Fones de Ouvido: a história da reprodução musical introspectiva

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Surpreendentemente, nem todo mundo quer ouvir a música que você gosta. Elas podem perder a concentração e se irritar. O mesmo deve acontecer com você em relação ao gosto musical alheio por vezes. Por essas e muitas outras razões, os fones de ouvido são uma necessidade imperativa em nosso mundo. Muito tempo antes de Steve Jobs produzir earbuds brancos e Dr. Dre entrar no jogo, as pessoas já surravam seus canais auditivos. O texto abaixo explica, cronologicamente, como tudo aconteceu.

5000 acessosO Suprassumo do Superestimado: os 11 mais (ou menos) nacionais5000 acessosSpike: os sete piores solos de guitarra

1881 – Muito antes do MP3, dubstep e contas no Spotify, os fones de ouvido tinham muito pouco a ver com música. Nos anos 1880, os primeiros fones de ouvido [ou pelo menos seus ancestrais mais antigos] eram usados por telefonistas. Tratava-sede apenas uma saída, monaural, que se apoiava no ombro do usuário e pesava mais de 5 quilos [meio tipo que como se você colocasse um rádio grande no seu ombro].

1895 – Graças ao sistema Electrophone, em 1895 as pessoas começaram a poder ouvir ao som insano de seus teatros de ópera locais do aconchego de seus lares. Assinantes desse caro serviço ouviam, através de fones que mais pareciam estetoscópios, à música que pessoas bastante corpulentas faziam em um palco a quilômetros de suas casas.

1910 – Nathaniel Baldwin começou a fabricar o primeiro fone de ouvido moderno. Ele os produziu em sua cozinha e os vendeu todos para a marinha dos EUA. Essa foi a primeira vez em que um par de latas pareceu com algo que você vê hoje. Baldwin nunca os patenteou, contudo.

1937 – O modelo DT-48 da Beyerdynamic tornou-se o primeiro fone de ouvido dinâmico a chegar ao mercado. Apesar de ele ter saído algumas décadas antes dos fones eletroestáticos surgirem, esse foi um enorme salto à frente na evolução do invento. Os fones de ouvido dinâmicos são, até hoje, o tipo mais popular do mercado.

1949 – Concentrando-se no design, a AKG produziu seu primeiro par de fones de ouvido, o K120. Se eles voltassem a ser fabricados hoje, eles ainda venderiam muito bem. Esse modelo, assim com outros mais populares que o seguiram, foram o suficiente para fazer com que a AKG se desligasse do ramo de equipamento foto-cinematográfico e se focasse apenas no áudio.

1958 – John C. Koss mudou o conceito de fones de ouvido de um modo que deixaria Dr. Dre com inveja. Em 1958, Koss criou os primeiros fones de ouvido estéreo [os Koss SP-3] e deslanchou um assalto aos canais auditivos da população. Ao longo das décadas seguintes, Koss dominaria a indústria de fones de ouvido, e ele fez tudo isso sem jamais ter pisado em uma faculdade.

1959 – Em uma exposição em Tóquio, a Stax estreou o primeiro par de fones de ouvidos eletrostáticos do mundo. O modelo SR-1 começaria a ser produzido em massa um ano depois. Eles são extremamente raros hoje em dia, assim como um usuário de fones do presente que não sofra de perda auditiva.

1968 – Uma década depois de apresentar o primeiro fone de ouvido estéreo, a Koss lançou o primeiro modelo eletrostático fabricado nos EUA. O modelo ESP-6 pesava cerca de 3 quilos, ou seja, não era como usar um par de earbuds, mas eram um enorme avanço se comparados às estrovengas criadas um século antes.

1979 – Se você tivesse que escolher o acontecimento mais importante na história dos fones de ouvido, seria difícil bater o lançamento do Walkman da Sony. De repente, os fones de ouvido tinham que ser portáteis. Inclusos com a compra do primeiro Walkman estavam os fones MDL-3L2 e tudo que você precisava para andar por aí ouvindo seu cassete de “London Calling” estava ali.

Anos 80 – Para o homem que não queria estragar seu penteado com o fone, os anos 80 ofereceram a primeira solução. Tanto o earbud como o fone ‘in-ear’ entraram em cena nos anos 80, apesar de não alcançarem seu pico de popularidade até que Steven Paul Jobs pusesse a indústria de cabeça pra baixo anos depois.

1997 – Se você quisesse deixar seu cabelo impecável, mas também odiasse o fato de os earbuds não conseguiram isolar totalmente o som, a Sony achou que você poderia gostar de um par de fones que se apoiava na nuca. Não vingou.

2000 – Bebês chorando e pessoas roncando alto finalmente acharam um adversário à altura quando a Bose concebeu a linha QuietComfort. Apesar de pilotos de avião já usarem tecnologia de cancelamento de ruído fazia décadas, agora os passageiros também podiam usufruir de considerável conforto em voos barulhentos [ou em frente da TV com uma esposa falante demais].

2001 – O iPod mudou todo o universo da música. Tornou-se comum ver várias vezes por dia pessoas com um fio branco saindo de seus bolsos e indo até seus ouvidos. Desde seu surgimento em 2001 até hoje, mais de 300 milhões de iPods já foram vendidos com seus respectivos pares de earbuds.

2008 – O rapper Dr. Dre e Jimmy Lovine juntaram forças, e junto com a Monster, criaram o modelo Beats By Dre. Desenhados para reforçar as frequências graves e com qualidade de áudio otimizada [não que essa última tenha sido necessariamente atingida]. A linha Beats logo abocanhou uma grande fatia do mercado e agora aparece nos ouvidos de quase todo jogador da NBA quando eles saem do ônibus em direção ao vestiário.

2012 – Fones de ouvido adquiriram contornos de estilo e moda tanto quando de qualidade de som. Isso ficou bastante evidente quando Lil Wayne apareceu trajando esse par de Beats de 1 milhão de dólares.

Por MIKE NEWMAN para o site Cool Material

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades

Os 11 mais (ou menos)Os 11 mais (ou menos)
O Suprassumo do Superestimado

SpikeSpike
Os sete piores solos de guitarra

Heavy MetalHeavy Metal
Cinco discos necessários dos anos setenta

5000 acessosMTV: experts indicam as maiores bandas de Heavy Metal5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19905000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose expulsa pessoa do show em Curitiba4862 acessosVinnie Paul: Pantera sem Dimebag mancharia legado da banda5000 acessosAC/DC: "riffs mais fáceis são os mais difíceis de escrever"5000 acessosMetallica: os 11 melhores clipes da banda

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online