Maestrick: entrevista para o site chileno Zerovarius

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karen Waleria, Fonte: Rocksblog
ENVIAR CORREÇÕES  

MAESTRICK é uma banda brasileira de metal progressivo que se apresentará aqui no Chile no festival Powershock, ex -ProgPower South America, que teve sua edição transferida para o mês de novembro. Conversamos com três de seus integrantes: Renato Somera (Baixo), Fabio Caldeira (Vocal e Piano) e Heitor Matos (Bateria). Deixamos vocês com esta divertida entrevista com o MAESTRICK.

Cenografia: os pedestais mais bizarros do Rock e MetalFãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada um

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Zerovarius: Inicialmente gostaria de agradecer a entrevista.

Fabio Caldeira: Nós que agradecemos pela atenção ao trabalho do MAESTRICK e pelo espaço cedido.

Zerovarius: Apresentem o MAESTRICK. Conte-nos um pouco como a banda foi formada.

Fabio Caldeira: O MAESTRICK foi formado em 2006 e atualmente é composto por mim, Fabio Caldeira (vocal, piano/teclados), Renato Montanha (contrabaixo), Heitor Matos (bateria), Paulo Pacheco (guitarra) e Beto Vanella (guitarra). Desde o começo, nossa proposta era fazer algo que incluísse a personalidade de cada um, buscando assim, algo bem particular e de certa forma único.

A origem do nome MAESTRICK traduz bem o que buscamos, pois une a palavra "Maestro", com sua postura erudita e séria, com a palavra "Trick", que significa travessura, truque e remete a algo mais desprendido e até engraçado. Se você nos procurar, de um extremo a outro, e se for espontâneo, pode nos encontrar em qualquer lugar."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Zerovarius: Como se dá o processo de composição? Vocês se reúnem periodicamente para compor?

Heitor Matos: Esta é uma pergunta muito legal, porque é uma curiosidade que nós também temos, principalmente em relação à bandas que admiramos e acompanhamos. Gostamos de saber como é o processo de composição, é uma particularidade de cada banda.

Temos uma rotina de ensaios durante a semana, que são separados entre manutenção de repertório de shows e idéias novas.

É claro que não dá pra trabalhar as duas coisas ao mesmo tempo, então quando estamos focados nos shows, apenas apresentamos, gravamos as idéias novas e deixamos arquivadas para termos materiais no futuro.

Composição exige uma boa energia e um grande foco, assim como os shows do MAESTRICK, tentamos manter as duas partes ativas mas de forma separadas.

Nós trabalhamos com uma forma de composição bem livre, todos apresentam suas idéias, letras, então colocamos tudo em ordem e começamos a trabalhar. O MAESTRICK conseguiu criar uma identidade no seu primeiro álbum que nós curtimos muito, isso foi devido a forma de composição, que apesar de ser livre tem alguns parâmetros que seguimos e deu certo, portanto acho que vamos continuar dessa forma. Somos uma equipe forte e como toda equipe, temos que deixar cada parte desempenhar seu papel, para que no final o resultado seja o melhor possível.

O MAESTRICK sempre vai ter essas brincadeiras de orquestrações, timbres loucos, contextos por trás das músicas, porque sempre vai ter a mão do Fabio por exemplo nos teclados, nas composições em si, o Montanha com seus Two Hands e Timbres, as misturas de ritmos e estilos...isso sempre será como o nome já diz " MAESTRICK".


Renato Somera: O processo de composição se dá através de "jam sessions" ou quando algum integrante apresenta um tema. A partir deste ponto nos reunimos, absorvemos a ideia, depois disso começamos a trabalhar em conjunto discutindo o ponto de vista de cada instrumentista e direcionando a música para sensação que queremos.

Nós marcamos alguns ensaios para apresentar estes temas, não necessariamente uma ou duas vezes por semana, dando preferência em ensaios com todos os integrantes para que as músicas tenham a personalidade de todos os integrantes da banda.

Zerovarius: No ano passado o MAESTRICK se apresentou no Lima Prog Fest II e dividiu o palco com duas bandas chilenas, a OPUS 3 e a CRISÁLIDA (estas últimas irão estar também no Powershock) o que você acham deles?

Renato Somera: As duas bandas são fantásticas, com muita personalidade e extrema competência, foi um orgulho imenso dividir o palco e poder conhecer os integrantes da OPUS 3 e CRISÁLIDA. Espero que possamos levar estas amizades por muitos anos e muitos palcos por vir.

Heitor Matos: Nós conhecemos a força do "Prog" da América do Sul no ano passado no Peru. A Banda CRISÁLIDA é espetacular...tem um som muito bom, pesado e suave ao mesmo tempo. O baterista Rodrigo Sanchez é espetacular, a vocalista, o guitarrista, meu amigo Javier Sepúlveda, enfim, todos são muito bons profissionais e muito gentis.

Os caras do OPUS 3 ... (Risos) Foi tudo muito divertido. Nós tivemos a oportunidade de sairmos para jantar e conhecer o Peru juntos. O baterista Rodrigo Chavarria e o baixista Francisco de Borja são músicos excelentes. Estamos longe, mas eles são pessoas incríveis e tenho certeza que seremos bem recebidos por eles aí no Chile.

Um abraço para a Crisálida e para a Opus 3!

Zerovarius: Também foram convidados para se apresentarem no Chile seu compatriotas do HIBRIA e HANGAR. Vocês são conhecidos? Já dividiram o palco?

Renato Somera: Nós infelizmente não conhecemos os integrantes do HIBRIA pessoalmente, não tivemos ainda o prazer de dividir palco com eles. Porém acompanhamos a carreira deles e admiramos as conquistas alcançadas por eles e estamos muito felizes de podermos dividir palco pela primeira vez.

Fabio Caldeira: Eu conheço o Aquiles (Priester) e o meu xará, Fabio (Laguna), ambos do Hangar. Tive a oportunidade de tocar com eles quando fiz participação no show da banda brasileira HOUSE OF BONES do produtor do MAESTRICK, Gustavo Carmo. Falar bem deles é redundante, porque são ótimos profissionais e grandes pessoas. O HIBRIA, como o Montanha disse, não os conhecemos ainda, mas o Powershock será uma ótima oportunidade para isso. São duas grandes bandas.

Zerovarius: Qual o conceito do "Unpuzzle!"?

Fabio Caldeira: O "Unpuzzle!" se passa em um museu, onde está acontecendo uma exposição de quadros de um artista. Das tintas que ele usa pra pintar os quadros, nascem dois seres, o "Smile" e o "Snif". Eles por sua vez entram dentro dos quadros, que tem formato de peças de quebra-cabeças, e descobrem mundos alternativos onde outros personagens vivem. Na tentativa de ajudá-los, eles despertam o engraçado e desastrado "Puzzler", que no começo se revela simpático, mas na verdade é o vilão da história.

Trazendo isso para a música, posso dizer que cada nota conta um pouco desse realismo fantástico e procura trazer quem ouve para os lugares onde tudo acontece. E é claro, isso é estendido para os nossos shows.

Zerovarius: Quais as expectativas que vocês tem em relação a esse show aqui no Chile? E ao público chileno?

Fabio Caldeira: As melhores possíveis! Estamos realmente empenhados em deixar nossa marca no Powershock. Sabemos que o Chile tem grandes artistas e sempre recebe muito bem os shows que acontecem por aí. Então estamos muito comprometidos a mostrar que estamos à altura desse grande público do Chile.

Renato Somera: Nós temos as melhores expectativas possíveis como disse o Fabio. Sabemos que o Chile é um país lindo e que o público é muito acolhedor. Nós daremos 110% no palco para levar um grande espetáculo para o público.

Zerovarius: Finalmente deixem uma mensagem para os nossos leitores.

Fabio Caldeira: Quero mandar um grande abraço ao público chileno e dizer que estamos contando os dias para chegarmos aí!

O MAESTRICK é uma banda que acredita na fusão entre elementos artísticos, e é isso que levaremos até vocês da melhor forma que pudermos. Para terminar, vou parafrasear um texto que está no encarte do nosso disco:

"Que vossas mentes possam estar libertas de qualquer prisão e limite, ilimitando- se apenas, ao que não é possível, mas é!" Luz, paz e arte para todos vocês e até breve.

Leia a entrevista original em espanhol no site chileno Zerovarius no link a seguir:

http://www.zerovarius.net/2013/07/maestrick-estamos-contando-los-dias-para-tocar-en-chile




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Maestrick"


Cenografia: os pedestais mais bizarros do Rock e MetalCenografia
Os pedestais mais bizarros do Rock e Metal

Fãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada umFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um


Sobre Karen Waleria

Blogueira gaúcha. Estudou letras. Ecleticidade musical é seu ponto forte; com uma tendência ao Rock e Metal. Já foi colaboradora em grandes sites de Rock e Heavy Metal, trabalha com divulgação de bandas e eventos. Responsável pelo blog www.karenwaleria.blogspot.com.br. Siga no Twitter @Rocksblog.

Mais informações sobre Karen Waleria

Mais matérias de Karen Waleria no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline