Capas de discos: artes que variam de engraçadas a bizarras - Parte 1

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mário Orestes Silva, Fonte: Lpcoverlover.com
Enviar Correções  

Navegando pelo ótimo site norte americano Lpcoverlover.com, pode-se encontrar algumas capas de discos bastante peculiares, no tocante a humor, estranheza e curiosidades.

A facilidade está no fato da grande maioria ser de capas de álbuns lançados entre as décadas de quarenta a oitenta, uma fase da arte gráfica publicitária musical onde muito ainda estava começando a ser explorado. Aí encontraremos figurinos marcantes, penteados, make up, iluminação, fotografia tradicional, texto e outras coisas que hoje já estão saturadas.

publicidade

Capas de discos: artes que variam de engraçadas a bizarras - Parte 2

Não existe um estilo musical em evidência. Jazz, erudito, rock, blues, infantis, gospel, efeitos sonoros, discursos gravados, piadistas e qualquer outra coisa é possível se encontrar como postagem de vários lugares do mundo. Um detalhe interessante, é que há a categoria brazillian music.

publicidade

Abaixo segue uma sequência selecionada com capas no mínimo, curiosas.

publicidade

Capas de discos: artes que variam de engraçadas a bizarras - Parte 2



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal: as melhores capas do metal no mês de agostoMetal
As melhores capas do metal no mês de agosto

Metal: As melhores capas do metal no mês de julhoMetal
As melhores capas do metal no mês de julho


Capas de álbuns: 30 das piores artes da históriaCapas de álbuns
30 das piores artes da história

Capas de álbuns: As melhores em formato gatefoldCapas de álbuns
As melhores em formato gatefold


Maridos traídos: Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'AnnoMaridos traídos
Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'Anno

Europe: toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl RoseEurope
Toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose


Sobre Mário Orestes Silva

Deuses voavam pela Terra numa nave. Tiveram a idéia de aproveitar um coito humano e gerar uma vida experimental. Enquanto olhavam, invisíveis ao coito, divagavam: - Vamos dar-lhe senso crítico apurado pra detratar toda sua espécie. Também daremos dons artísticos. Terá sex appeal e humor sarcástico. Ficará interessante. Não pode ser perfeito. O último assim, tivemos de levar à inquisição. Será maníaco depressivo e solitário. Daremos alguns vícios que perderá com a idade pra não ter de morrer por eles. Perderá seu tempo com trabalho voluntário e consumindo arte. Voltaremos numas décadas pra ver como estará. Assim foi gerado Mário Orestes. Décadas depois, olharam como estava aquela espécie experimental: - O que há de errado? Porque ele ficou assim? Criamos um monstro! É anti social. Acumula material obsoleto que chamam de música analógica. Renega o título de artista pelo egocentrismo em seus semelhantes. Matamos? - Não. Ele já tentou isso sem sucesso. O Deixaremos assim mesmo. Na loucura que criamos pra vermos no que dará, se não matarem ele. Já tentaram isso, também sem sucesso. Então ficará nesse carma mesmo. Em algumas décadas, voltaremos a olhar o resultado. Que se dane.

Mais matérias de Mário Orestes Silva no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin