Frank Solari: trajetória de virtuosismo "Made In Brazil"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vicente Reckziegel, Fonte: Witheverytearadream
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nessa entrevista com Frank Solari, guitarrista gaúcho com mais de 20 anos de carreira e gravações ao lado de grandes nomes da música nacional, conversamos um pouco sobre a sua vitoriosa trajetória no sempre duro mundo musical brasileiro.

5000 acessosMonsters of Rock: a feijoada que quase derrubou King Diamond5000 acessosVelocidade: Top 10 de músicas de Metal para ser multado

Vicente: Inicialmente fale um pouco sobre a sua trajetória na música.

Frank Solari: Depois de estudar piano por alguns anos comecei a compreender o quanto é abrangente a arte de fazer música. O conhecimento teórico musical é o mesmo para a guitarra e todos os outros instrumentos. Cada instrumento tem sua sonoridade e técnicas específicas, mas sua função é servir a algo maior: a música. A prática no piano me deu facilidade e precisão na execução de técnicas modernas de guitarra. Foi na época do primeiro Rock in Rio, em 1985, que comecei na guitarra. Mas antes disso eu já tinha interesse nos riffs de guitarra, principalmente do Van Halen, Iron Maiden, Scorpions, Led Zeppelin e AC/DC. Hoje com mais de vinte anos de carreira sou instrumentista, compositor, intérprete, produtor e arranjador. Tenho três discos: Frank Solari; Um Círculo Mágico e Acqua, dois vídeo-aulas, um trabalho em parceria com Eduardo Ardanuy e Ségio Buss no “Tritone” e já participei de inúmeras gravações e projetos como convidado especial. Nos últimos anos tenho feito shows e workshops pelo Brasil e Europa.

Vicente: Você tem três discos lançados, Frank Solari (1994), Círculo Mágico (1998), e Acqua (2003). Conte um pouco sobre como foi a gravação de cada um deles.

Frank Solari: Foram três grandes experiências. Costumo gravar bases junto com o baixo e a bateria e depois chamo os convidados, gravo os solos e dobras de guitarra. Cada um teve um sistema de gravação, edição e mixagem diferente. O primeiro foi gravado em rolo 1”/16 canais e mixado digitalmente. No segundo usamos rolo 2”/24 canais, mixagem em rolo ½” e masterização digital. O Acqua foi 100% digital. Pude aprender muito com essas experiências e hoje aplico o conhecimento como produtor no meu estúdio próprio.

Vicente: Também lançou Tritone; Just for Fun (...And Maybe Some Money), um projeto com Eduardo Ardanuy (Dr. Sin) e Sérgio Buss (Steve Vai). Como se deu essa parceria?

Frank Solari: Foi super legal. Eu estava no Rio de Janeiro quando o Edu me ligou e convidou para o trabalho. Encontramos em São Paulo com Sergio Buss e gravamos. Minha parte foi feita em praticamente uma semana. O CD foi lançado rapidamente e atingiu o objetivo.

Vicente: Você morou alguns anos na Espanha. Como foi essa experiência para você tanto pessoalmente como profissionalmente?

Frank Solari: Pessoalmente pude ver e concluir que viver no Brasil, apesar de tudo, é bem melhor. Consegui mostrar meu trabalho na Espanha, Alemanha e Portugal em mais de duzentos eventos (workshops, shows e participações).

Vicente: Quais são as suas principais influências?

Frank Solari: Todo o tipo de música me agrada desde que tenha algo a dizer ritmicamente, harmoniosamente e melodicamente.

Vicente: Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o seu trabalho e para aqueles que gostariam de conhecer melhor e apostam na música feita no Brasil.

Frank Solari: Agradeço a todos os que gostam de música de verdade. Incentivo a todos a seguirem fazendo a música que gostam independente de estilos. Se dediquem ao que estão fazendo sem depender de modismos. A arte musical é um dos caminhos de abrir a mente para as possibilidades que o universo nos dá. Boa música independe de onde é feita, simplesmente conecta o ouvinte com algo bom. Sinto muito por quem ainda não conseguiu ouvir isso...

Discografia:

Frank Solari (1994)
Círculo Mágico (1998)
Tritone: Just for Fun (…And Maybe Some Money (1998)
Acqua (2003)

Website:
http://www.franksolari.net/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Frank Solari"

Monsters of RockMonsters of Rock
A feijoada que quase derrubou King Diamond

VelocidadeVelocidade
Top 10 de músicas de Metal para ser multado

MegadethMegadeth
Fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeo

5000 acessosMetal: você acredita na "lenda do terceiro álbum"? - Parte 15000 acessosAs histórias por trás de 11 capas clássicas5000 acessosMötley Crüe: a ousada tattoo de modelo paulista em tributo à banda5000 acessosGuns N' Roses: Como Slash explica a separação em sua biografia?5000 acessosO Rock Morreu: mas a boa notícia é que ele está embalsamado3818 acessosÁlbuns Homônimos: algumas pérolas que levam o mesmo nome da banda

Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online