Lemmy: "Radiohead e Coldplay são bandas sub-emo"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: Stay Thirsty, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 


Sarah L. Myers da Stay Thirsty conduziu em abril de 2010 uma entrevista com o líder do MOTÖRHEAD Lemmy Kilmister. Alguns trechos do bate papo seguem abaixo.
5000 acessosAdeus: o último show de 10 rockstars que morreram nesta década5000 acessosJudas, Queen e Rammstein: entre os vídeos mais gays

Você está chegando ao 35º aniversário do MOTÖRHEAD. Quais são seus planos?

"Nenhum. Eu espero. Eu estou meio cansado de ser festejado por estar velho. Prefiro ser assim, tenho certeza que podemos lançar um disco anonimamente com um outro nome e ver no que ia dar. Mas você não pode disfarçar esses malditos vocais, sabe?! Na verdade, fizemos um novo álbum do HEAD CAT, quer escutar? E sabe, eu não ligo de celebrar os 35 anos, que porra é essa? Quem se importa? O que importa é se eles são bons. Fica melhor em numerais romanos. XXXV".

Eu vi um vídeo seu de uns 25 anos atrás, respondendo a pergunta “O que o heavy metal significa pra você?” E você disse que significava nunca ter sua música submetida à crítica, era só o quão alto você tocava e como estava sua aparência. Você acha que finalmente você ganhou o respeito que você não tinha antes?

"Não. Nós ganhamos aceitação, mas não respeito. Porque o Grammy que ganhamos em 2005 foi por um cover de uma música de outra pessoa. Eles obviamente nunca ouviram uma música do MOTÖRHEAD. Eles nunca acharam que valesse a pena, mas eu acho que muitos deles valem. Fizemos três álbuns consistentemente bons, os três últimos. Então aquilo realmente me tirou do sério. Estou lá com um Grammy, por que eu ganhei isso? Por um cover de ‘Whiplash’? E toda essa merda que fizemos ao longo dos anos, nada por isso? Então eles que se fodam".

Você tem alguma idéia por qual motivo é assim?

"Sim, nós somos os sujos, até onde eles sabem. Somos os fodidos, somos aqueles que não são mencionados, não somos? Somos o verdadeiro rock n' roll. Daí você tem uns caras que nem BRUCE SPRINGSTEEN, sabe, que ganham todos esses prêmios. E ele não é realmente, eu não ouço ele como rock’n’roll. Ele tem tido sorte, ele teve algumas músicas boas, é só. Você sabe que a maioria dos discos deles é pra encher espaço. Sabe, não acho que ele seja bom. Mas esse é o tipo de pessoa a quem eles se apegam. 'Vamos dar todos os nove prêmios pra esse cara!' Isso é muito idiota, é só um nepotismo óbvio".

Ele mesmo parece se vincular a certos movimentos.

"Idiota, acho que esta é a palavra que você quer".

A primeira vez que te entrevistei, você disse que a única banda mais nova que você gostava era o EVANESCENCE, o que teve enorme repercussão.

"Bem, reformando, SKUNK ANANSIE. Eles estão tocando juntos de novo. Eles fizeram algumas coisas muito boas. Só há três novas faixas no álbum. Eles são muito bons".

O que mais você anda escutando agora?

"Ah, eu não sei, umas coisas. Eu não escuto muita música. Só ligo a TV quando chego, sabe. 'Law & Order: SVU', esse sou eu. Eu tenho um desejo oculto pela Mariska Hargitay. Filha da Jayne Mansfield. Ela é quase como se tivesse o mesmo peito da mãe dela. É difícil dizer debaixo daquelas roupas, sabe. Ela sendo uma policial osso duro de roer. E não é o uniforme, porque ela não usa um. Ela usa roupas comuns, sabe".

O que mais você faz pra se entreter na estrada?

"Eu ocasionalmente ainda persigo mulheres. Nós saímos e fomos a um strip club na noite passada. É um muito bom. Nós fomos a uns outros nos primeiros dias e eles não eram muito bons, sabe. Meio vigilantes do peso, sabe? (risos)"

Você acha que nesse ponto o rock n roll começou a se redimir?

"O Rock n' Roll sempre volta. Não há como lutar contra isso. E todas essas pessoas acham que elas podem matar o Rock n' Roll deviam também tentar conter as enchentes. Não tem jeito. Ele sempre volta porque sempre há gente querendo ouvir música alta, áspera. É empolgante. Toda essa merda que essas revistas gostam não é empolgante. Tipo, RADIOHEAD. É foda. COLDPLAY. Jesus! Essas não são bandas de Rock. São sub-emo. Quero dizer, eles fizeram umas coisas boas, sejamos justos. Mas não é Rock n Roll. Eu conheço Rock n Roll quando escuto. Eu tenho escutado isso desde que eu tinha 12 anos, sabe. Então, cai fora!"

Sua música foi licenciada para tantas coisas, e o próprio nome MOTÖRHEAD simplesmente significa um tipo de estilo de vida. Você considera sua banda uma marca?

"Não, não considero. Provavelmente é, sabe, mas eu não penso nela dessa forma. Eu não penso assim. Só o que penso é 'sobre minha banda, vai te fuder'. Sabe. Porque eu frequentemente disse que eu só me importava com minha banda, o resto de vocês podem ir se fuder, sabe? (risos)"

Você me disse antes disso que queria camisinhas do MOTÖRHEAD? Ainda pensa nisso?

"Nós tínhamos delas. Nós as fazíamos. 'Vá pra cama com MOTÖRHEAD!'. Nos anos 80 nós as fazíamos. Muito legal. Foi antes da AIDS, sabe. Quero dizer, você tem uma seleção de camisinhas agora. Naquela época era um pecado, sabe. Então era mais divertido vendê-las, porque as pessoas desaprovavam veementemente, sabe. 'Vá pra cama com MOTÖRHEAD!' Essa é boa".

Como você se sente a respeito sobre o que está acontecendo hoje na política americana?

"Bem, o Obama devia ter sido mais astuto antes de pegar o emprego, porque ele falou bem e agora não está andando na linha, realmente. Eu acho que ele está tentando, posso dizer isso. Acho que ele está se empenhando muito mas ele está sendo surrado pelos Republicanos o tempo todo e isso está fudendo com ele. E ele não teve coragem de mandar gente embora. Ele devia limpar a casa. Eu não sei o quão desesperado ele vai ter de estar antes de fazer isso. Mas será tarde demais se ele não fizer isso logo".

As pessoas sempre dizem que é porque ele não teve o tipo certo de experiência e que ele foi um Senador muito jovem.

"Ele não teve a experiência de ser um bastardo. Isso é que é. É a isso que se resume. Não há bastardos maiores que os do partido Republicano".

A matéria completa (em inglês) está no link abaixo.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

AdeusAdeus
O último show de 10 rockstars que morreram nesta década

834 acessosBrazilian Tribute To Motörhead: Torture Squad e Hatefulmurder702 acessosMotorhead: ouça o Genocídio no tributo brasileiro à banda2118 acessosCooking Hostile: Cozinhando com suas bandas preferidas1084 acessosMotorhead: ouça música de tributo brasileiro à banda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

Mikkey DeeMikkey Dee
Lemmy iria despedí-lo se ele experimentasse drogas

Coisa de NerdCoisa de Nerd
Os 5 games mais "Trues"

SpotifySpotify
As músicas de Metal mais ouvidas no Brasil

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 12 de janeiro de 2013
Post de 19 de julho de 2014

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Motorhead"

Judas, Queen e RammsteinJudas, Queen e Rammstein
Entre os vídeos mais gays

IndústriaIndústria
17 coisas que as bandas novas não entendem

David BowieDavid Bowie
A filmografia do camaleão

5000 acessosMetallica: Lars conta como saída de Newsted afetou a banda5000 acessosBlack Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward5000 acessosMetallica: Uma impressionante versão de "Nothing Else Matters"4626 acessosRetrospectiva 2007: as matérias mais lidas do ano5000 acessosLed Zeppelin: Jason Bonham quase "afinou"5000 acessosHeavy Metal: 11 músicas pesadas lançadas antes de surgir o gênero

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online