... Cada caso tem um porque diferente, mas o que acaba sendo uma constante é as divergências em relação de como devemos encarar uma banda que quer ser profissional. O que você quer com a banda?

Quem assumirá o posto provisoriamente de guitarrista será o Yago Sampaio (INTRUSOR) que encarou perfeitamente as músicas e tem um grande potencial. Torço para que ele fique, pois é um exímio guitarrista, entende muito o que faz, seja timbres, execução e ele trouxe o humor interiorano para banda... Risos

A COLDNESS é uma banda que, apesar de ainda não ter a projeção merecida, já tem até fã-clube. O que você acha disso?

Lenine Matos: Eu acho legal acontecer esse tipo de coisa, mostra que estamos no caminho certo, pois o que estamos propondo é mostrar nosso som e tocar por ai mundo a fora. E para isso, temos que ter pessoas que apoiem nosso trabalho e um Fã-Clube já é uma ótima iniciativa. O fã-clube "Coldness Mania" é uma iniciativa do Helmano Galvão, que acabou por tornar-se amigo da banda, vai aos ensaios, grava, tira fotos... Muitas filmagens que você vê no nosso "Making of" foi ele quem fez.

Além dos making ofs, artwork e track list, vocês ainda não divulgaram nenhuma faixa de "Intervention". Você me disse que são meio "oitentistas", preferem ter algo físico para mostrar. Como você avalia esta estratégia de vocês?

Lenine Matos: É uma questão de organização pessoal da banda. Vamos lançar o CD físico em seguida partiremos para sites de venda de música. Lançar um disco somente virtual não é muito interessante. Quem é fã quer ter o material em mãos, folhear o encarte, acompanhar as letras não é verdade? E quando tocamos ao vivo, seja onde for, vendemos bastante CD's.

Hoje (N.R. quando a entrevista foi feita) tivemos a confirmação do show da banda alemã de Power Metal BLIND GUARDIAN em Fortaleza. A COLDNESS já abriu para alguns ícones deste estilo, como ANGRA, VIPER e ANDRE MATOS. A quantidade de shows internacionais em Fortaleza cresceu bastante nos últimos anos. Como vocês vêem este cenário e continuaram se inserindo nele?

Lenine Matos: Tudo depende do convite da produção, acredito que a Coldness que está lançando o segundo disco e estamos trabalhando e atuantes na cena têm uma representatividade importante frente as bandas de fora.

Já conversamos sobre isto, mas, você pode falar também porque fizeram questão de registrar o making of do álbum?

Lenine Matos: Nós queríamos mostrar um pouco a quem acompanha a banda como foi o processo, desde a concepção do disco até a gravação. É bem interessante ver os bastidores, como a banda trabalha, a evolução da música e etc. Vale a pena conferir é um presente para quem gosta da banda e um convite para quem ainda não conhece.

E sobre a ideia de inserir um coral em uma das faixas. Conte quem teve a ideia e como vocês acabaram implementando.

Lenine Matos: É a faixa título do álbum "Intervention", que foi composta pelo Gabriel Andrade e o George Rolim, então desde o começo quando eles idealizaram a música na cabeça já havia essa proposta. Foi difícil por em prática, mas o resultado ficou excelente. Quero aproveitar e agradecer ao "Chorus Intervention": Manu Volkova(Intrusor), Amanda Lima e principalmente ao Chico Saga(Kamerider) por ter arranjado o coral e nos ajudado mais uma vez, vide o primeiro disco ele trabalhou nos backing Vocals. Você pode acompanhar um pouco das gravações do coral e tudo em geral no Making of.

O espaço agora é seu. Deixe sua mensagem para os leitores do Whiplash.net

Lenine Matos: Primeiramente quero agradecer a você Daniel e ao Whiplash.net pelo espaço! Aos nossos apoiadores Paulo Henrique e Cesar Monique (PH Music Store), Marcelo Martins Luthieria, Cícero Magalhães (Açaí do Cícero) e Laércio Matos (Catching Up) e André Vidal e Daniel de Araújo (AVDA Produções). Obrigado aos fãs que vem acompanhando a banda, sabem do nosso trabalho sério que desenvolvemos e apoiam a gente, curtem nosso material. Vocês são responsáveis pela coisa toda funcionar. Quero convidar a quem não conhece a banda para ver nosso trabalho, acessando nosso site, fanpage, canal no youtube e que venham aos nossos shows, conversem com a gente. Estamos de braços abertos para o público em geral.
Um abraço a todos e a gente se vê nos shows!!!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Coldness"


Dream Theater: o suposto plágio de música de Leandro & Leonardo?Dream Theater
O suposto plágio de música de Leandro & Leonardo?

Sexo e Satã: as mensagens subliminares em capas de Rock / MetalSexo e Satã
As mensagens subliminares em capas de Rock / Metal


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280