Velvet Revolver: Slash comenta sobre drogas, Axl Rose, Rick Rubin e mais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Danilo Pegorara, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

James Wigney, do Herald Sun australiano, conduziu uma entrevista com o guitarrista do VELVET REVOLVER/ex-GUNS N' ROSES, Slash, que falou sobre Axl Rose e sua ex-banda, além de comentar sobre o novo trabalho do VELVET.

Spin: os 40 melhores nomes de bandas de todos os tempos

Black Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre sua atual relação com Axl Rose:

"Apenas estou feliz por Axl estar por aí novamente fazendo o que sabe fazer. Durante um longo tempo, não sabíamos o que estava acontecendo com ele, mas estou ansioso para ouvir o álbum. Ouvi uma faixa ao vivo, supostamente uma das novas, mas faz tanto tempo que nem me lembro como soava".

Sobre o fato de muitos estarem surpresos pelo VELVET REVOLVER ter ficado junto tempo suficiente para gravar um segundo álbum:

"Não acho que nos surpreendeu, era mais uma coisa da mídia. Então, isso é meio que um dedo do meio bem na cara deles. Nós sempre vimos (o VELVET REVOLVER) como uma coisa perene".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre os percalços enfrentados por ele e alguns de seus colegas de banda durante a gravação de "Libertad":

"Todos estão bem, agora. Mas alguns de nós retomamos alguns velhos hábitos. O único que continuou completamente sóbrio foi Scott [Weiland, vocalista]. Dave [Kushner, guitarrista] não conta, porque tem estado limpo há anos. O que acontece é que mesmo que você tenha aquelas vontades e possa retomar velhos hábitos porque eles eram parte de você quando era jovem, quando se chega lá o barato acaba bem rápido. Nós todos já passamos por tudo isso, então, se um de nós pede ajuda, os outros já sabem pelo que ele esteve passando".

Sobre o título do álbum:

"Achei que soou como um grande título para um disco. (O conceito) foi do Scott e eu não tive nada a ver com isso, na verdade. Eu não curto muito esse negócio de álbum conceitual - eu penso em músicas, se são boas músicas ou não. Na verdade, o único album conceitual de que gostei foi o 'Tommy' do THE WHO, que para mim nem era conceitual até ser transformado em filme".

Sobre os problemas na relação com o produtor veterano Rick Rubin e a contratação de Brendan O'Brien, que administrou os trabalhos do início dos 90 das bandas STONE TEMPLE PILOTS e PEARL JAM:

"Eu só quero deixar claro que nós realmente admiramos e respeitamos Rick. Mas ele é um cara muito ocupado com muitas coisas, nós sentimos apenas que quando ele estava conosco não estava se dedicando 100%. Então, havíamos composto todas essas canções e enquanto gravávamos, senti que ele não estava sendo particularmente encorajador, e nos separamos — bem amigavelmente, inclusive. Scott trabalhou com Brendan anteriormente e sempre falou muito bem dele, que sempre trabalhou muito bem".

A matéria completa pode ser lida neste link.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Spin: os 40 melhores nomes de bandas de todos os temposSpin
Os 40 melhores nomes de bandas de todos os tempos

Black Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de IommiBlack Sabbath
O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi


Sobre Danilo Pegorara

Designer gráfico paulistano, nascido em 1982. Cresceu ouvindo Guns N' Roses, Aerosmith, Rush, Ozzy, Floyd, Beatles... Atualmente ouvindo The Mars Volta, Porcupine Tree, Prokofiev. É injustamente acusado por alguns, de ter perdido a capacidade para distinguir o que é ou não hard rock...

Mais matérias de Danilo Pegorara no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline WhipDin