Savatage: mais declarações de Jon Oliva sobre fim da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Renato Alves, Fonte: Metal-Temple
Enviar correções  |  Comentários  | 

O líder do Savatage, Jon Oliva, deu mais declarações sobre o encerramento das atividades da banda ao site grego Metal Temple.

407 acessosFrontiers Music: Projeto com Caffery, Owens, Di Giorgio e Zonder5000 acessosDerek Riggs: "Eddie vende mais do que Mickey Mouse"

Não lhe toca o fato de que vários fãs ao redor do mundo sintam falta do Savatage?

Do que eles sentem falta? A única coisa que podem ter saudades é do nome, pois os álbuns que estou fazendo agora seriam do Savatage se estivéssemos juntos e não houvesse o Trans-Siberian Orchestra. A única diferença é que temos Mat Laporte tocando guitarra ao invés de Chris Caffery. Mas no álbum "Handful of Rain" por exemplo, eu toquei todas as guitarras, exceto as partes de Alex Scolnick. Então, não havia ninguém da banda naquele álbum além de mim e Zak cantando. E muitas pessoas chegam para mim e dizem que aquele é o melhor trabalho do Savatage. Todos os instrumentos, exceto os solos de guitarra, foram tocados por mim.

Mais uma vez, a morte de Criss significou o fim do Savatage. Tudo que fizemos foi tentar nos manter juntos para manter a música dele viva. Ninguém queria dizer "vamos esquecer isso", mas chegamos a um ponto em que já foi o suficiente. Os verdadeiros fãs do Savatage deveriam ouvir o que estou fazendo agora, pois é basicamente a mesma coisa. É apenas um nome diferente. Faço isso em respeito ao nome e à banda. Não chamarei de Savatage porque não é o Savatage. São caras diferente. Não são Criss Oliva e Steve Wacholz, sou eu e pessoas diferentes. Mas ainda é minha música, meu som, minha voz. Claro, no novo álbum do Jon Oliva's Pain há músicas co-escritas por Criss, e isso é o mais próximo possível do Savatage. Teremos músicas de Criss e Jon Oliva, com Jon Oliva cantando... me sinto mal pois achei que as pessoas entenderiam isso...

Você não poderia ter ao mesmo tempo o Trans-Siberian Orchestra, Jon Oliva’s Pain e o Savatage, mesmo que esse último não fosse tão constante como as pessoas desejam?

Sabe porque não? O Trans-Siberian Orchestra está tão ocupado que nos toma um ano inteiro. Se fôssemos fazer algo com o Savatage teríamos que dar um tempo longo de parada com o TSO, pois as duas bandas não podem co-existir ao mesmo tempo. Isso deveria ser óbvio, visto que não há um álbum novo do Savatage desde 2001. É porque o TSO toma o tempo de todo mundo! A única razão pela qual posso fazer o JOP é porque não saio em turnê com o TSO. Apenas trabalho no estúdio e escrevo as músicas, não faço a turnê de Natal e os outros compromissos.

São 4 meses de tour e o resto do ano em estúdio, promoções televisivas, é um caos! O TSO foi a oitava banda que mais faturou no mundo ano passado. É como um grande trem andando fora de controle e atropelando tudo que há em seu caminho. Não posso chegar e dizer aos caras "vamos parar tudo e fazer um disco do Savatage". Seria motivo de risadas e seria expulso da sala. Não é que eles não gostem do Savatage, são negócios. Se você trabalhou durante 25 anos em um negócio para finalmente chegar ao ponto onde pode se sustentar, não vai abandonar para fazer algo que nunca vendeu.

O Savatage nunca vendeu muitos discos. Temos um público de talvez 250 mil pessoas ao redor do mundo, mas isso nunca trouxe vendas expressivas para todos na banda terem uma boa vida financeira. Todos, exceto por mim, tinham empregos regulares quando o Savatage não estava tocando. E acredite, agora ninguém mais faz isso.

Mas vocês fizeram tudo de coração...

Claro que sim! Não estávamos ganhando nenhum dinheiro. Amávamos a bada, queríamos tocar, continuar juntos. Por isso fizemos tudo. Ficamos frustrados quando fizemos o disco "Dead Winter Dead", e tínhamos uma música que poderia ser número 1 mas as rádios não tocavam porque era o Savatage.

Um ano depois lançamos a mesma canção pelo TSO e chegou ao número um nos Estados Unidos. Vendemos milhões e mais milhões de discos, e isso é um chute no traseiro em relação ao Savatage. As pessoas do mercado musical tinham um problema com o Savatage. Não tocávamos nas rádios, não aparecíamos na MTV, não conseguíamos fazer turnês, não conseguíamos nada! Tudo que podíamos fazer é organizarmos as tours sozinhos e perder dinheiro, mas seguirmos tocando. E foi o que fizemos - após a morte de Criss -, tudo que fizemos nos custou dinheiro.

Nunca ganhamos um centavo. E ficamos juntos o quanto pudemos, até que o TSO estourou. Pensávamos "uau, sabemos que isso é o Savatage, todos sabem que é o Savatage, mas não chamamos de Savatage por ser o TSO". Foi o que tivemos que fazer para ter a nossa música ouvida pelas massas. E funcionou! Infelizmente nos custou o Savatage, mas o que poderíamos fazer? Não tenho mais 25 anos. Tenho uma família para cuidar. O Savatage me deve pessoalmente mais de 1 milhão de dólares, e sei que nunca verei esse dinheiro de volta.

Verdade?

Esse é o dinheiro que tirei do meu bolso desde 1985 para investir na banda em gravações, vídeos, shows, ônibus de turnê... me devem mais de um milhão. Se alguém lhe devesse essa quantia você estaria batendo na porta dele gritando "ei filho-da-puta, onde está meu dinheiro?" (risos). Se as pessoas não entendem, isso me incomoda. Esperam que eu esqueça esse milhão e continue tocando para que possam ir a um show do Savatage... pessoal, preciso viver também!

Entendo o que você está dizendo, mas espero que entenda que os fãs estão loucos para saber novidades...

Oh, cara, amo todos eles. Não me entenda mal. Amo todos os fãs do Savatage. Não conseguiria agradecer por todo o apoio que me deram durante todos esses anos. Só queria que soubessem que estou fazendo tudo que é possível para lhes dar música da melhor maneira. A razão pela qual não chamo o JOP de Savatage é por esse respeito deles para conosco e vice-versa. Mas se você é um fã deveria escutar o que estou fazendo, pois infelizmente é o que terão agora. É isso.

Há alguns anos você me disse que haveria uma tour de aniversário (25 anos) do Savatage...

Sim, estamos negociando. Diria que dentro de um ou dois anos isso pode acontecer. Paul O'Neil quer muito fazer isso e quer desenhar um show completo. Isso seria provavelmente a última coisa que o Savatage faria. Portanto, queremos que seja especial e feito da maneira correta.

Você acha que todos que passaram pela banda gostariam de fazer isso?

Sim, todos estão comprometidos a fazer. Até Alex Scolnick tocaria as músicas de "Handful of Rain". Steve Wacholz faria parte disso. Todos que tiveram algo a ver com o grupo. Temos algumas idéias especiais, muitas filmagens que gostaríamos de usar...

Lances teatrais também?

Sim, Paul quer isso também.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

407 acessosFrontiers Music: Projeto com Caffery, Owens, Di Giorgio e Zonder867 acessosTrans-Siberian Orchestra: Intoxicação matou Paul O'Neill0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Savatage"

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1983

Acidentes de carroAcidentes de carro
Roqueiros que também perderam a vida na estrada

Parcerias BrilhantesParcerias Brilhantes
Duplas que marcaram história

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Savatage"

Derek RiggsDerek Riggs
A história por trás do mascote da Donzela de Ferro

Feias que me perdoemFeias que me perdoem
Musas do Rock e Heavy Metal

PoeiraPoeira
A fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

5000 acessosSlipknot: como são os membros da banda sem as máscaras?5000 acessosGuns N' Roses: transtorno bipolar, a doença de Axl Rose5000 acessosGarimpeiro das Galáxias: Beldades globais e sua paixão pelo rock4959 acessosGuns N' Roses: reunião não aconteceu por dinheiro, diz guitarrista5000 acessosAndreas Kisser: Max e Igor hoje são "pessoas totalmente diferentes"5000 acessosJudas Priest: As 10 melhores músicas segundo o Loudwire

Sobre João Renato Alves

27 anos, jornalista formado pela Universidade de Cruz Alta. Kissmaníaco inveterado, um verdadeiro apaixonado pela banda de Gene Simmons e Paul Stanley. Idolatra com quase a mesma paixão Queen, Van Halen e Black Sabbath. Aprecia desde o Rock dos anos 50 (Elvis, Little Richard, Chuck Berry, entre outros) e 60 (Beatles, Rolling Stones, The Who, Led Zeppelin...), Hard Rock dos 70's (AC/DC, Deep Purple, Alice Cooper...) e 80's (Mötley Crüe, Def Leppard, Europe, Talisman...), Metal Tradicional (Judas Priest, Dio, Ozzy...), NWOBHM (Iron Maiden, Saxon, Angel Witch...) e Thrash oitentista (Slayer, Destruction, Kreator...). Já teve um programa de rádio, chamado "Lavagem Cerebral", na Unicruz FM. Solteiro e seguidor das idéias de Gene Simmons em relação ao casamento.

Mais matérias de João Renato Alves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online