Aesthetic Perfection: entrevista com Daniel Graves

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Niehues, Fonte: Horns Up
ENVIAR CORREÇÕES  

Realizamos um pequeno bate papo com a banda Aesthetic Perfection, que mistura um rock industrial com batidas eletrônicas, apesar de não ser algo extremo é um som a ser apreciado. Converamos com Daniel Graves, responsável pela banda como um todo, desde a musicalidade até as letras.

Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black MetalJourney: o famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Horns Up - Você poderia nos explicar um pouco sobre o projeto Aesthetic Perfection? Um pouco sobre a música, temas abordados e visualmente falando?

Daniel Graves - Aesthetic Perfection é Daniel Graves e Daniel Graves é Aesthetic Perfection. É minha pessoa e minha vida. Eu venho compondo desde 2000 sob esses nomes. Meu objetivo é expressar as emoções humanas, de uma forma crua e em qualquer forma que a mesma possa assumir.

Horns Up - O último álbum lançado fora em 2011. E existem noticias de que um novo álbum está quase completo. O que podemos esperar deste novo lançamento? Uma evolução natural de "All Beauty Destroyed" ou podemos esperar novos elementos no som da banda? E claro, liricamente falando será direcionado a algum assunto especifico?

Daniel Graves - O novo álbum, ao menos para minha pessoa, é uma progressão natural de onde "All Beauty Destroyed" parou. Assim como senti que "All Beauty Destroyed" era um passo natural após o álbum "A Violent Emotion". Muitos não pensaram desta maneira. Muitas pessoas ficaram chocados com o "All Beauty Destroyed" o que era algo da qual eu não esperava. Agora eu sei que as pessoas possuem medo de algo. Com esse conhecimento, eu poderia dizer que para este novo álbum, tenha medo. Tenha muito, muito medo. Este é um novo capítulo para o Aesthetic Perfection. Eu não irei revelar muito, mas apenas posso dizer que estou bastante excitado com este novo álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Horns Up - E este novo álbum já possui um nome, ou música definidas, ou até mesmo uma data?

Daniel Graves - O novo álbum possui um nome. Mas, ainda é segredo. Eu tenho também uma data de lançamento, porém ainda não anunciei. Todas as músicas foram escritas, e claro, ainda não estamos prontos para compartilhar. O que eu posso lhe dizer é que estamos preparando três singles antes do lançamento do álbum. "Antibody" sairá este mês (junho), o próximo single será "The Dark Half" em agosto e o último do qual NINGUÉM OUVIU FALAR é a música "Big Bad Wolf" que sairá em outubro, a tempo do Halloween!

Horns Up - Além dos lançamentos, a banda possui vários músicas remixadas, como Lady Gaga, Kary Perry e outros. Como surgiu esta ideia? Como a música é escolhida?

Daniel Graves - Eu gosto de música pop. É importante manter o gosto variado, caso contrário você se acomoda e fica estagnado. Muitos ganham suas influências somente na sua cena, o que eu acho chato. Eu escolhi remixar música da qual eu realmente gosto. E eu fui sortudo o suficiente para achar alguns programas na internet e com eles realizar os remixes, digamos que realizar os remixes é um exercício divertido durante produção, e claro, fazer com que as pessoas fossem a loucura. Porque muitas pessoas decidiram dizer que eu era vendido por remixar músicas famosas e pops. Idiotas.

Horns Up - Aqui no Brasil vocês ainda não são tão conhecidos como deveriam ser. Mas, sei que vocês possuem uma boa base de fãs. Existe alguma chance de ver a banda tocando aqui no Brasil?

Daniel Graves - Nós tentamos e falhamos várias vezes para uma turnê Sul Americana. Por alguma razão, não conseguimos. O mais longe que fosse para o sul fora a Cidade do México. E nós simplesmente amamos. Logo, tivemos um pequeno gosto do que a América Latina pode nos oferecer. Também esperamos que com o crescimento da banda, os promotores terão a chance de se arriscar e nos levar até a América do Sul.

Horns Up - Sobre influências. Desde o inicio até hoje, quais são as influências da banda?

Daniel Graves - Minhas influências não mudaram com o passar do tempo. Ainda sou fã da onda "new wave" dos anos 80, do rock dos anos 70, e especialmente de Nine Inch Nails, Marilyn Manson, White Zombiee, Snoop Dogg, Dr. Dre, Top 40 Pop, é tudo parte do que sou. A única coisa que eu comecei a gostar mais do que antes é da música "dance". Techno Europeu, por exemplo, Dada Life e Belzabass.

Horns Up - E o que vocês andam ouvindo hoje em dia?

Daniel Graves - Algumas compilações da Alemanda. "Bravo Hits" (nota: nome da compilação) ou algo semelhante. Bastante Led Zeppelin, Dada Life, AC/D/C, Awolnation, Michael Jackson, Depeche Mode, e esse tipo de coisa.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Aesthetic Perfection"


Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black MetalMaquiagem, spikes e sorrisos
Conheça o Happy Black Metal

Journey: o famoso erro geográfico em Don't Stop Believin'Journey
O famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"


Sobre Guilherme Niehues

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline