Rage: Entrevista exclusiva com o vocalista Peavy.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  


Após uma conturbada mudança de line-up o Rage está gravando um novo álbum chamado "Welcome to The Other Side" que promete ser mais pesado do que seus antecessores "XIII" e "Ghosts". Leia a entrevista com o vocalista e mentor da banda, Peavy Wagner.

publicidade

Entrevista por Debora Behar e Marco Caporasso.

Tradução Debora Behar.

Whiplash! - Vocês estão gravando um novo álbum chamado "Welcome to The Other Side". Você poderia nos falar um pouco dele? Como será o som, etc?

Peavy / Será bem mais pesado que os últimos álbuns. Provavelmente vocês vão lembrar um pouco dos velhos tempos com Manni. Mas é bem maior, mais sinfônico com muita musicalidade. Tem músicas ótimas!

publicidade

Whiplash! - O álbum "Ghosts" é conceitual, você poderia nos explicar um pouco a história que envolve o álbum?

Peavy / A história fala sobre reencarnação. Conta sobre a trajetória de uma alma presa no crepúsculo entre duas vidas e que precisa aprender mais antes de partir para o próximo passo.

Whiplash! - Como foram as vendas desse álbum ao redor do mundo? Vocês ficaram satisfeitos com a aceitação dos fãs?

Peavy / Foi boa, semelhante ao XIII. Não me pergunte números, eu não sei nada sobre a contagem mundial.

publicidade

Whiplash! - Sendo a Alemanha um país de incontáveis boas bandas de heavy metal, você tem planos de participar de algum projeto com alguma outra banda alemã?

Peavy / O Chris do Grave Digger me chamou pra ser um dos "three terrors", uma versão metal do "three tenors". Vamos ver como vai ficar!

Whiplash! - Depois da saída de Manni, os dois outros álbuns do Rage que se seguiram (Black in Mind e End of All Days) tem uma diferente forma de composição. Isso influenciou na aceitação dos fãs?

Peavy / Eu não acho que esses álbuns tem diferentes composições porque eu era e continuo sendo o principal compositor e eu não mudei meu estilo. O que os fãs sentiram falta foi dos excelentes solos de guitarra do Manni que o grego que o substituiu não conseguiu manter...

publicidade

Whiplash! - Existe alguma chance do Manni voltar a tocar na banda?

Peavy / Não, ele não quer voltar para o mercado profissional, nós ainda somos amigos e nos encontramos algumas vezes. Ele está feliz com a família.

Whiplash! - Que tipo de problemas você teve com os integrantes que deixaram a banda, especialmente com Spiros?

Peavy / Não quero falar de problemas pessoais, somente sobre negócios. Eu devo dizer que eles fizeram um péssimo trabalho e não valeram o dinheiro que eu os paguei. Eles não apoiavam o Rage. Todos podemos ficar felizes que eles foram embora...

publicidade

Whiplash! - Você ainda mantém contato com esses integrantes que saíram?

Peavy / Não!

Whiplash! - Eu imagino que depois que eles deixaram a banda você deve ter ficado um pouco desanimado e desapontado com todo o trabalho que vinha sendo feito. Você chegou a pensar em desistir?

Peavy / Nunca pensei em desistir! Porque deveria? Eu formei a banda antes desses caras serem músicos e continuo com a banda depois deles. Além disso, hoje eu tenho a melhor banda que eu já tive em toda minha vida! Porque deveria pensar em desistir?

publicidade

Whiplash! - Você já pensou em regravar as músicas da sua antiga banda, o Avenger, com essa nova formação do Rage?

Peavy / Porque deveríamos fazer isso? Existem tantas novas músicas que queremos gravar...

Whiplash! - Como você encontrou as pessoas certas para reformular a banda?

Peavy / Foram dois telefonemas. Nós (eu e meu empresário) sentamos e pensamos sobre quais seriam os melhores músicos para tocar no Rage. Victor e Mike foram minhas primeiras escolhas - ambos são excelentes! Eu os chamei, tivemos uma sessão e concordamos em sermos o Rage daqui pra frente. Isso foi duas semanas depois dos outros deixarem a banda.

publicidade

Whiplash! - Mike Terrana é um grande baterista que trabalhou com diversos bons músicos de heavy metal como Yngwie Malmsteen, Roland Grapow (Helloween) e Axel Rudi Pell e trabalhou também com ótimas bandas tais como Gamma Ray e Metalium. Você não tem medo que todos esses trabalhos possam afetar o trabalho dele com o Rage?

Peavy / Ele só está tocando no Rage (como integrante da banda). Claro que ambos, Mike e Victor estão livres para tocar em qualquer outro trabalho. Mas estes são somente trabalhos para ganhar um dinheiro extra (como o trabalho do Mike com o projeto solo do Axel Rudi Pell). O trabalho no Rage tem a prioridade.

Whiplash! - E sobre Victor Smolski (filho do famoso pianista russo e ex-Mind Odyssey)? Ele toca em algum outro projeto ou banda?

Peavy / Victor está fazendo diversas outras coisas como artista solo tais como workshops, concertos clássicos com a orquestra do pai dele e coisas assim. Mas ele só está envolvido com o Rage (como membro da banda).

Whiplash! - Victor Smolski trouxe novas influências para a banda?

Peavy / Sim, o Victor é um músico fantástico. O melhor que eu já encontrei, ele é um músico clássico de verdade e um verdadeiro Rock'n'Roller ao mesmo tempo! Ele tem muita experiência de vida, compôs metade do novo material e, eu acho, algumas das melhores músicas que eu já toquei.

Whiplash! - Porque o Rage tem novamente um guitarrista? Não foi esse o motivo principal da saída do Manni? Que você queria um outro guitarrista?

Peavy / Agora com o Victor é diferente porque ele é tão único que não existe mesmo a necessidade de um outro guitarrista! Nos veja ao vivo e você vai saber o que estou querendo dizer. Hoje o Rage soa maior e mais pesado do que antes com dois guitarristas.

Whiplash! - Você está satisfeito com essa nova formação? Você tem planos de chamar outro guitarrista?

Peavy / Nós três estamos muito felizes! Não precisamos de mais ninguém!

Whiplash! - Os antigos fãs sentem falta do peso e da velocidade. Este novo álbum é a continuação do XIII ou tem mais "elementos power" como os antigos?

Peavy / Será bem mais pesado. Embora tenhamos 4 músicas com orquestrações não é muito comercial. As guitarras serão o som dominante.

Whiplash! - Quem toca no "Ghosts"? Eu ouvi que foi composto pelos integrantes que saíram e juntamente com você , mas aí vocês trocaram os músicos. Como vocês fizeram afinal?

Peavy / "Ghosts" foi composto por mim e pelo tecladista convidado e também orquestrador Christian Wolff. Existem algumas poucas idéias vindas dos outros guitarristas. Mas a banda antiga não estava mais envolvida com a composição. Durante as gravações eles saíram, então ambas as formações (a velha e a nova) gravaram no "Ghosts".

Whiplash! - O que vocês acharam da vinda ao Brasil em 97? Vocês esperam tocar na América do Sul novamente?

Peavy / Eu gostei muito, foi uma ótima experiência e eu realmente espero voltar aí com a nova banda, vocês irão adorar! Os fãs daí são bastante entusiasmados e foi um prazer tocar pra eles. Nós vamos tentar fazer com que aconteça novamente.

Whiplash! / O que você sabe sobre a cena metálica brasileira?

Peavy / Não muito - além do Soul Fly e do Angra - Eu não conheço muitos nomes.

Whiplash! - Existe uma grande diferença entre o metal feito nos Estados Unidos e o metal Europeu (principalmente alemão). A que você acha que se deve isso?

Peavy / São dois mercados completamente diferentes. Eu acho que nos Estados Unidos a MTV tem muita influência na audiência e esse tipo de mídia sempre quer ter algo novo. É por isso que eles decidiram parar de promover o metal tradicional.

Whiplash! - A música "Pit And The Pendulum" do álbum "Missing Link" foi baseada em uma estória de Edgar Allan Poe. Você gosta de ler, especialmente Poe, e de escrever músicas baseadas em estórias, livros, etc?

Peavy / Eu às vezes faço isso quando eu acho que o tema da estória é legal. Eu gosto muito também de Lovecraft e uso algumas das suas idéias nas letras das músicas. Eu leio muitas coisas diferentes, não só fantasias...

Whiplash! - Vocês gravaram um cover do Tom Sawyer (Rush). O que você acha sobre essa onda de Tributos que andam sendo lançados? O que você acharia se alguém decidisse gravar um Tributo ao Rage?

Peavy / Eu realmente não gosto desses Tributos. Eu acho que só serve pra fazer dinheiro fácil - quem precisa disso?

Whiplash! - O que você acha sobre a recente cena thrash metal onde bandas como o Annihilator e Destruction estão voltando à ativa e outras bandas como o Metallica e o Megadeth estão mudando de estilo?

Peavy / Todos eles voltam, é uma boa coisa para a cena musical. Sobre o Metallica: Eu tenho a impressão de que eles estão de saco cheio de tudo. Eu não acho que eles tenham muito mais a dizer na música deles.

Whiplash! - Obrigado pela entrevista, deixe um recado aos fãs brasileiros.

Peavy / Obrigado a todos pelo apoio à cena metálica e à nossa banda. Espero vê-los em breve! RAGE ON! Visitem nosso site! Assinem o nosso GuestBook!

http://www.rage-on.de

http://www.victorsmolski.de

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

1988: 99 discos de rock e metal lançados há 30 anos1988
99 discos de rock e metal lançados há 30 anos

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2002Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2002


Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaHetfield
Egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Slash: Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vícioSlash
Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vício


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin