Rage: olhando para o passado em novo disco

Resenha - Wings of Rage - Rage

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

"Wings of Rage" é o vigésimo-quarto álbum da banda alemã Rage e o terceiro com a atual formação, estabilizada desde 2015. Ao lado do icônico líder, baixista e vocalista Peter "Peavy" Wagner estão o guitarrista Marcos Rodriguez (Soundchaser, Torre de Marfil) e o baterista Vassilios Maniatopoulos (Refuge, Tri State Corner). O trio gravou os álbuns "The Devil Strikes Again" (2016) e "Seasons of the Black" (2017) nos anos recentes.

Rage: trio divulga Wings of Rage, 24° álbum de sua discografia; ouçaMetallica: se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma foto

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Rage atual soa mais semelhante aos primeiros anos da banda alemã, onde o som era mais direto e agressivo. O refinamento técnico e a aproximação explícita com a música clássica vivenciados nos tempos em que a banda tinha na formação o guitarrista Victor Smolski e o baterista Mike Terrana (substituído pelo igualmente ótimo André Hilgers) deram lugar, na maior parte do trabalho, à uma sonoridade mais violenta mas que não abre mão das melodias sempre bem construídas por Peavy, o que torna o som do Rage ao mesmo tempo empolgante e acessível aos ouvidos de quem curte heavy metal. É até possível ouvir alguns vocais guturais aqui e ali, pra ser ter uma idéia.

A banda alemã mantém interessante a terceira fase de sua longa carreira - o grupo foi formado em 1984 - com um inteligente resgate de elementos do passado, o que equilibra a sua música ao mesmo tempo em que não abre mão da personalidade construída ao longo dos anos como é possível ouvir nas orquestrações presentes em "A Nameless Grave" e "Shine a Light", ainda que elas fiquem abaixo das aventuras pela música erudita vividas pelo grupo anteriormente. Destaques para a abertura com "True", "Let Them Rest in Peace" e a música título.

"Wings of Rage" não é um disco brilhante, porém é um trabalho digno e que mantém o Rage vivo, o que é algo a se comemorar em se tratando de uma banda com quase quarenta anos de estrada.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Rage"


Rage: trio divulga Wings of Rage, 24° álbum de sua discografia; ouçaRage: banda divulga detalhes do novo álbum e nova música; confira

Wacken 2019: assista a todos os shows do festival que tiveram transmissãoWacken 2019
Assista a todos os shows do festival que tiveram transmissão

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2002Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2002

Avenger: o disco que deu origem ao RageRage: o disco de estreia de uma lenda do metal alemãoRefuge: banda com membros do Rage lança novo disco, Solitary MenRefuge: Banda de membros do Rage libera singles do debutRage: Em São Paulo, um ótimo show, porém, muito curto

1988: 99 discos de rock e metal lançados há 30 anos1988
99 discos de rock e metal lançados há 30 anos

Mike Terrana: Malmsteen foi uma das piores pessoas que conheci!Mike Terrana
"Malmsteen foi uma das piores pessoas que conheci!"

Hard Rock: As bandas do gênero que ficaram para trásHard Rock
As bandas do gênero que ficaram para trás


Metallica: se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma fotoMetallica
Se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma foto

Megadeth: Dave explica por que não tocar The ConjuringMegadeth
Dave explica por que não tocar "The Conjuring"


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336