Liam Gallagher: "entre os dois melhores homens do planeta"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Francisco Silva Júnior, Fonte: SPIN.com, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

No próximo mês de agosto, fará 20 anos que os irmãos Gallagher se juntaram para formar o OASIS. Fará também quase dois anos que a banda se separou.

1036 acessosNoel Gallagher: ele atendeu e conversou com fãs em Curitiba5000 acessosGuitarristas: Rolling Stone elege 100 maiores de todos os tempos

Liam Gallagher se juntou aos outros integrantes do OASIS e formou a banda BEADY EYE. Lançou o álbum "Different Gear, Still Speeding" e está fazendo turnê de divulgação do mesmo.

A revista Spin fez uma entrevista com Liam e ele fez questão de enfatizar: "Saca só! Acho que estou na melhor banda do mundo. E é a segunda vez que isso acontece. Mega, não é?".

Confira abaixo a tradução da entrevista.

Spin: As músicas são novas?

Liam: 60% é novo. 40% é material antigo, demos que invariavelmente o Chris nunca tocou ou eu nunca cantei. Nenhuma delas teve nós quatro envolvidos juntos antes. "Wind Up Dream" e "Morning Son" são dessas mais velhas.

Spin: Quando você diz "mais velhas", significa que a princípio foram feitas para o OASIS?

Liam: Não. Eu e Gem (guitarrista da banda) geralmente íamos para Wheeler End (estúdio do Oasis localizado numa roça) e fazemos demos. Passamos por todas elas e foi óbvio diferenciar quais eram nossas e quais eram do "Little Fella" (Noel). Como? As nossas eram as boas.

Spin: O "Litte Fella"? Como é a vida sem ele?

Liam: "Little Fella" se foi. Eu assisto Sky News para saber que não precisamos de líderes. A banda é formada por quatro geezers no mesmo nível, querendo fazer desta a melhor banda do mundo.

Spin: Outra canção nova, "Beatles and Stones", paga tributo aos seus heróis. O que você fez no aniversário de 70 anos de Lennon?

Liam: Bebi um pouco. Não fiz nada grandioso para isso. Não menti pelado numa cama e nem comi alguma japonesa, se é nisso que você está falando.

Spin: "The Morning Son"... É sobre o quê?

Liam: Sobre Jesus, sobre ressurreição. "The morning son has rose". Mas muitas músicas são sobre mim chegando ao final delas e pensando "porra, obrigado por acabar". Acho palavras difíceis.

Spin: Você sente que precisa provar mais alguma coisa?

Liam: Não. Estou no topo, entre os dois melhores homens do planeta.

Spin: Quem mais está lá?

Liam: Não sei. Poderia ser Elvis. Poderia ser o Gandhi. Poderia ser um gari. Poderia ser você. Todos acreditamos que somos o Superman de tempos em tempos. Eu me sinto como se tivesse contribuído com algo. Como se tivesse crianças legais. Penso que existe um monte de moleque por aí que abraçou alguma mensagem com nossas músicas.

Spin: Voltemos à separação do OASIS em Paris. Digamos que você não quebrasse a guitarra de Noel e pudesse resolver as coisas de uma melhor forma. Se você pudesse voltar atrás, voltaria?

Liam: Não, vamos deixar disso. Não se trata de uma coisa paliativa ou um projeto paralelo. Não estamos vagando por aí esperando pelo "Little Fella" chegar com seus instintos. Quando ele fizer isso, estaremos voando.

Spin: O que ele está fazendo?

Liam: Provavelmente gravando. Na hora certa vou checar isso. Nós temos o mesmo escritório e equipe, então tenho certeza que ele ouviu o que fizemos. Agora se ele gostou ou não, quem se importa?

Spin: O que você mais sente falta em relação a ele?

Liam: Não acho legal o fato de não estarmos nos falando, mas eu quero fazer as coisas do jeito certo, do meu jeito. Noel geralmente tem sua visão. Às vezes ele nos tratava como sua banda de suporte. Alguns dos vídeos que fizemos foram chocantes. "Lyla", por exemplo. Estávamos parecendo um Culture Club chapado. Agora, estamos no controle dos detalhes.

Spin: Por que você não sente falta?

Liam: OASIS já foi. Até um homem cego pode enxergar isso. Era: disco novo, gravar vídeo, sair numa tour gigante, ter uma briga. Estou satisfeito que essa rotina tenha chegado ao fim.

Spin: Noel teve um filho em outubro. Você mandou alguma mensagem?

Liam: Uma galera tem filhos. Ele não é o primeiro nem o último a ter um. Desejei a ele tudo de bom através da minha mãe.

Spin: Sua grife, Pretty Green, está mandando bem. Qual será o tipo de experiência que terei vestindo suas roupas ou as roupas da Roca-Wear, grife do Jay-Z?

Liam: Você simplesmente será preso usando as roupas da grife dele e ficará com um ótimo visual usando as roupas da minha.

Spin: Então... Nunca mais ouviremos o OASIS ao vivo?

Liam: Não. Nunca. Sentirei saudade das músicas, mas elas estão na minha cabeça. Elas estão na minha vida de uma maneira profunda. Estão no meu DNA. Mas o BEADY EYE não pode começar a perder a noção tocando "Live Forever", pode? Nunca diga "nunca", mas... não.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net



Noel GallagherNoel Gallagher
"Não entendo de política brasileira"

1036 acessosNoel Gallagher: ele atendeu e conversou com fãs em Curitiba1389 acessosOasis: Noel preferia reunir Oasis a ver um lunático no poder

20082008
60 discos de rock e metal lançados há 10 anos

Noel GallagherNoel Gallagher
"Ninguém está se fudendo para o que Liam pensa"

Capas clássicasCapas clássicas
Os locais onde foram feitas nos dias de hoje

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Oasis"0 acessosTodas as matérias sobre "Liam Gallagher"


GuitarristasGuitarristas
Revista elege os 100 maiores de todos os tempos

Billy CorganBilly Corgan
Revelando seus álbuns favoritos de Metal

NirvanaNirvana
O bizarro gosto gráfico de Kurt Cobain

5000 acessosSlash: uso excessivo de drogas chocou David Bowie5000 acessosKiss: vídeo com Gene Simmons em cena de sexo?5000 acessosTop 5 Metallica: About.com elege os cinco melhores álbuns5000 acessosRamones: a prova que a humanidade ainda comanda1539 acessosRob Halford: para ele, preconceito contra gays é semelhante ao que o metal sofre3405 acessosMr. Big: a coragem e a força de Pat Torpey diante do Parkinson

Sobre Francisco Silva Júnior

Francisco é natalense, casado, pai de um filho, doutor em Engenharia Elétrica e trabalha como professor da área de computação desde 2006. Seus maiores hobbies são o rock e o futebol. É corintiano fanático, colecionador de CDs e fã de muitas bandas de rock e metal, dos mais variados estilos, como Nirvana, Oasis, Muse, Pink Floyd, Iron Maiden, Metallica, Megadeth, Judas Priest e outras. Atualmente tem se interessado mais por bandas de metal extremo como Belphegor, Inquisition, Deicide, Incantation, Marduk, Dark Funeral e outras.

Mais matérias de Francisco Silva Júnior no Whiplash.Net.