Scorpions: era melhor quando eu estava na banda, diz Herman

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Luiz Cesar Pimentel, Fonte: Blog do Luiz Pimentel
Enviar correções  |  Ver Acessos

Hoje tem show do Scorpions, maior grupo de rock da história da Alemanha, em São Paulo. Ocasião inapropriadíssima para fazer uma entrevista com o ex-baterista mais famoso do grupo, Herman Rarebell, que participou da banda entre 1977 e 95, num total de oito discos de estúdio - os melhores, segundo os fãs.

Sepultura: saiba mais sobre as visões religiosas de DerrickKing Diamond: O que significa ser Satanista?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mentira.

Hora mais que apropriada. Afinal o cara participou da fase dourada do Scorpions, gravou simplesmente "Lonesome Crow", "Fly to the Rainbow", "In Trance", "Virgin Killer", "Taken by Force", "Lovedrive", "Animal Magnetism", "Blackout" e "Love at First Sting". Além dos clássicos álbuns ao vivo duplos "Tokyo Tapes" e "World Wide Live".

Rarebell acaba de lançar por aqui sua biografia, "Scorpions - Minha história em uma das maiores bandas de todos os tempos" (Panda Books), e conversei com ele por e-mail justamente sobre as lembranças desse período.

Qual é sua melhor memória do tempo que foi integrante da banda?
O melhor momento que passei no Scorpions foi em Janeiro de 1985, o nosso show no Rio (Rock in Rio I). Lá eu fiz o melhor solo da minha vida, e vocês podem ver o vídeo no meu website.

E qual é sua pior lembrança no Scorpions?
Aconteceu quando estávamos voltando de um concerto na costa Oeste dos Estados Unidos e nosso avião voou diretamente para o meio de um furacão.

Como é a última turnê anunciada do Scorpions existe chance de vermos você tocar com a banda novamente, ao menos em alguns shows?
Isso depende dos meus planos de turnê. Como é conhecido, vou fazer uma turnê com o Michael Schenker (ex-guitarrista do Scorpions) no ano que vem. Começamos no dia 9 de abril, na Inglaterra.

Você gosta do tipo de música que o Scorpions faz hoje em dia? A maioria dos fãs diz que os primeiros discos são os melhores.
Prefiro os álbuns que fizemos quando eu estava na banda.

Você se arrepende de ter tocado em "Face the Heat" e "Crazy World", discos muito mais melosos da banda do que os primeiros? Qual é sua opinião sobre baladas como "Wind of Change" e "Under the Same Sun", que se tornaram hits gigantescos no mundo inteiro?
Não me arrependo não. Foi um bom processo de aprendizado.

Você ainda ouve os discos que fez com a banda? E os mais novos?
Eu escuto os discos (que fiz com a banda) o tempo todo. Planejo até regravar algumas músicas que escrevi ou fui co-autor, como "Another Piece of Meat" e "Passion Rules the Game", por exemplo.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Scorpions"


Idioma: bandas que já cantaram em sua língua natalIdioma
Bandas que já cantaram em sua língua natal

Scorpions: as dez piores músicas da bandaScorpions
As dez piores músicas da banda


Sepultura: saiba mais sobre as visões religiosas de DerrickSepultura
Saiba mais sobre as visões religiosas de Derrick

King Diamond: O que significa ser Satanista?King Diamond
O que significa ser Satanista?


Sobre Luiz Cesar Pimentel

Luiz Cesar Pimentel é jornalista, escritor e diretor de conteúdo do portal R7. Jornalista desde 1992, e autor dos livros Sem Pauta - Reportagens, Histórias e Fotos de um Jornalista pelo Mundo (Ed. Seoman, 2005), compilado de coberturas em 18 países como correspondente, e Você Tem que Ouvir Isso! (Ed. Pensamento, 2011). Trabalhou na Folha de S Paulo, Editora Abril, Trip, os portais Starmedia, Zip.net, UOL e Virgula além de ser colunista e colaborador de Caros Amigos, Carta Capital, Playboy, Rolling Stone, Sexy, Jornal da Tarde, Elle e Superinteressante.

Mais matérias de Luiz Cesar Pimentel no Whiplash.Net.

Goo336x280