Atomica: Francis fala sobre novos projetos e sobre o passado

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  

Por Paulo Finatto Jr.

Edição: Thiago Pinto Corrêa Sarkis

Se você é um jovem fã de metal que pouco vivenciou a década de oitenta, certamente não deverá reconhecer esta banda brasileira. O Atomica, depois de treze anos fora da cena, está voltando, mantendo viva a essência do seu thrash metal no registro ao vivo "Back And Alive", lançado pela Hellion Records. Se um dia a banda foi um dos ícones do nosso underground, hoje o Atomica tenta reconquistar o seu espaço, tanto aqui no Brasil como no exterior, além de cultivar uma nova safra de fãs. Tivemos o privilégio de conversar diretamente com o guitarrista João Márcio Francis, que não apenas nos deu detalhes sobre os atuais projetos da banda, como também nos contou mais sobre o passado do Atomica.

publicidade




Whiplash! - Em primeiro lugar, porque o grupo mudou de nome, passando a se chamar Atomica, com um "t" a menos? Já existia outra banda chamada Attomica?

João Márcio Francis / Desconheço a existência de qualquer outra banda chamada Attomica. A banda resolveu apenas simplificar a escrita do nome, acabando com o problema de comunicação com a imprensa e mídia não especializada. O que importa pra nós é a fonética, que continua a mesma.

publicidade

Whiplash! – Vocês estão voltando à ativa depois de treze anos longe dos trabalhos. Por que a banda teve que interromper suas atividades após o lançamento de "Disturbing The Noise" (1991)? E por que vocês resolveram voltar?

João Márcio Francis / Nós atingimos tudo que se podia imaginar em termos de Brasil. Fizemos vários shows, videoclipe para a MTV, enfim tudo. Só que uma banda não sobrevivia só de Brasil. Daí tentamos uma turnê na Europa, que não rolou, e acabou desanimando a gente, a ponto de pararmos com as atividades da banda. Sobre a volta, foi porque descobrimos que a banda merecia uma segunda chance. Estamos muito mais maduros agora, e temos muita coisa pra passar pra essa galera nova e também para o pessoal que nos acompanhou na primeira fase.

publicidade

Whiplash! - O retorno de vocês aconteceu com o disco ao vivo "Back And Alive", lançado em 2004. Como vocês fizeram para gravar um disco ao vivo, considerando todas as dificuldades encaradas por uma banda underground para alcançar um resultado satisfatório em registros como este?

João Márcio Francis / É verdade, tem que se fazer milagre no underground, mas vamos ao ponto: nós levamos um estúdio móvel para o local do show, e deixamos a captação na mão do nosso técnico de P.A.. Quando ouvimos a gravação no estúdio dele umas duas semanas depois, olhamos um pro outro e não tivemos dúvida, decidimos fazê-lo. A partir daquele momento, começamos a trabalhar na edição e mixagem, porém o grande lance desse disco é que ele conseguiu captar a energia positiva que rolou no show, que foi o primeiro depois da volta da banda. Além disso, o nosso técnico é uma cara de muito talento, já que fez praticamente tudo na pós-produção. A gente só acompanhou o processo.

publicidade

Whiplash! - Existe um porquê especial de o disco ter sido gravado na cidade natal de vocês, São José dos Campos (SP)?

João Márcio Francis / Sim, pois a gente sabia que podia contar com o carinho do público de casa. Imagine só você ficar um tempão fora de cena e voltar de cara em São Paulo ou Rio de Janeiro! Primeiro a gente queria conquistar a confiança do pessoal da nossa região para depois voltar a desbravar as outras cidades. Foi como um time de futebol que precisava da primeira vitória em casa.

publicidade

Whiplash! - Obviamente que o público de hoje do Atomica certamente não é o mesmo da década de oitenta, já que os fãs de metal estão sempre se renovando. Há muitas diferenças entre o público que vocês começaram a ter no final dos anos 80 e o público de hoje?

João Márcio Francis / Existem diferenças sim, mas muita coisa em comum. A maior diferença do público de hoje, que por sinal é muito positiva, é que ele não é tão radical quanto o que a gente teve nos anos oitenta. O pessoal hoje tem acesso fácil a informação pela Internet, são mais críticos no quesito qualidade, mas são da paz, curtem de tudo, muito legal. Já o público antigo, bem mais radical, tinha também uma característica marcante, a paixão absoluta pelo metal e muita energia para com as bandas durante os shows.

publicidade

Whiplash! – "Back And Alive" foi lançado pela Hellion Records. O próximo disco de vocês, de estúdio, também sairá por esta mesma gravadora?

João Márcio Francis / Sim, a Hellion está bastante otimista quanto a esse novo CD, fato que nos deixa ainda mais motivados a fazer o melhor álbum lançado pelo Atomica até agora.

Whiplash! - E por falar no novo disco de estúdio, vocês podem nos adiantar alguma informação sobre ele? Já há alguma previsão de lançamento?

João Márcio Francis / As gravações estão programadas para junho e julho de 2005. O lançamento vai depender da produção, pois a intenção é lançar um álbum de primeiro mundo, com um produtor de renome, masterização no exterior, fotos, capa, e tudo que temos direito para assinar de vez o nome do Atomica no cenário do thrash metal mundial.

publicidade

Whiplash! - Depois de tanto tempo de lançamento, que tipo de repercussão os discos "Attomica", "Limits Of Insanity" e "Disturbing The Noise" tiveram para a época, tanto a nível de Brasil, como de exterior?

João Márcio Francis / A repercussão foi a melhor possível, dentro das condições da época. O "Attomica", que foi um lançamento independente, teve um enorme reconhecimento, e foi responsável por fazer o nome da banda no país e até no exterior. O "Limits Of Insanity" não teve muito alcance, apesar de ter sido o primeiro com gravadora. Mesmo assim foi reconhecido pelo público nacional, holandês e alemão. O "Disturbing The Noise" é a melhor produção da banda até então, e obteve o maior reconhecimento em todos os aspectos. Esse disco chegou a ganhar a nota 9.0 na revista Burrn do Japão!

Whiplash! - E agora com o retorno de vocês, não seria uma boa para esta "nova safra" de fãs que vocês relançassem os três primeiros discos? Hoje em dia acredito que só seja possível encontrá-los em LP, certo?

João Márcio Francis / Com certeza, mas o "Disturbing The Noise" já foi relançado em CD, com foto inédita e duas faixas de bônus! Foi uma iniciativa da Cogumelo Records, como parte da série Remasters de 2004. Quanto aos demais, ainda encontram-se em LP, porém muito raros. Posso adiantar que a própria Hellion pretende lançar o primeiro LP em CD. Vamos aguardar!

Whiplash! - Algo curioso é que "Back And Alive" não conta com nenhuma música do "Limits Of Insanity". As músicas daquele álbum não seguem mais a perspectiva de trabalho do Atomica hoje ou existe algum outro motivo?

João Márcio Francis / Exatamente isso! Você matou a questão. As músicas do "Limits Of Insanity" divergem da proposta musical definitiva do Atomica, iniciada no "Disturbing The Noise". Até que façamos versões atualizadas das músicas deste álbum, não iremos adicioná-las em nosso repertório.


Whiplash! - Na era da Internet a divulgação de bandas é facilitada e rapidamente todos conhecem os nomes dos membros, têm acesso aos discos, etc.; algo que não acontecia no início de carreira de vocês há duas décadas. Porém, isto implica uma visão menos underground da nossa cena, já que o número de fanzines impressos, cartas e demos em K7 diminuíram significativamente. Como vocês lidam com esta mudança, digamos, radical em termos de divulgação, público, fãs, imprensa?

João Márcio Francis / Da melhor maneira possível. Na minha opinião, mudou pra melhor! Os fanzines migraram para webzines, as cartas para e-mails e as demos viraram CDs. Isso é ótimo. Estamos gostando muito, pois nosso site tem sido muito bem visitado e reconhecido, e a nossa caixa de e-mails vive lotada de mensagens, pedidos de compra de CDs e camisetas, entrevistas para revistas e zines do Brasil e do exterior. Tá muito bom assim. Não mexam!!!

Whiplash! - Para finalizar, peço a você que deixe uma mensagem para os visitantes e fãs do Atomica que acompanharam esta entrevista aqui no Whiplash!.

João Márcio Francis / Primeiramente gostaria de mandar uma abraço a todos e dizer que estamos de volta e muito vivos. Pretendemos resgatar a melhor essência do metal nesse novo CD e temos certeza que vocês gostarão e muito! Valeu galera! "The real metal resistance!!!". Acessem também nosso site: www.atomicaband.com.

Site Oficial – http://www.atomicaband.com

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Raul Seixas: qual a origem da música Gita?Raul Seixas
Qual a origem da música "Gita"?

Vocalistas: Os 10 melhores da história do rockVocalistas
Os 10 melhores da história do rock


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin