Aerosmith: uma banda feita para tocar ao vivo, diz Joey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos


John Parks, do Legendary Rock Interviews entrevistou recentemente o baterista do AEROSMITH, Joey Kramer. Seguem alguns trechos da conversa.

Planet Rock: as maiores vozes da história do rockLars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' Roses

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Legendary Rock Interviews: Sei que vocês trabalharam com um tanto de produtores ao longo dos anos, mas além da relação de longa data com o Jack [Douglas], tem de haver algo que ele traga para o resultado final. Quero dizer, você consegue ouvir isso.

Joey: É, o Jack definitivamente é parte da equação. Acho que a coisa mais importante que ele faz é que ele faz de todo processo da feitura do disco uma diversão. Quando nos divertimos na banda, isso se mostra nas canções. Acho que esse foi o caso do "Toys In The Attic" e "Rocks" e acho que isso se aplica ao "Music From Another Dimension". Nós realmente nos divertimos muito trabalhando dessa vez, simplesmente cantando e tocando juntos. Temos sorte nesse aspecto, porque quando você faz algo que realmente gosta e está se divertindo isso não é mais "trabalho".

Legendary Rock Interviews: Você falou bem honestamente em seu livro "Hit Hard" sobre como às vezes não era mais divertido ou coisas atrapalhavam a diversão. Agora que vocês chegaram nesse ponto em suas carreiras e tocaram músicas como "Draw The Line" ou "Livin On The Edge" um milhão de vezes, o show é tão divertido quanto botar a mão na massa e ser criativo no estúdio?

Joey: É, é tão divertido quanto, pelo menos. Provavelmente é ainda mais divertido na estrada, porque tudo o que somos é uma banda de tocar ao vivo e sempre fomos assim. Estando na banda por todo esse tempo, você tem de aprender a trabalhar no estúdio, digo, eu toco no AEROSMITH desde 1970. Todos esses anos entrando em estúdio nós todos tivemos de aprender a fazer discos e os fizemos mas o que mais gostamos de verdade é tocar ao vivo. Isso sempre foi o nosso negócio, nós curtimos ir lá e ter aquela reação do público com as músicas. O show ao vivo é o que foi a base do AEROSMITH e ainda é tudo o que somos. Se você não for um bom artista ao vivo, então qual o sentido nisso, de que serve tudo isso e por que existir? Infelizmente há algumas bandas que não são boas ao vivo, mas isso é algo de que nos orgulhamos. Enquanto conseguirmos ir lá e fazer, isso vai fazer ser divertido estar na banda com os caras. Não há sensação melhor do que tocar aquelas músicas ao vivo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Legendary Rock Interviews: Eu também notei que há alguns artistas convidados que já foram mencionados no que diz respeito ao "Music From Another Dimension". O Julian Lennon fez algum trabalho nos vocais e a Carrie Underwood é destaque numa faixa chamada "Beautiful". Isso procede, e você acha que essa música tem uma tremenda quantidade de atrativo para o rádio?

Joey: Não, não, ela não está em uma faixa chamada "Beautiful". Não sei ao certo de onde vieram todas essas notícias, mas isso está completamente errado. A Carrie na verdade está numa faixa chamada "Can't Stop Loving You" e absolutamente há muito atrativo para o rádio nela. É uma música ótima, ótima.

Legendary Rock Interviews: Como estão ficando as músicas novas e com quanta antecedência vocês começam a trabalhar ao vivo em diferentes faixas do álbum?

Joey: Elas estão ficando ótimas! Até agora fizemos uma música chamada "Oh Yeah!" e, é claro, a "Legendary Child", mas as duas são bem divertidas. Assim que essa turnê acabar e nos prepararmos para voltar novamente quando o álbum sair em novembro vamos começar a trabalhar mais nelas para colocarmos nos shows.

Leia a entrevista na íntegra no Legendary Rock Interviews:
http://www.legendaryrockinterviews.com/2012/07/26/legendary-...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Aerosmith"


Aerosmith: Walk This Way surgiu enquanto esperavam cocaínaAerosmith
"Walk This Way" surgiu enquanto esperavam cocaína

Aerosmith: E se isolassem o vocal de Steven Tyler em IDWTMAT?Aerosmith
E se isolassem o vocal de Steven Tyler em IDWTMAT?


Planet Rock: as maiores vozes da história do rockPlanet Rock
As maiores vozes da história do rock

Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesLars Ulrich
Jucando no camarim do Guns N' Roses


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline