Matérias Mais Lidas

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemO dia que os membros do Black Sabbath foram amaldiçoados por uma seita satânica

imagemShavo Odadjian, baixista do System Of A Down, conta quais álbuns mudaram sua vida

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagem"Eu não tinha ideia de quão grande o Maiden iria ficar", diz Bruce Dickinson

imagemIntegrantes do Rush relembram a época que abriram shows para o Kiss, em 1975


Blitzkrieg: A banda contou com uma ajudinha do Metallica para lançar o primeiro álbum

Resenha - A Time Of Changes - Blitzkrieg

Por Ricardo Cunha
Fonte: Esteriltipo Blog
Em 14/07/20

publicidade

Nota: 10

Em meados de 1980 a banda ansiava pela gravação do seu primeiro álbum e isto parecia iminente. Havia boas gravadoras interessadas neles e trabalhava, duro para fazer jus a boa fama. Mas problemas internos levam a banda ao seu "primeiro" encerramento oficial de atividades.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entre 1981 e 1985, a banda permaneceu adormecida, mas seus ex-integrantes atuavam em diversas frentes. Jim Sirotto e Steve Abbey se afastaram da música; John Antcliffe fundou o Chrome Molly (1984), gravou 4 álbuns e conquistou relativo sucesso até o fim de suas atividades em 1991 (a banda voltou à ativa em 2017); enquanto que Brian Ross e Mick Moore uniram forças e fundaram o Avenger em meados de 1982 (não confundir com o alemão), gravam dois registros, além de uma participação na coletânea " One Take No Dubs" (que contava ainda com Hellanbach, Black Rose e Alien) e o single " Too Wild to Tame".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No ano de 1984, o Metallica lançou no single "Ceeping Death", a sua versão para a música "Blitzkrieg" e isto, certamente, fez com que o interesse pela banda em questão fosse renovado e ganhasse um novo público. Atento aos fatos, Ross decide que é a hora de reativar sua banda do coração, o Blitzkrieg… Para dar conta do desafio, foi necessário fazer a reconstrução da banda e Brian recruta dois de seus ex-integrantes no passado: Mick Moore e Jim Sirotto, além do guitarrista Mick Procter (ex-Tygers Of Pan Tang) e um antigo colega da época de Satan, o baterista Sean Taylor.

Em 1985, finalmente o Blitzkrieg lança seu álbum de estreia, o antológico "A Time of Changes. Um álbum em que a gravação é alta, mas a produção é média (de acordo com as possibilidades da banda na ocasião). É possível perceber que Brian Ross está motivado no papel de líder e essa motivação nasce do seu desejo particular de se tornar uma estrela do rock. Musicalmente, o disco tem melodia, mas também, agressividade. Bem produzido ou não, a banda conseguiu materializar no estúdio, o espírito da época. E fez, de um modo geral, é um álbum muito bom. Aliás, para quem é fã dessa escola, não há um momento ruim. Eu, pessoalmente, amo o tom de voz e a forma com a qual Ross a emprega nas canções. Ele, inclusive, consegue representar a banda de um jeito que poucos conseguem, pois ele se entrega inteiramente aos objetos de sua paixão, a banda e ao heavy metal. Tanto é, que a tem carregado nas costas até os dias de hoje. Aqui ele fez um grande trabalho e, dentro do que o estilo exige, conseguiu criar uma atmosfera sonora perfeitamente sintonizado com o que as bandas praticavam na ocasião. Só que, diferentemente das demais, Blitzkrieg tinha pujança! Este é sem dúvida um grande disco e merece respeito.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O referido álbum foi regravado e relançado em 2015 numa edição especial comemorativa de 30 anos. Ouça no Spotify.

FONTE: Esteriltipo Blog
https://wp.me/p16vjm-6SN


Outras resenhas de A Time Of Changes - Blitzkrieg

Resenha - A Time of Changes - Blitzkrieg

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Ricardo Cunha

Editor no site Esteriltipo - Marketing de Conteúdo.

Mais matérias de Ricardo Cunha.