Eluveitie: confira entrevista com Anna Murphy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Adriano Ribeiro, Fonte: Amps and Green Screens, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O site "Amps and Green Screens" conduziu uma entrevista por e-mail com Anna Murphy, que toca hurdy gurdy (viola de roda) e flauta no ELUVEITIE, além de cantar em algumas músicas:

Amps: O som que vocês fazem é muito original. E com oito membros na banda, diga-me, como funciona a divisão no processo de composição? Todo mundo vem para o ensaio com demos, ou todos se reunem para trabalhar nas músicas?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Anna Murphy: Não, não. Chrigel (Glanzmann, vocal principal, mandola (bandolin), flautas, gaita, violão acústico e bodhrán) e Ivo (Henzi, guitarras) são os principais compositores e quase tudo vem com eles. Eu palpito aqui e ali em algumas músicas e especialmente em melodias vocais. E basicamente é isso. Evidentemente os músicos talvez façam ajustes em suas partes, uma vez estando com elas, especialmente Merlin, que altera um monte de batidas para ajusta-las ao seu estilo pessoal.

Amps: Há um contraste tão grande entre o aspecto melódico folk de "The Call of the Mountains" e a pura brutalidade de uma canção como "Sucellos" e, ainda assim, tudo se encaixa. Como vocês encontram essee quilíbrio sem que haja uma inclinação excessiva em uma determinada direção?

Anna Murphy: Eu não faço ideia, mas acontece! É isso que torna o Eluveitie único, eu diria. Sempre foi muito importante para nós manter esses dois elementos de metal e do folk completamente equilibrados. Um ainda funcionaria sem o outro. E claro, nosso produtor Tommy Vetterli fez um ótimo trabalho durante a mixagem também.

Amps: Como é um show do ELUVEITIE, para aqueles que ainda não foram? O que deve esperar de uma primeira vez?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anna Murphy: Pessoas alucinadas, canções folclóricas e metal alto. Alguém que nos assiste pela primeira vez deverá, definitivamente, trazer um protetor de ouvidos e, talvez, não ficar muito próximo ao palco porque haverá circle pits e paredes da morte e, às vezes, até mesmo algumas quebra de narizes. ;-)

Há definitivamente um monte de coisas acontecendo, especialmente porque há muitas pessoas no palco. Eu acho que eu teria um tempo difícil, me decidindo no que prestar a atenção, se eu viesse assistir a um dos nossos shows.

Amps: Quanto tempo vocês levaram escrevendo o material de "Origins"? E com tantos elementos diferentes, como é a gravação?

Anna: O processo de composição foi de cerca de um ano, eu diria. Algumas músicas já estavam prontas muito antes de irmos ao estúdio, mas nós nunca as tocamos ao vivo. Então, novamente, cerca de metade do álbum foi escrita durante o período de estúdio, que é bastante incomum para bandas de metal. A gravação foi divertida, mas também estressante. Como você pode imaginar, tivemos tão pouco tempo para aprender um monte de material. Mas no final sempre parece funcionar bem e levar a um resultado satisfatório.

Amps: Você tem uma ou mais músicas favoritas do "Origins"?

Anna: Eu tenho! "The Nameless".

Amps: O que você ouve enquanto está em seu carro dirigindo por aí ou apenas longe da banda?

Anna: Todos os tipos de coisas, sou muito eclética nos dias de hoje! No momento, meus favoritos são: MANES, ARCHIVE, SALTILLO... e ontem eu e meus amigos estávamos ouvindo hits do thrash dos anos 90 ;-)

Amps: Quais são os seus lugares favoritos para jogar? (locais, cidades, países)

Anna Murphy: Japão e EUA. Eu gosto de tocar em todos os lugares mas, esses dois, são definitivamente os melhores, não importa qual cidade ou local.

Amps: Quanto tempo você acha que durará a turnê de apoio ao álbum?

Anna Murphy: Eu diria que cerca de um ano. Ou talvez mais. Não faço idéia, contanto que seja longa!

Amps: Quais são os seus interesses não-musicais?


Anna Murphy: Leitura, quadrinhos, pintura, natação, caminhadas...

Amps: Qual foram suas melhores lembranças durante esses oito anos tocando com a banda?

Anna: Eu aprendi muitas coisas ao longo dos anos, especialmente musicalmente. Eu tenho progredido imensamente como músico e não por fazer todas as coisas chatas como tocar escalas e merdas, mas na verdade tenho me divertido muito fazendo isso, o que é um grande privilégio.

E também todos os lugares que eu visito enquanto estou em turnê, é um luxo ser capaz de conhecer o mundo por causa do trabalho.

Amps: O que você gostaria de dizer a todos os fãs ELUVEITIE ao redor do globo?

Anna: Vocês são os melhores! Vocês são a razão pela qual podemos fazer o que amamos e sempre seremos gratos a vocês! Brinde!

Amps: mais uma vez, eu não posso te agradecer por dedicar algum tempo da sua agenda para falar com um fã, em primeiro lugar, e com um entrevistador em segundo. Tenha um dia maravilhoso, e estou ansioso pelo meu primeiro show do Eluveitie aqui em Dallas, Texas, em 27 de setembro!!!!

Anna: Obrigado :-)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Eluveitie"


Rock e Metal: 7 bandas/artistas que você pronuncia o nome erradoRock e Metal
7 bandas/artistas que você pronuncia o nome errado


Cachorros: As raças que melhor combinam com cada gêneroCachorros
As raças que melhor combinam com cada gênero

Kiss x Secos & Molhados: o fim da polêmicaKiss x Secos & Molhados
O fim da polêmica


Sobre Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro é fã xiita do Iron Maiden, daqueles que não perdoa até hoje Bruce e Adrian por terem saído da banda - e não importa se voltaram. Nas horas vagas, tem como hobby conhecer seus ídolos na música, conseguindo com eles fotos e autógrafos.

Mais matérias de Adriano Ribeiro no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280