Blue Cheer: "Hendrix nos odiava, Morrison era fã, Joplin não largava Paul!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Fonte: Roadie Crew
Enviar correções  |  Ver Acessos

Em matéria publicada pela revista Roadie Crew em sua edição de agosto de 2008, o vocalista e baixista do BLUE CHEER, Dickie Peterson, falou com exclusividade ao Brasil e fez grandes revelações sobre a história de sua banda e o relacionamento do grupo com lendas como JIM MORRISON, JIMI HENDRIX e JANIS JOPLIN. Confira alguns trechos da entrevista conduzida pelo redator Thiago Sarkis:

Enjaulados: Os crimes mais chocantes da história do rockSign of the horns: o sinal do Demônio

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O sucesso da histórica versão do Blue Cheer para "Summertime Blues"

"(...) Sabe por que é o nosso maior sucesso? Porque nós a mudamos completamente e fizemos uma versão muito original. (...) Viajamos completamente nela. Viramo-la de cabeça para baixo. Tenho profundo respeito por Eddie Cochran e Jerry Capehart [autores da música], porém, essa música é minha também (risos). Quando subo ao palco e a toco, sinto que meu coração e as minhas características como músico estão ali".

A visão de quem é considerado um dos pais do Heavy Metal

"Tenho muito orgulho de liderar uma das bandas que ajudou o Heavy Metal a se tornar realidade. No entanto, somos referência para grupos Punks e talvez tenhamos sido igualmente influentes para o Grunge e vários outros estilos. Nos anos sessenta, essas coisas não existiam. Éramos um Power Trio e só. (...) Nem existia uma definição ou rótulo para Metal na época. A música do Blue Cheer é barulhenta, honesta, crua, direta, e por isso influenciamos tantos estilos mais pesados."

Turnês com Jimi Hendrix e o que o guitarrista pensava do Blue Cheer

"(...) Ele ficava mais quieto, em seu canto, mas sempre foi extremamente profissional. Havia um ótimo relacionamento entre as duas bandas [Jimi Hendrix Experience e Blue Cheer]. Contudo, musicalmente, Jimi odiava o Blue Cheer e nos achava uma porcaria. Jamais deixamos de admirá-lo ou de conversar com ele por causa disso. (...)"

O fanatismo de Jim Morrison

"(...) Ele dizia que nós éramos sua banda favorita. De fato, Jim costumava ir a nossos shows e dançar o tempo inteiro."

Relações íntimas, além da música com Janis Joplin

"(...) As vezes, eu ficava irritado, pois precisávamos ensaiar para os shows, e ela não saía de cima de Paul [Whaley, baterista do Blue Cheer] (risos). Porém, aquilo não afetava a banda. Janis era nossa amiga, e discutíamos normalmente. Nós a adorávamos. Quando brigávamos, ela me abraçava, e tudo ficava bem. Naquela época, ela era apenas uma talentosa cantora jovem. Não convivíamos com a lenda na qual ela se transformou."


A reportagem completa trazendo mais informações sobre os casos acima, além de detalhes sobre o início da trajetória da música mesada e os detalhes de álbuns como "What Doesn't Kill" (2007), "Vincebus Eruptum" (1968), "Outsideinside" (1968) etc., está na Roadie Crew 115 (capa: Phil Anselmo - DOWN, PANTERA), já nas bancas.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Blue Cheer"


Blue Cheer: os inventores do Heavy-Metal?Blue Cheer
Os inventores do Heavy-Metal?

Hard Rock: de Vanilla Fudge a Led, dez álbuns seminais do gêneroHard Rock
De Vanilla Fudge a Led, dez álbuns seminais do gênero


Enjaulados: Os crimes mais chocantes da história do rockEnjaulados
Os crimes mais chocantes da história do rock

Sign of the horns: o sinal do DemônioSign of the horns
O sinal do Demônio


adGoo336