Matérias Mais Lidas

Tony Iommi: surpreendendo ao eleger seu Deus do RockTony Iommi: surpreendendo ao eleger seu "Deus do Rock"

Metallica: a música lado b que Robert Trujillo mais gosta de tocar ao vivoMetallica: a música "lado b" que Robert Trujillo mais gosta de tocar ao vivo

Deep Purple: Ian Gillan diz que o Brasil é um dos seus lares espirituaisDeep Purple: Ian Gillan diz que o Brasil é um dos seus "lares espirituais"

Guns N' Roses: as 5 músicas mais polêmicas da bandaGuns N' Roses: as 5 músicas mais polêmicas da banda

Ronnie James Dio: Finalmente Bruce Dickinson assumiu que sou um de seus heróisRonnie James Dio: "Finalmente Bruce Dickinson assumiu que sou um de seus heróis"

Rick Bonadio: o que ele pensa sobre cancelamento causado por criticar funk no GrammyRick Bonadio: o que ele pensa sobre cancelamento causado por criticar funk no Grammy

Black Sabbath: Todos os álbuns ranqueados, do pior ao melhor, pela Kerrang!Black Sabbath: Todos os álbuns ranqueados, do pior ao melhor, pela Kerrang!

Metal: de Helloween a Cradle of Filth, as 30 melhores capas de 2021Metal: de Helloween a Cradle of Filth, as 30 melhores capas de 2021

Helloween: 15 grandes músicas da banda gravadas durante a era Andi DerisHelloween: 15 grandes músicas da banda gravadas durante a "era Andi Deris"

The Doors: Acho que Jim Morrison tinha problemas mentais de verdade, diz Robby KriegerThe Doors: "Acho que Jim Morrison tinha problemas mentais de verdade", diz Robby Krieger

Metallica: Trujillo conta quem ele mais admira no MMA; sim, é uma mulherMetallica: Trujillo conta quem ele mais admira no MMA; "sim, é uma mulher"

Brian May: após quase ser cancelado, guitarrista pede desculpas por comentáriosBrian May: após quase ser cancelado, guitarrista pede desculpas por comentários

Despedidas: os últimos trabalhos gravados por grandes nomes do heavy metal - Parte 1Despedidas: os últimos trabalhos gravados por grandes nomes do heavy metal - Parte 1

Metallica: Sebastian Bach achou os caras muito feios, e por isso comprou o disco na horaMetallica: Sebastian Bach achou os caras muito feios, e por isso comprou o disco na hora

Mamonas Assassinas: a história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloideMamonas Assassinas: a história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloide


Stamp

Marilyn Manson: "Em um momento eu queria desistir da música!"

Por Rafael Tavares
Fonte: Blabbermouth
Em 03/05/07

MARILYN MANSON foi o convidado na estréia da temporada do The Henry Rollins Show no canal Independent Film Channel (IFC) na sexta-feira, 13 de Abril. A seguir a transcrição da entrevista, feita pelo MansonUSA.com.

Henry Rollins: Você esteve fora da música por um tempo?

Marilyn Manson: Foi um período estranho. Eu passei por um momento 'Ziggy Stardust' onde eu queria desistir da música. Eu não tinha interesse em fazer isso porque a indústria musical chegou a um ponto onde eu simplesmente me sentia completamente insatisfeito, desinteressado. Algo muito 'objeto', meio que como um produto, basicamente um clichê do que as pessoas deveriam sentir. Mas eu simplesmente não me sentia inspirado e então eu me afundei num estranho buraco negro onde eu realmente não sabia o que queria fazer, e eu perdi a identidade, como se eu não soubesse quem eu era, pois eu realmente não tinha nada, porque eu sempre me identifiquei pessoalmente por aquilo que eu fazia e meu maior medo sempre foi não ser capaz de criar e eu quase cheguei a esse ponto. Eu cheguei a este ponto por alguns meses, onde eu acho que nunca havia chegado, fiquei tão perdido, e coisas diferentes mudaram, pessoas diferente em minha vida mudaram, as coisas se deslocaram e eu escrevi uma música e então isso tornou-se, talvez, o álbum mais rápido no qual eu já trabalhei.

Este é o disco que eu sempre quis fazer mas nunca havia feito. Eu não tenho certeza se este álbum é muito 'americano', especificamente. É provavelmente o mais autobiográfico. O ponto central é tentar encontrar uma conexão. É o sentimento definitivo de que você quer ser parte de alguma coisa, que você é importante. A coisa toda é você querer ser, se sentir como parte de alguma coisa. Então, desta forma, é como se compreendesse minha vida inteira, se eu tivesse que analisar objetivamente. Eu não acho mais que é a minha visão do resto do mundo. Sou eu falando coisas sobre mim mesmo, que talvez eu fosse muito tímido ou reservado para falar. Isto realmente irá afastar as pessoas um pouco. É muito Rock and Roll. É muito 'não-tecnológico', soa muito voltado para a música.

Depois de ter sobrevivido a Columbine (nota: massacre ocorrido em Colorado, EUA, onde dois jovens mataram vários colegas de classe e depois se mataram; Manson foi acusado de 'influenciar' esses jovens com suas músicas) eu cheguei ao limite daquilo que você pode tolerar, pois aquilo foi realmente a pior coisa. Hollywood e as pessoas olhavam torto para mim, como se eu tivesse feito algo errado, tipo, 'que porra é essa? O que você está fazendo?'. Eu simplesmente aprendi a lidar com isso. Eu tive que me mudar de L.A. e fui para Chatsworth. Não entrei mais em contato com a mídia. Eu me recusava a fazer isso. Eu recebia ofertas de todo mundo, até que Michael Moore (nota: cineasta criador do documentário Tiros em Columbine, sobre o tal massacre ocorrido em 1999) me entrevistou. Isso não aparece em 'Tiros em Columbine' mas eu voltei a Denver pela primeira vez desde então quando estive no Ozzfest no Mile High Stadium.

Nós tivemos centenas, centenas de ameaças de morte então eu pensei, 'se eu for morrer será hoje porque é o Mile High Stadium, eles não vão conseguir impedir se alguém quiser dar um tiro', então, quando eu entrei no palco, eu tive que decidir, eu não consigo viver sem fazer o que faço então eu tenho que aceitar o fato de que eu vou morrer por isso se hoje for o dia e… foi um ótimo show. É óbvio que eu não morri.

Mas quando eu fiz aquela entrevista, não havia um nome para o documentário, ainda não tinha chegado àquele ponto. Eu falei com ele (Michael Moore) por cerca de duas horas e meia e várias coisas que ele disse na segunda parte do documentário foram coisas que eu disse pra ele mas que abriram uma janela para me reintroduzir ao mundo, (me apresentando) de uma maneira que mostrou que as pessoas ainda não haviam me entendido antes.

E se eu fosse pago por cada vez que alguém chegasse pra mim num aeroporto, ou qualquer lugar, dizendo 'eu te vi em Tiros em Columbine'... a coisa mais comum que eu ouço é, 'eu não sabia que você era tão inteligente'. E eu digo, tipo, 'eu não sabia que você era tão idiota, mas eu não te conheço' saca? Mas no fim... é tipo um tapinha nas costas.

As pessoas me perguntam o que eu acho disso (o documentário) e eu, é claro, gostei de como eu fui envolvido (no documentário), algo que o filme não mostrou. Tem muita coisa lá que eu queria que o filme respondesse e ele não respondeu. Finalmente, eu gostei do que o filme fez mas até onde o tema de verdade importa e as respostas que me deixaram obcecado, porque eu me tranquei em um sotão por três meses, e eu não queria falar com ninguém porque eu tive mede de ser morto; então eu queria muitas respostas e eu não as obtive; mas isso é algo diferente.

Henry Rollins: O que te assusta na América hoje?

Marilyn Manson: O que me assusta, é como o homem comum pode ser manipulado, o quão longe o governo por ir, o quão longe até podermos chegar em George Orwell (nota: escritor e jornalista, autor de livros como "Revolução dos Bichos" e "1984"). Tem tanta gente que sabe e fala sobre isso. Entretanto muitas pessoas irão assistir ao seu show e saber disso e concordar com você, que assistem Bill Maher (nota: comediante), 'Tiros em Columbine', e você pensaria, se todas essas pessoas fizessem algo a respeito, porque estaríamos na mesma posição? Então, é assustador ver que esse direito é muito controlado.

Se as pessoas realmente parassem para pensar em quanta arte e pessoas criativas moveram o mundo contra a política e religião, não seria nem justo debater. Um artista, pelo menos, cria coisas, coloca coisas no mundo, enquanto essas outras pessoas estão destruindo coisas, tirando coisas do mundo. Esse sempre foi o ponto da política, de reprimir isto pois eles têm medo, e eles sabem disso.

Henry Rollins: Quão importante a pintura é para você hoje?

Marilyn Manson: Nos últimos meses eu não tenho pintado pois tenho cantado. Mas sempre foi uma saída. Especificamente, se eu estou frustado, ao invés de passear ou assistir TV ou alguma coisa, eu iria pintar. Arte degenerada e a era Dadá, eles faziam isso (arte degenerada) no senso do Punk Rock. Que foi o Punk Rock original. Riscos de vida. Em ser um escritor, se você quer ser único, você sempre tem que dizer alguma coisa que outra pessoa não esteja falando. Até mesmo pra se considerar um escritor, você tem que ser controvérso, caso contrário… você não estará fazendo nada. Eu sempre quis levar as coisas um passo à frente, onde eu sentia como se tivesse pondo em risco minha segurança pessoal, minha reputação pessoal, para defender o que eu digo.

Henry Rollins: Como você espera ser lembrado?

Marilyn Manson: Eu sempre pensei nisso e a resposta mais fácil sempre foi, 'até aonde eu possa ser lembrado', mas no fim das contas não é bem isso em que eu acredito. Como escritor, seja escrevendo músicas ou livros, ou simplesmente dizendo o que eu acredito em um quadro, tanto faz, eu só quero ser lembrado como alguém que tomou um tempo e se arriscou por aquilo que acreditava, que arriscou sua vida para colocar aquilo no mundo. Alguém que acima de tudo era um artista. Eu realmente gostaria de ser capaz de… eu não me sinto desconfortável dizendo isso, mas lembro de quando estava crescendo, dizer que você é um artista soava pretencioso, agora é uma das únicas coisas dígnas as quais você pode se considerar.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

WhatsApp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Marilyn Manson: investigadores cumprem mandado de busca e apreensão na casa do músicoMarilyn Manson: investigadores cumprem mandado de busca e apreensão na casa do músico

Marilyn Manson: Grammy defende indicação a prêmio e desconsidera acusações de assédioMarilyn Manson: Grammy defende indicação a prêmio e desconsidera acusações de assédio

Marilyn Manson: ele cogita oferecer acordo às mulheres que o processam, diz advogadoMarilyn Manson: ele cogita oferecer acordo às mulheres que o processam, diz advogado

Marilyn Manson: de suásticas a tortura, reportagem detalha supostos abusos sexuaisMarilyn Manson: de suásticas a tortura, reportagem detalha supostos abusos sexuais

Marilyn Manson: ele realmente se converteu ao cristianismo? Assessor se manifestaMarilyn Manson: ele realmente se converteu ao cristianismo? Assessor se manifesta

Marilyn Manson: ele surge rezando e cantando louvores com Kanye West e Justin BieberMarilyn Manson: ele surge rezando e cantando louvores com Kanye West e Justin Bieber

John 5: única vez que bebeu na vida foi com Dimebag; foi como uma facada no estômagoJohn 5: única vez que bebeu na vida foi com Dimebag; "foi como uma facada no estômago"

Marilyn Manson: um dos processos por estupro contra ele é indeferido; cabe recursoMarilyn Manson: um dos processos por estupro contra ele é indeferido; cabe recurso


Kiss: quatro gays em máscaras de Halloween, diz Marilyn MansonKiss: quatro gays em máscaras de Halloween, diz Marilyn Manson

Marilyn Manson: cantor recebeu carta de Charles MansonMarilyn Manson: cantor recebeu carta de Charles Manson

Noisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metalNoisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metal


Guns N' Roses: Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica, odeia a banda?Guns N' Roses
Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica, odeia a banda?

Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUATúmulos
Alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA


Sobre Rafael Tavares

Nascido em 1987, descobri o rock and roll já cedo, aos 6 anos de idade, quando ouvi "I Don't Care About You" com o Guns N' Roses em algum momento de 1993. De lá pra cá minha paixão pela música pesada e, especialmente pelo Guns N' Roses (que estará para sempre marcado em minha pele, alma e coração) cresceu exponencialmente. Sebastian Bach me fez querer virar cantor e o resto é história. Produtor fonográfico, formado em Letras e professor. Tão diversificado quanto o Rock and Roll, essa é minha vida, esse é meu clube. =D

Mais informações sobre

Mais matérias de Rafael Tavares.