Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemÍcone do metal é alvo de críticas por tocar com músico condenado por assassinato

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemMetallica divulga vídeo oficial da clássica "For Whom The Bell Tolls" ao vivo em SP

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemVocalista do Greta Van Fleet não entende os haters: "parece a p**** de uma religião"


Stamp

Guns N' Roses: o "Chinese Democracy" que você nunca viu

Por Nacho Belgrande
Fonte: Fórum do site MyGnr.com
Em 18/03/11

Como é de conhecimento geral de qualquer pessoa minimamente interessada no GUNS N’ ROSES, a rede estadunidense de lojas de eletrônicos, a BEST BUY, adquiriu direitos exclusivos para distribuição para o então altamente aguardado disco da banda, ‘Chinese Democracy’ em 2008, por uma quantia que especula-se, tenha ficado por volta de cinco milhões de dólares.

Na época, várias versões do encarte do CD foram lançadas em tiragem menor, mas perfeitamente encontráveis em qualquer filial da loja nos EUA. Mesmo a Best Buy tendo total exclusividade de distribuição do disco nos EUA, a entourage de W. Axl Rose e/ou a gravadora Universal Music forneceram material gráfico alternativo que não foi distribuído oficialmente para nenhum outro país do mundo onde o álbum tenha sido lançado. Pelo contrário, o que os outros países – incluindo o Brasil nessa lista – receberam [apesar de serem apoiadores muito mais fiéis da banda do que os fãs de seu país de origem] é uma versão bem mais barata e simplificada do encarte, que deixa a desejar em relação às versões alternativas, uma vez que estas possuem um trabalho que interage e representa bem melhor a proposta lírica de ‘Chinese Democracy’.

A figura abaixo, ‘Doggie’, de Sandy Yagi, aparece na página dos créditos do encarte:

Página com a letra de ‘Sorry’:

Trata-se da pintura ‘The Lizard Part of My Brain’, também por Sandra Yagi. O esboço original para a pintura que Axl compraria depois é essa:

Nesse scan, vemos a seção do encarte contendo as letras de ‘Chinese Democracy’ e ‘Shackler’s Revenge’:

A gravura original completa representando ‘Shackler’s Revenge’ se chama ‘Girl Raped by Alien’, do artista He An. Eis a pintura em sua perspectiva total:

Abaixo vemos a porção de ‘Catcher in the Rye’ e ‘Scraped’. A página da esquerda, com ‘Scraped’ é ilustrada por outro artista chinês, Xiao Ping, por meio de seu trabalho ‘Portrait No. 3’:

Reprodução do original:

A nota de rodapé - tal como publicada aqui no Whiplash.Net onde ele esclarece quem seria Riad, o homem que serviu de inspiração para ‘Civil War’ e ‘Riad and the Bedouins’:

Axl Rose: a carta que não entrou em "Chinese Democracy"

A pintura leva o nome de ‘AK-47’ e é da autoria de Anton. S. Kandinsky, vista em sua natureza aqui:

A faixa ‘Riad and the Bedouins’ em si adorna uma pintura do artista chinês Lou Jie, ‘Prisioner No. 3’:

E no encarte ficou assim:

Axl, o fanfarrão que é, escolheu muito bem a foto encarregada de portar todo o romantismo, poesia e emoção da faixa mais ‘cândida’ do disco, ‘This I Love’:

É isso que ele ama então. A foto original é intitulada ‘Hundreds of Thousands' de um artista chamado Rankin:

‘Prostitute’, última faixa do disco, ficou assim:

A pintura original é de Johnnie Hurtig e se chama "Scream".

‘I.R.S.’, faixa cujo título refere-se à receita federal estadunidense, também teve uma analogia muito particular com a arte impressa:

Originalmente, esse é um quadro chamado de "O Terra" (Sad Rat Journey) por um artista americano de nome Socar. ‘Better’, talvez a faixa mais bem recebida do disco, é representada por uma pintura do artista chinês Ziao Kegang, "Body 2005 No. 3":

‘Seated Figure In Robe’, de Gloria Gaddis, escolhida para sintetizar ‘Madagascar’:

‘If The World’ e ‘There Was a Time’, ambas com gravuras da mesma artista, Lian Xue Ming, com ‘Cry. No. 2’ e ‘Cry No. 7’, respectivamente:

A litografia para a letra de ‘Street of Dreams’, que acabou sendo lançada como single e usou a mesma proposta gráfica:

Imagens do CD Single:

‘Chinese Democracy’ teve ao todo quatro capas diferentes distribuídas na Best Buy. Além da notória ‘foto da bicicleta’, mais três versões foram impressas e hoje em dia são material de colecionador:

A capa acima estampa uma pintura do artista ucraniano Anton Kandinsky [especialista em temática bélica, vide seu trabalho para a nota de rodapé sobre Riad, o conhecido de Axl]. Anos atrás, Kandinsky revelou, durante uma entrevista, que Axl tinha passado por sua oficina e comprado uma pintura que ainda tinha que passar pra pegar:

‘Red Star’, do artista chinês Shi Lifeng:

Lifeng também desenhou outra capa utilizada pelo Guns N’ Roses, ‘Controlling’, vista aqui já embalada no estojo do pacote vendido na Best Buy:

‘Injured Left Hand’, de Liu Yan, também foi capa de uma versão do CD:

Uma outra capa circula pela internet, e por seu contexto, pode muito bem ter sido encomendada/elaborada pelo staff da própria banda, mas não há fotos de exemplares do disco com ela impressa. Em todo caso, a gravura seria essa:

A título de curiosidade, algumas fotos de edições alternativas do álbum de 2008 e que podem ser facilmente encontradas por importadores e na internet:

Foto do box set:

Conteúdo do Box set:

Foto da versão em vinil:

No link abaixo, matéria sobre uma outra variação do encarte.

Chinese Democracy: afinal, quantos encartes existem?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Steven Adler: é difícil para ele ver o Frank Ferrer tocar suas músicas


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.