Cradle Of Filth: Dani fala sobre a "Bíblia do Black Metal"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Kako Sales, Fonte: Blabbermouth.Net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos


O website BloodyGoodHorror.com entrevistou recentemente o vocalista Dani "Filth" Davey, da banda de metal extremo britânica CRADLE OF FILTH sobre "The Gospel of Filth: A Black Metal Bible" (O Evangelho da Imundície: Uma Bíblia do Black Metal), o novo livro escrito por Dani e o músico jornalista Gavin Baddeley.

Metal Alemão: as 10 melhores bandas segundo o About.comMetallica: corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

"The Gospel of Filth: A Black Metal Bible" serve tanto como uma cronologia da banda e suas influências como um estudo completo do ocultismo e da obsessão humana por ele através dos tempos. Cada capítulo é repleto de paralelos entre o ocultismo e temas encontrados em filmes de terror, heavy metal, black metal, revistas em quadrinhos, literatura e outras facetas da cultura popular. Muitas celebridades de cada campo são exibidas ou entrevistadas. Nós recentemente tivemos a oportunidade de conversar com Dani sobre o livro, bem como sua carreira.

Alguns trechos da entrevista do BloodyGoodHorror.com com Dani Filth podem ser conferidos abaixo:

BloodyGoodHorror.com: Como você se sentiu ao terminar "The Gospel of Filth" tantos anos após sua concepção? Você o considerou completo?

Dani: "Foi um alívio enorme, alguns dias atrás, quando finalmente o levamos para ser prensado! Um dos principais problemas que tivemos foi o fato de que cada capítulo adota um álbum do CRADLE como pontapé inicial (então, por exemplo, o capítulo intitulado 'Cruelty and the Beast' fala sobre crime e um serial killer elegante), então quanto mais o livro contava, mais os capítulos iam sendo ajeitados para acomodar o próximo álbum do CRADLE OF FILTH. Nós estávamos escrevendo álbuns mais rapidamente do que capítulos num livro. Então, o livro é realmente grande! Serve como um manual de magia negra moderno, que cobre todas as áreas da escuridão e do ocultismo e é inspirado por contos reais de praticantes, sejam eles músicos, atores, escritores, historiadores, assassinos em série ou vampiros reais. Os fatos apavorantes são habilmente corroborados e então escritos".

BloodyGoodHorror.com: Gavin veio até você, ou você o procurou para ajudá-lo a juntar todas as peças?

Dani: "Você sabe que já faz mais de cinco anos de pesquisa compenetrada e muito absinto que, se não me falha a memória, Gavin e eu na verdade nos encontramos no Black Mass, em Chelsea, Londres".

BloodyGoodHorror.com: Você possui um claro fascínio e entendimento de ocultismo e todos os outros assuntos compilados no livro. Mas "The Gospel of Filth" também tem um tipo de visão irônica desses assuntos. O estudo do ocultismo seria uma simples curiosidade sua, ou é algo que você realmente leva a sério?

Dani: "Eu costumava levar muito a sério o ocultismo, evitando me intrometer na opinião dos outros. Ao alcançar os trinta anos e já me dando bem com minha família, me vejo explorando tudo na vida com um pouco mais de vivacidade e com tantas coisas nas mãos (geralmente ocupadas e manchadas de sangue), que não há tempo para me entregar aos trabalhos diários de magia e controle de mente. Eu me vejo mais como uma personagem como Van Helsing, um cara legal com uma obsessão vampírica e informação privilegiada sobre a escuridão. Possivelmente com uma capa. Ainda não decidi".

BloodyGoodHorror.com: Há uma quantidade incrível de contos e entrevistas de celebridades, músicos, ícones do horror e autoridades culturais de todos os estilos. Dario Argento, James Hetfield, Nick Holmes, Tom Araya e muitos outros. Como essas pessoas vieram a se envolver no projeto? Você foi até eles, eles vieram até você ou ambor?

Dani: "Um pouco de ambos. Por exemplo, nós temos fragmentos do que possivelmente foi a última entrevista de Anton La Vey, que é algo que Gavin conseguiu há alguns anos, e contrastando com isso, a entrevista de Dario Argento acontecendo devido a eu ter cantando a música dos créditos em seu filme recente, 'Mother of Tears'".

BloodyGoodHorror.com: Você mencionou no passado que filmes de terror ocasionalmente servem como inspiração para o CRADLE OF FILTH. Quais filmes você guarda na memória e quais são seus favoritos? Você viu algum recentemente que tenha chamado sua atenção?

Dani: "Não tire palavras da minha boca! Eu não tenho um filme favorito e existem tantos que eu gosto. Na verdade, este é um mau hábito meu em turnês... ficar comprando DVDs, especialmente nos EUA, em um dia de folga, numa ida ao Best Buy ou Wal-Mart, para passar as solitárias noites no ônibus. No entanto, favoritos recentes seriam filmes como 'Antichrist', 'Martyrs', 'District 9', 'Pandorum', 'Dead Snow', 'Monster versus Aliens', 'Coraline', 'Dorian Gray', 'Meatball Machine' e 'Mum and Dad'".

BloodyGoodHorror.com: Você participou do filme de terror "Cradle of Fear", de 2001, e depois dublou "Dominator", de 2003, mas desde então não apareceu mais. Você disse em entrevistas anteriores que gostava muito de atuar. Você fechou as portas daquela parte de sua carreira ou os fãs podem esperar vê-lo novamente?

Dani: "Eu estava atuando?!! Na verdade devíamos fazer uma sequência para 'Cradle of Fear', mas aconteceu que o elenco e a equipe de produção tiveram o pagamento adiado até que o filme rendesse (para manter os custos baixos). E agora que aconteceu uma vez, não deve acontecer novamente. Os grandes investidores tem sido muito cuidadosos. Eu adoraria fazer algo novamente, mas teria que ser feito do jeito certo. Tenho ótimas ideias para roteiros, mas a banda tem me tomado todo o tempo nos últimos anos".

Leia a entrevista na íntegra no BloodyGoodHorror.com (em inglês).



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Satanismo e Ocultismo"Todas as matérias sobre "Cradle Of Filth"


Blasfêmias?: Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusBlasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

Lordi: Não temos nada a ver com SatanismoLordi
"Não temos nada a ver com Satanismo"

Napalm Death: Religião não serve para nada!Napalm Death
"Religião não serve para nada!"


Metal Alemão: as 10 melhores bandas segundo o About.comMetal Alemão
As 10 melhores bandas segundo o About.com

Metallica: corrigindo a injustiça contra Jason NewstedMetallica
Corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

Guitarristas: os sete mais influentes de todos os temposGuitarristas
Os sete mais influentes de todos os tempos

Fotos de Infância: Skid RowFotos de Infância
Skid Row

Bon Jovi: as fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985Bon Jovi
As fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985

Fones de Ouvido: de R$ 200 a 5000, os melhores para o seu celularFones de Ouvido
De R$ 200 a 5000, os melhores para o seu celular

Melissa Reese: sua função no Guns N' Roses e reações dos fãs a elaMelissa Reese
Sua função no Guns N' Roses e reações dos fãs a ela


Sobre Kako Sales

Mineiro de Januária, baterista autodidata, cresceu em ambiente familiar ligado à música popular e erudita. Seu pai chegou a fazer pequenas turnês com bandas da Jovem Guarda como tecladista no fim da década de 70. Aos 10 anos, iniciou os estudos de teoria musical e piano clássico. Teve o primeiro contato com o mundo do metal ao escutar o CD Angels Cry do Angra, aos 15 anos. Desde então tem se dedicado a conhecer, colecionar e difundir o melhor do metal brasileiro e mundial. Graduado em Letras/Inglês, principalmente por influência da língua-mãe do rock, tem como principais ícones do metal as bandas Angra, Symphony X, Dream Theater e Opeth.

Mais informações sobre Kako Sales

Mais matérias de Kako Sales no Whiplash.Net.