Hatefulmurder: entrevista antes do show com Exodus no RJ

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Andre Smirnoff, Fonte: X-PressON!
Enviar correções  |  Ver Acessos

Enquanto o Exodus se prepara para tour de seu novo álbum "Blood In Blood Out" pelo Brasil ao lado de Steve "Zetro" Souza, a banda Hatefulmurder, que ficará encarregada de abrir o show do Rio de Janeiro, concede entrevista onde fala sobre diversos tópicos, confira.

Dimebag Darrell: guitarra de Van Halen num caixão do KissÓdio musical: os artistas mais detestados em lista da Spinner

Muitos conhecem o grande trabalho da banda e gostaria que você apresentasse a formação da banda e falasse um pouco dela.

Renan Campos: Obrigado amigo. Posso falar que o Hatefulmurder hoje é: Felipe Lameira(vocais), Renan Campos(guitarra), Felipe Modesto(baixo) e Thomás Martin (bateria). Começamos em 2008, de lá para cá, muita coisa rolou. Tivemos algumas mudanças de formação. Na bateria foram no total 3 até que no inicio de 2011, pouco antes de participarmos do Wacken Metal Battle, Thomás entrou e assumiu as baquetas. A troca de baixista já rolou de forma totalmente indesejada. Nosso amigo e co-fundador da banda, Ernani Henrique, infelizmente faleceu vítima de câncer no final de 2012. Foi uma tragédia para nós, nos deixou muitíssimo abalados. De qualquer maneira, nós sabíamos que iríamos seguir em frente e que ele gostaria que fizéssemos isso. Algum tempo depois, após uma serie de testes, achamos o Modesto. Rapidamente nos entrosamos e agora somos um time bem fechado e afiadíssimo.

Percebo que o Death Metal está mais forte em vocês, e desejaria saber quais bandas mais influenciaram vocês?

Renan Campos: Todos nós ouvimos muitos estilos diferentes. Cada um aqui ouve coisas um tanto quanto distintas. Eu particularmente gosto de ouvir de tudo que me agrade, desde Rockabilly até Brutal Death Metal. Mas para o Hatefulmurder, acho que bebemos muito de Death Metal e Thrash Metal em geral. Tem um pouco de tudo, gostamos de adicionar elementos mais climáticos, velocidade, brutalidade, groove, mais old e mais moderno e por aí vai. Procuramos fazer algo diferente unindo esses elementos dos dois estilos, acreditamos que essa junção é o ideal para a nossa proposta. Seria difícil citar algum nome, nas viagens costumamos ouvir de tudo, de Rush até Cannibal Corpse por exemplo.

O novo álbum sairá por qual gravadora?

Modesto: "No Peace" foi lançado pela Cogumelo Records aqui no Brasil em Agosto e será lançado também nos EUA através da Greyhaze Records em Outubro.

Conte-nos como foi o processo de gravação do seu álbum, o "No Peace" qual era ideia inicial? Quem fez a capa e quem produziu?

Renan Campos: A ideia sempre foi gravar um disco completo, temático e bem variado dentro da nossa proposta sonora. Aprendemos muito quando gravamos. O processo de gravação rolou de uma forma meio conturbada, principalmente por ter sido no mesmo período da piora e falecimento do nosso baixista. Isso tudo nos deixou muito tristes naquela época. Ele já havia antes mesmo se afastado dos shows para cuidar da saúde, e por isso contávamos com um músico amigo nosso. Mas mantínhamos uma certa esperança dele melhorar e voltar aos palcos e participar da gravação do álbum. Mas infelizmente isso não rolou. Então entramos em estúdio com aquela sensação de honrar nosso amigo. Fizemos as gravações de maneira separada, digo, uma coisa em cada estúdio, as guitarras, violões, baixos e vocais, nós gravamos no Pyro-Z Studio no Rio de Janeiro e a bateria fizemos no AM estúdio também em terras cariocas. Foi gravado um piano para a faixa instrumental "Ways of the lust" no sul do país. A produção final e mixagem ficaram por conta do Fabiano Penna em São Paulo, que já trabalhou com diversas bandas como: Andralls, Distraught e Unearthly. A masterização ficou a cargo do Neto Grous da Absolute Master, também em São Paulo. Acredito tudo isso foi até bem demorado devido não só ao momento em que estávamos, mas também a distância na hora de mixar e fechar a produção geral. Aprendemos muito com tudo que aconteceu e estamos realmente felizes com o resultado.

Modesto: O conceito da arte foi pensada em conjunto e baseada na temática do disco, que aborda os muitos aspectos da alienação religiosa e todas as suas mazelas. Mas o trabalho de criação da capa e as artes e foram feitas pelo nosso artista e frontman, Felipe Lameira. Foi fruto de um trabalho mutuo dele com a banda como um todo. Foram feitas 3 artes até chegar ao resultado final que vemos hoje, que nos agrada muito.

Com o lançamento de "No Peace" existem perspectivas de lançamento digital ou no exterior?

Modesto: O lançamento pela Cogumelo Records, em parceria com a distribuidora Voice Music levou o nosso álbum para lojas em todos os cantos do Brasil. Além disso, você pode comprar também pelo site oficial da gravadora, na maior tranquilidade que eles entregam na sua casa. "No Peace" também já está disponível para assinantes de diversas plataformas digitais online como Rdio, Deezer, AmazonMP3 e Spotify. Também estará disponível em breve para compra através da loja virtual do iTunes. No exterior o mesmo será lançado fisicamente pela Greyhaze Records nos EUA em Outubro deste ano. Ainda não há previsão para lançamento do mesmo na Europa e outros continentes.

Dentro deste lançamento de vocês, vocês pretendem fazer algum vídeo? Qual é a ideia central dele?

Modesto: Está online um Lyric Video de uma das músicas do disco, "Gates of Despair"em nosso canal oficial do Youtube. Em breve vamos lançar mais coisas, fica a surpresa pra galera conferir...

Como é pra vocês a cena local? Quais são as maiores dificuldades que vocês tem aqui no Brasil?

Modesto: A cena local do RJ vem crescendo e temos uma boa seleção de bandas que estão fazendo um trabalho sério, com competência, que nos dá muito prazer em dividir os palcos. Aqui também passamos a receber muito mais show internacionais, o que ajuda a movimentar a cena e animar os headbangers. O público varia bastante de região para região.

Renan Campos: Acho que o nível de comprometimento e profissionalismo das bandas evoluiu muito. As dificuldades são as mesmas, temos uma banda de Metal Extremo em um país onde não há um incentivo grande para esse tipo de cadeia cultural. Nossa música não circula em grandes mídias e não faz parte dos planos de grandes produtores. Fazemos as coisas porque acreditamos na nossa arte e temos o apoio do nosso público. Já passamos por diversas situações devido a falta de profissionalismo, assim como já trabalhamos com pessoas realmente sérias. Rola de tudo, de tudo mesmo, acredite. rsrs

Conte-nos sobre o show mais importante que vocês fizeram, e qual foi o público de qual cidade que vocês tiveram a melhor receptividade?

Modesto: Tivemos vários shows marcantes, fica difícil listar todos, porém neste ano de 2014, os que nos renderam mais frutos foram os shows com o Kataklysm em Maio no RJ e com o Voivod em BH logo em seguida. A melhor receptividade foi, sem dúvida, com o Killswitch Engage no Chile. Os chilenos são realmente animais e tem muito respeito pelas bandas do Brasil. Lá fomos recebidos de braços abertos e tratados não como uma mera banda de abertura, mas como uma atração de verdade dentro de um grande show.

Vocês acabaram de tocar no Chile, como foi a apresentação? Vocês tem mais algum show internacional agendado?

Modesto: Os shows foram incríveis. Como falei antes, o público correspondeu muito bem e a tour foi um grande sucesso. Registramos tudo e vamos soltar aos poucos esse material para o público na nossa página oficial do facebook. Já Temos planos de realizar mais uma turnê internacional em 2015.

E quais são as expectativas da banda ao abrir o show da banda Exodus?

Modesto: É uma honra ter sido convidado para tocar juntamente com o Exodus, que também é uma grande influência para todos nós. Com certeza será mais um grande e memorável show para nós e para o público carioca.

Renan Campos: Faremos o nosso melhor. É certo que o Exodus pegará um público mais do que aquecido! Aguardem!

Vale a pena lembrar que a apresentação do Hatefulmurder ao lado do Exodus acontece no dia 5 de Outubro no Circo Voador e que os ingressos do 3º lote estão a venda por R$ 110,00 (meia entrada promo), e por R$ 220,00 (inteira).

Os fãs que ainda não compraram seus ingressos pode se dirigir aos postos de vendas ou comprar através da venda online no link:
http://www.ingresso.com/rio-de-janeiro/home/escolha/show/29679847/exodus

Próximas divulgações da X-PressON!:
- Exodus - Rio de Janeiro ( Circo Voador - 05 de Outubro)
- Classical Queen - Curitiba (21 de Novembro)
- Dynazty - Brazilian Tour (27-30 de Novembro)
- Within Temptation - Brazilian Tour (28-30 de Novembro)
- Extreme Metal Fest - São Paulo (Audio SP - 7 de Dezembro)

Fonte: X-PressON! - Assessoria de Imprensa




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Hatefulmurder"


Thrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionávelThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável


Dimebag Darrell: guitarra de Van Halen num caixão do KissDimebag Darrell
Guitarra de Van Halen num caixão do Kiss

Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerÓdio musical
Os artistas mais detestados em lista da Spinner


Sobre Andre Smirnoff

Fotógrafo oficial e CEO Marketing da Rock Brigade e X-Press ON! - Agência de Notícias e Assessoria de Imprensa.

Mais matérias de Andre Smirnoff no Whiplash.Net.

adGooILQ