Cerveja e Metal: o mosh ganha novos sabores

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Pedro Humangous, Fonte: Hell Divine Magazine
Enviar Correções  

Mesmo que você não seja adepto a uma boa cerveja, é indiscutível que um show de Rock/Metal fica sempre melhor quando acompanhado de uma gelada! O público já começa a encher a lata horas antes dos shows, do lado de fora nas dependências da casa de eventos (isso quando o evento já não acontece dentro de um pub/bar).

publicidade

Antes de continuar, tenho que lamentar por aqueles que, por pura imbecilidade, deixam de entrar só para ficar ali fora comendo coxinha e se embebedando, em vez de entrar e prestigiar as bandas. E que tipo de cerveja a galera mais consome? Normalmente, as mais toscas possíveis (entenda por mais barata) como Skol, Antartica, etc. Mas dá até para entender, o cara gasta menos e pode beber várias, já que são cervejas mais simples e mais leves. Porém, de uns tempos para cá, surgiu essa onda da cerveja gourmet ou especiais. Aos poucos, o público foi selecionando melhor o que comprar e seu paladar foi evoluindo, podendo, agora, degustar e entender melhor o produto que está consumindo – e até disposto a pagar um pouco mais por isso. Creio que o assunto já não seja novidade para ninguém, afinal, estamos sendo bombardeados pelos mais diversos rótulos de cerveja, seja nos grandes mercados ou mesmo nos quiosques espalhados pelos shoppings. Já que o assunto virou "moda" e o público está curtindo, por que não unir ao Heavy Metal? As bandas então resolveram entrar no clima e criar suas próprias cervejas. As mais recentes e mais famosas são a The Trooper do Iron Maiden (uma English Pale Ale) e a Back In Black do AC/DC (uma German Pilsner).

publicidade

Nos últimos meses, vimos uma avalanche de outros títulos como Deep Purple, Kiss, Motorhead, Angra, Claustrofobia, Korzus, Sepultura, João Gordo, Matanza, etc. A mais recente nessa lista é a cerveja do Mastodon, uma incrível Double Black IPA! Algumas são realmente muito boas, outras nem tanto – depende do gosto de cada um. Eu vejo mais como uma estratégia de marketing e encaro com bons olhos, pois movimenta o mundo da música e principalmente o das cervejas. Em uma era onde a música propriamente dita perdeu seus valores (com a queda na venda do disco físico), nada mais justo do que buscar novas alternativas para arrecadar grana e manter a coisa toda funcionando. Seja como for, não deixem jamais de ir aos shows e tomar uma boa cerva!

publicidade

P.S.: Para uma banda cervejeira como o Tankard, ainda não ouvi falar da cerveja deles... no mínimo curioso, não?

publicidade

publicidade



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guitarristas: Os 10 maiores dos anos 80 segundo a revista FuzzGuitarristas
Os 10 maiores dos anos 80 segundo a revista Fuzz

Roadrunner: os álbuns mais desprezados de todos os temposRoadrunner
Os álbuns mais desprezados de todos os tempos


Sobre Pedro Humangous

Pedro Humangous, 28 anos, publicitário headbanger. Dono e editor chefe da revista Hell Divine. Santista apaixonado por música e uma boa cerveja. Atualmente reside em Brasília e não poupa esforços para fazer o metal se fortalecer no país. Já colaborou com as revistas portuguesas Versus e Horns Up, além da coluna "Rolo Compressor" na rádio Nucleo Base. Colecionador de CD's, DVD's, Livros e Action Figures, concentra suas forças no metal extremo, sem deixar de lado os demais estilos. Fanático por Opeth, Iron Maiden, Trivium, Kreator, Dream Theater, Baroness, Suicide Silence, entre tantas outras. Siga: @PedroHumangous

Mais matérias de Pedro Humangous no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin