Tangelo: entrevista com o vocalista Rafael Muniz

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Henrique de Souza, Fonte: Sabatina Rock
Enviar correções  |  Ver Acessos

Entrevista concedida por Rafael Muniz, vocalista da banda TANGELO ao "Sabatina Rock".

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Cristina Scabbia: cantora fala sobre ser uma das "garotas mais quentes do Metal"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

SR: Primeiramente obrigado por nos conceder essa entrevista e vamos direto ao ponto: Quem é Rafael Muniz?

Rafael: Pergunta das aulas de filosofia! rs Bom, o Rafael é uma pessoa comum. Filho do Carlos, neto da Nice e servo de Deus. Sou bem visceral, gosto das coisas bem claras e justas. Sou antiquado. Odeio mentiras. Sou sincero demais! Apaixonado por música. Adora filmes com roteiros mirabolantes e é viciado em temaki! Rs

SR: Como a música entrou na sua vida?

Rafael: Sempre fui apaixonado por música, e de todas as vertentes. Desde pequeno com CDS, com um som pequeno como o meu brinquedo e sempre cantarolando por aí. Eu comecei a realmente ver o mundo de outra forma através do CD do Green Day "Dookie". Passava horas ouvindo o CD inteiro.
Mas foi numa tarde assistindo o extinto canal Fox Kids que passou um clipe do qual eu vi e decidi: É isso que eu quero para a minha vida! E o clipe era "My Friends Over You" do New Found Glory. Aquilo foi mágico pra mim. Daquele momento em diante eu fiz tudo o que pude fazer pra ter uma banda, e isso se concretizou esse ano, graças a Deus, com o Tangelo.

SR: Falando em Tangelo, como surgiu a idéia da banda?

Rafael: Eu sempre escrevi. Acho que sempre vivi em um universo particular rs. O Tangelo começou quando a minha ultima banda acabou, Outrora em 2008. Tive 3 bandas antes do Tangelo, o Sete, Click e o Outrora. Cada uma delas aprendi demais sobre banda e seus relacionamentos interpessoais. A idéia de ter uma banda sempre veio em mente, mas sempre achei que não seria capaz disso. Até que um dia o meu amigo, irmão e compositor Rude Ribeiro estava montando um novo projeto paralela a sua banda na época, o Névoa, e me chamou pra cantar. A banda seria o Sete. No Sete aprendi demais sobre toda a logística de de ter uma banda e seus devaneios também. Quando o Sete acabou, que tinha proposta Pop Punk, montamos uma nova banda chamada Click, da qual o Fabiano (Guitarrista do Tangelo) era o guitarrista. Essa banda eu descobri a sonoridade que me agradou demais: O Rock N' Roll! Quando o Click acabou, montei um projeto Folk chamado Outrora que não durou muito tempo.

Então desde 2008 eu venho escrevendo e fazendo o possível (as vezes até o impossível) para isso acontecer. Quando vi que já havia conseguido juntar as canções que achava ideal para o projeto eu chamei o Fabiano e começamos a gravar as primeiras músicas da banda. A banda seria apenas um projeto de internet, eu não tinha a intenção de fazer shows, mas ainda bem que mudei esse pensamento.

Depois do meu encontro com o Espirito Santo eu mudei o foco da banda e resolvi direcionar esse trabalho para nosso único salvador, Jesus Cristo. Com isso Deus colocou o Phellipe Oliveira (Baixista), Ramon Bonifácio (Guitarrista) e Willamis Thiago (Baterista) nesse projeto para somar ainda mais e fazer desse projeto nosso ministério.

SB: Você não tem medo da banda sofrer preconceitos pelo fato de ser cristã?

Rafael: É o risco que me move. Essa dúvida que me faz seguir em frente. Sou realmente movido pelo risco.

Não tenho medo, afinal, até os artistas "mainstream" sofrem preconceitos e criticas sobre os seus trabalhos, não seremos diferentes...

SB: Quais são as influências músicas da banda e as suas?

Rafael: A banda ouve bastante rock no geral mesmo. O Fabiano é muito fã de Fresno, os meninos gostam muito de Oficina G3, Dream Theater, Rodox e os trabalhos do Rodolfo Abrantes. No Tangelo eu ouço muito Trapt, Sevendust, Ignite, Hoobastank, Jamie Cullum, Sugarcult, Jimmy Eat World, Rancore e Vowe.

Eu fora da banda ouço muito New Found Glory, Cartel, Hot Action Cop, John Legend, Lighthouse Family, Udora, Supercombo, Diffuser e Sublime With Rome.

SB: Sobre a sua conversão como isso aconteceu e o que o Tangelo deseja cantando para Deus?

Rafael: Eu sempre corri de Deus. Achava um assunto chato e totalmente entediante. Até que de tanto a minha prima, irmã Bruna me chamar pra um culto eu fui numa espécie de worship na casa dela. Daí ali senti a presença de Deus e jamais quero passar um dia sem a presença dele.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Tangelo quer levar o amor de Deus para o máximo de pessoas que pudermos. Queremos ganhar almas pra Deus, mas também vemos o lado institucional nisso, pois nos relacionamos com humanos e eles precisam de orientação sentimental, comportamental e espiritual e o Tangelo quer se envolver com as pessoas de todas as formas que possamos ajuda-las.

SB: O que o Tangelo está fazendo no momento e o que podemos esperar dos shows?

Rafael: A banda está na pré produção do nosso primeiro CD e ensaiando muito. Nosso primeiro CD terá em média de 11 músicas e tenho em média de 30 para escolher... O desapego vai ser grande! Rs.

Podem esperar muita energia no show, muita agitação, muitos moshs, circle pits e muita, mas muita sinceridade.

SB: Pra encerrar, vamos à sabatina! Uma banda?

Rafael: New Found Glory

SB: Um sonho?

Rafael: Ser Pai

SB: Uma influência?

Rafael: Jesus Cristo

SB: Uma música?

Rafael: Lover, You Should've Come Over - Jamie Cullum (Ouvindo agora! Rs)

SB: Uma música do Tangelo?

Rafael: A Falsa Razão

SB: Um filme?

Rafael: Tudo do Quentin Tarantino, Stanley Kubrick, Woody Allen, Cristopher Nolan e Danny Boyle.

SB: Ultimo livro que leu?

Rafael: On The Road (Jack Kerouac)

SB: Prato Favorito?

Rafael: Temaki!

SB: Tangelo?

Rafael: O retrato do que eu sou

SB: Mande seu recado!

Rafael: Quero agradecer a todos que acompanham a banda, que curtiram a página da banda ou mesmo se identificam com o que somos! Agradeço ao Ricardo pelo oportunidade e não deixem de acompanhar a banda: www.facebook.com/bandatangelo. É noiiiiz!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Tangelo"


Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?

Cristina Scabbia: cantora fala sobre ser uma das garotas mais quentes do MetalCristina Scabbia
Cantora fala sobre ser uma das "garotas mais quentes do Metal"


Sobre Ricardo Henrique de Souza

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Cli336x280 CliIL Cli336x280