Matérias Mais Lidas

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemRevista Veja diz que Rock in Rio virou "túmulo do rock" e explica motivo

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemSem ter o que fazer, guitarrista do Journey comprou 150 guitarras durante a pandemia

imagem"Ninguém imaginava que o Metallica seria maior que o Iron Maiden", diz Scott Ian

imagemJohn Frusciante responde qual foi o motivo de seu retorno ao Red Hot Chili Peppers


In-Edit

O resgate sonoro do Shaman

Resenha - Rescue - Shaman

Por João Paulo Pimentel
Em 15/05/22

A expectativa com o novo disco do Shaman finalmente chegou ao fim. Com o lançamento de "Rescue", a banda retorna ao mesmo patamar da época de "Ritual" e "Reason" – entre os grandes do metal mundial!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em poucas palavras, podemos dizer que "Rescue" é um disco coeso, bem produzido e repleto de boas melodias. O suficiente para agradar os ouvintes mais exigentes do gênero. Mas o que mais chama atenção (especialmente do fã da banda), é o que as músicas expressam, isto é, a poderosa mensagem que grupo quis deixar. Vejamos em partes.

"Rescue" é um disco autorreferente, ou seja, uma obra que dialoga muito bem com a história da banda e resgata a essência de seus dois discos de estúdio anteriores. Em termos musicais, as características dos trabalhos passados são patentes: a guitarra pesada do Hugo (bem mais pesada que nos trabalhos da banda solo do André), os sons que remetem a cultura latino-americana, a presença do Marcos Viana e do Sascha Paeth.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A parte lírica, por sua vez, encaixa nas músicas de forma irreparável. A temática indígena pode ser visualizada em "The ‘I’ Inside" e "The Spirit". Já canções como "Time Is Running Out", "Brand New Me" e "Resilience" parecem refletir sobre a própria situação atual da banda, que continua viva e criativa, mesmo sem a presença do inesquecível André Matos. E por falar no Maestro, não temos só uma música dedicada a ele, mas várias menções e homenagens. Partindo da ideia que a obra de arte não possuiu apenas o sentido dado pelo artista, mas se ressignifica pelo olhar do público, posso dizer (na condição de fã) que, em cada canto do disco, sentia a presença do André. Claro, temos momento mais explícitos, como nas letras de "Where Are You Now?", "Gone Too Soon" e "What If?". Por isso, é impossível não se emocionar ao final da audição de "Rescue". O sentimento que fica é o de homenagem a história da banda e de André Matos, mas também de continuidade e superação.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Deixando de lado a parte mais sentimental e focando nas músicas, merecem destaque especial as canções "Time Is Running Out", "The ‘I’ Inside", "Where Are You Now?" e "The Spirit". Músicas que mesmo após a divulgação do disco devem (ou deveriam, na nossa opinião) permanecer no repertório da banda. "Time Is Running Out" abre o disco com a mesma força de "Here I Am" e "Turn Away". A canção também aponta o que vem por aí: mais experimentação com efeitos de guitarras e solos de Fábio Ribeiro (elemento bastante aguardado pelos fãs). Vale destacar que a música possui três solos, sendo um deles Hugo simulando um violino. E se não bastasse a boa quantidade de solos, entre guitarra e teclado, há espaço ainda para um momento espetacular do Luís, que dá mais brilho ao conjunto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"The ‘I’ Inside" possui vários méritos e talvez seja a melhor música do disco. Mas queremos aqui engrandecer a posição da banda que desde "Ritual" mergulha no universo dos povos tradicionais do nosso continente. Em um momento de violência no campo e total indiferença do governo atual com as questões indígenas, onde direitos são negados e aldeias são constantemente atacadas, o trabalho de bandas como o Angra, Sepultura (recentemente com "Guardians Of Earth") e Shaman, contribuem com a formação da consciência crítica e defesa dos povos ameríndios.

"Where Are You Now?" e "The Spirit" carregam momentos de força e emoção. O grande destaque são os vocais de Alírio Netto, que demonstra uma versatilidade tremenda. Em alguns momentos (como em "The Spirit"), até o timbre do vocalista parece se alterar para encaixar na canção. Alírio, com absoluta certeza, foi a escolha certa para a banda, por tudo que pode somar (além da técnica vocal) entre letras e composições.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por fim, é preciso registrar que, assim como seus antecessores, "Rescue" não é um disco de power metal ou metal melódico. A bateria de Confessori dita um ritmo menos rápido para o estilo, mais cadenciado e atmosférico, que envolve o ouvinte nas temáticas apresentadas. Se levarmos em conta o cenário atual do metal brasileiro, é salutar essa diversidade musical que o Shaman representa. Enquanto Edu Falaschi entrega o mais puro power metal e o Angra já caminha para um som mais progressivo, o Shaman oferece um contraponto original, pois tem uma sonoridade única, mais pesada, menos rápida e sem tantos floreios "progressivos". Neste aspecto as características musicais combinadas de Hugo, Luís e Ricardo fazem a diferença, principalmente a guitarra pesada do Hugo, que já surpreendia (positivamente) desde o lançamento do "Ritual".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Resenha - Sinistra e Shaman (Estúdio Espaço Som, São Paulo, 15/04/2022)

Heavy Talk: O que está sendo resgatado nesta nova fase do Shaman? (vídeo)

Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson