Em 23/06/1995: Mamonas Assassinas lançava o seu único álbum de estúdio

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar Correções  

Em 23 de junho de 1995, a banda brasileira MAMONAS ASSASSINAS lançou o seu primeiro e único disco de estúdio, intitulado simplesmente "Mamonas Assassinas". O álbum, que tem 14 faixas e pouco menos de 40 minutos de duração, se tornou um sucesso rapidamente e fez com que os cinco jovens integrantes se tornassem estrelas da música da noite para o dia.

Sonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejados

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A mistura mostrada no disco é pra lá de eclética: rock, heavy metal, pagode romântico (que era um ritmo muito tocado nas rádios na época), sertanejo, pop e baião. Para temperar tudo isso, letras escrachadas (que falavam de temas variados, como traição, consumismo e imigração) e muito talento, habilidade e versatilidade por parte dos músicos.

As músicas "Vira-Vira", "Pelados Em Santos", "1406", "Mundo Animal", "Lá Vem O Alemão", "Robocop Gay" e "Debil Metal" se tornaram sucesso quase instantaneamente, com a mistura de rock e humor ácido conquistando um público enorme. Aliás, além de muito grande, esse público era variado, já que crianças, adolescentes e adultos se tornaram fãs daqueles cinco rapazes irreverentes. Todo mundo dava um jeito de comprar o álbum, seja em LP, seja em CD ou em K7.

Além de vender como água e tocar em todas as rádios possíveis, o grupo era uma atração disputada pelos programas de auditório transmitidos pelas emissoras de TV, que na época, batiam recordes de audiência. Se hoje parece algo impensável, há 25 anos, as famílias se reuniam na frente do televisor para ver cinco caras fantasiados cantando músicas polêmicas como "Robocop Gay" e agitando uma plateia ensandecida.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Conforme dito no início do texto, o álbum fez com que a banda se tornasse um fenômeno. O disco vendia milhares de cópias por dia, a banda fazia shows em todos os lugares do Brasil e conquistava a todos com simpatia e irreverência. Em questão de tempo, os MAMONAS se tornariam o maior nome da história do rock nacional, ao menos na popularidade, que crescia de maneira assustadora.

Porém, em 2 de março de 1996, a trajetória meteórica dos MAMONAS acabou da forma mais trágica possível. Um acidente aéreo acabou com a vida de todas as pessoas que estavam no avião, incluindo os cinco membros da banda. A tragédia, que por si só já causaria comoção, ganhou tons mais dramáticos pelo fato da banda ter uma legião de fãs muito fiel.

Até hoje, o álbum é ouvido por muitas pessoas, algumas que nem eram nascidas na época do acidente. Quem era fã, ouve e se divide entre a saudade, o saudosismo e uma dúvida: e se os MAMONAS tivessem continuado, onde a banda estaria atualmente?

Aperte o play e volte no tempo!

"Mamonas Assassinas" - MAMONAS ASSASSINAS

Data de lançamento: 23/06/1995

FAIXAS

"1406"
"Vira-Vira"
"Pelados Em Santos"
"Chopis Centis"
"Jumento Celestino"
"Sabão Cra-Cra"
"Uma Arlinda Mulher"
"Cabeça de Bagre II"
"Mundo Animal"
"Robocop Gay"
"Bois Don´t Cry"
"Debil Metal"
"Sábado de Sol"
"Lá Vem O Alemão"

INTEGRANTES

Dinho: vocal
Bento Hinoto: guitarra
Samuel Reoli: baixo
Sérgio Reoli: bateria
Júlio Rasec: teclado




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Mamonas Assassinas: tocando Iron Maiden e Titãs em vídeo de 1994Mamonas Assassinas
Tocando Iron Maiden e Titãs em vídeo de 1994

Em 02/03/1996: o grupo Mamonas Assassinas morria e deixava o Brasil mais tristeEm 02/03/1996
O grupo Mamonas Assassinas morria e deixava o Brasil mais triste


Sonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejadosSonho de Consumo
Os 10 palcos de shows mais desejados

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280