Eminence: Rota similar a de outros conjuntos de sucesso no Brasil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  


O Eminence está lançando agora, neste mês de Fevereiro, na Europa e no Japão, seu novo e esperado álbum, "Humanology". Datas para shows já estão marcadas no velho continente, tendo como primeiro alvo a Suíça.

publicidade

No Brasil, a banda poderá ter sua grande oportunidade, agora "escoltada" pela Paradoxx Music, a qual lançará o novo petardo por aqui em Abril. Como podemos ver, a rota deles é similar a de outros conjuntos de sucesso no Brasil e no Mundo. Saem de seu próprio país sem o devido reconhecimento, recebem-no lá fora, e voltam à terra natal para finalmente checarem os resultados e a repercussão de seu trabalho perante seus compatriotas. "Sad But True" diriam os finados!

publicidade

Resolvemos, em meio ao fusué do lançamento no exterior, saber mais detalhes sobre as gravações do disco, a experiência de trabalhar com Neil Kernon, além de um breve faixa a faixa nos trazendo mais informações do que está por vir e aquilo que podemos esperar de "Humanology".

Por Thiago Pinto Corrêa Sarkis

publicidade

Site Oficial do Eminence – http://www.eminence.com.br

Whiplash! - O novo álbum "Humanology" sai em Fevereiro em toda a Europa e no Japão. Como você vê este novo disco em relação aos outros álbuns do Eminence?

Alan Wallace / Eu acho o HUMANOLOGY o melhor trabalho que já fizemos até agora, é um álbum pesado e mais moderno do que o anterior Chaotic System, este é um trabalho bem conceitual sobre a mente humana .

publicidade

Whiplash! - A Paradoxx Music estará distribuindo o álbum no Brasil a partir de Abril. Quais são as expectativas da banda em relação a este lançamento por aqui?

Alan Wallace / A Paradoxx tem uma boa distribuição aqui e isto vai ajudar bastante a divulgação do álbum. Estamos com todas as expectativas positivas e esperamos que todos gostem do novo trabalho. Eu acredito que agora possamos ter uma oportunidade maior de mostrar a nossa música.

publicidade

Whiplash! - O Eminence está embarcando para mais uma turnê no exterior. O que vocês estão preparando desta vez e como acham que "Humanology" vai funcionar ao vivo?

Alan Wallace / No ano de 2002 quando estávamos escrevendo o Humanology tivemos a oportunidade de fazer um show em Belo Horizonte , onde testamos as músicas novas e logo depois fomos para o Rock Al Parque na Colômbia, um dos maiores festivais da América Latina, nós tocamos para 200 mil pessoas e o resultado foi super positivo. Iremos começar a turnê na Suíça onde temos bastantes fãs e espero que eles gostem também.

publicidade

Whiplash! - Ainda sobre esta questão do exterior que tratamos. Como o Eminence começou essa carreira lá fora? E qual a diferença que vocês percebem entre o tratamento dado à banda no exterior e aqui no Brasil?

Alan Wallace / Nós começamos em 1998 depois que fizemos a abertura do show do Mercyful Fate. O Tour manager do Mercyful gostou do Eminence e nos convidou para irmos para a Holanda. No começo foi muito difícil, pois não tínhamos suporte algum, mas valeu a pena, pois se não fosse esta ida da banda para a Holanda, acredito que não estaríamos fazendo turnês. O público brasileiro é o melhor, somos mais agitados do que os Europeus e o tratamento dado à banda na Europa é muito bom. Temos muito apoio da mídia internacional que abriu muito as portas para o Eminence. Nós já tocamos em alguns festivais como Skol Rock aqui no Brasil, Rock Al Parque Colômbia. Temos mais reconhecimento no exterior do que aqui no Brasil. Eu acredito que com este novo álbum poderemos ter um alcance maior da nossa música para o grande público do gênero.

publicidade

Whiplash! - Vocês trabalharam neste álbum com o produtor Neil Kernon (Nevermore, Queensryche, Cannibal Corpse, Dokken, Kansas, entre outros), um dos grandes nomes em termos mundiais. Há algo que vocês e Kernon quiseram colocar de especial e diferente neste álbum? Como é para vocês trabalhar com um produtor tão reconhecido e como se iniciou essa parceria?

Alan Wallace / Na verdade foi a primeira vez que trabalhamos com um produtor de peso como o Neil. Nós trabalhamos juntos na pré -produção do cd e decidimos que seria um álbum mais moderno e com timbres diferentes de guitarra e bateria. Nós usamos alguns samplers também. O resultado final foi muito incrível. Foi uma das melhores experiências que eu já tive com o Eminence gravar no exterior e com um produtor como o Neil Kernon. Eu o conheci em Chicago em 2001, depois disto nós ficamos mantendo contato até que surgiu o momento de trabalharmos juntos.

Whiplash! - É muito fácil procurar por algo relacionado ao Eminence e ver o nome do Sepultura por perto. Estas comparações são até naturais, já que este é, hoje ao lado de Angra e Krisiun, o maior ícone que o Brasil tem em termos de metal. Porém, o excesso de comparações não incomoda às vezes? Como vocês lidam com isso?

Alan Wallace / Eu acho que sempre haverá comparações principalmente porque o Jairo é um ex- Sepultura. Mas eu acredito que quando a crítica escutar HUMANOLOGY vai ver que não tem nada ver com o trabalho deles. Para te falar a verdade as comparações e rótulos não incomodam.

Whiplash! – O nome da banda acaba trazendo à mente, de alguma forma, o rapper Eminem. Vocês já tiveram alguma dificuldade por causa disso? Como surgiu o nome da banda?

Alan Wallace / O nome Eminence surgiu de um sonho que eu tive em 1994, onde eu estava num palco e quando eu olhei para traz tinha um pano de fundo com o escrito EMINENCE. Nós nunca tivemos dificuldades com o nome e não acredito que no futuro podemos ter. As palavras são parecidas, mas a pronúncia em inglês é diferente, assim diferencia um pouco EMINEM de EMINENCE.

Whiplash! - Vamos a um breve faixa-a-faixa de "Humanology"...

Whiplash! - B.O.H

Alan Wallace / Esta é a introdução do álbum.

Whiplash! - EVOLUTION

Alan Wallace / A Evolution fala da Evolução do Homen através da Tecnologia, mas mostra que somos escravos do nosso próprio invento.

Whiplash! - OVERLOAD

Alan Wallace / É uma das minhas favoritas, com uma letra forte que fala de pessoas que não sabem o que querem da vida, mas sempre querem levar vantagem sobre os demais. Na verdade fala sobre ganância e sobre a incompetência de certos indivíduos.

Whiplash! - HUMANOLOGY

Alan Wallace / Faixa título. Ela tem riffs marcantes e em um tema interessante que é a abstinência da verdade.

Whiplash! - CITIZEN ZERO

Alan Wallace / É a única faixa que tem solos de guitarra, nós iremos gravar o Vídeo Clip desta música na Suíça agora no final de julho 2004.

Whiplash! - 6IX DEGREES

Alan Wallace / Esta é a maior música que já fizemos até hoje, ela tem 6 minutos e o tema principal é a influência externa nas decisões dos seres humanos.

Whiplash! - GREEN SPIRIT

Alan Wallace / São sons da natureza, que abrangem o desmatamento e o sofrimento.

Whiplash! - GREEDY AS A PIG

Alan Wallace / Uma homenagem aos nossos políticos.

Whiplash! - LIKE I HATE YOU, LEECH 9, THE FREAK I BECOME, CREEP, DEMOCRASICK, 145, HAWKING RADIATION, COWARD

Alan Wallace / Todas estas músicas falam da paranóia dos seres humanos, o lado negativo e positivo e certos fatos que acontecem do mundo e que somos contra.

Whiplash! - O espaço é todo seu. Mensagens para os fãs, saudações da banda, enfim... vá em frente...

Alan Wallace / Eu gostaria de agradecer o Thiago e a todos do Whiplash! por esta oportunidade e espero que vocês gostem do novo álbum do Eminence. Tudo de bom.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Sepultura e Eminence: Pedro Bial, Badauí (CPM22) e Fred Castro no Música e CervejaSepultura e Eminence
Pedro Bial, Badauí (CPM22) e Fred Castro no "Música e Cerveja"


Gutural: mulheres que fazem vocal em bandas de MetalGutural
Mulheres que fazem vocal em bandas de Metal

Iron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotosIron Maiden
O passado vergonhoso registrado em fotos


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin