Soulfly: Max retoma a boa forma em ótimo disco

Resenha - Ritual - Soulfly

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Vou direto ao ponto: na minha opinião, o melhor disco do Soulfly é "Enslaved" (2012), onde a banda de Max Cavalera pisou fundo no peso e, com a presença do baterista David Kinkade (Borknagar), entregou o seu trabalho mais agressivo e completo. Na época, o quarteto tinha também o parceiro de sempre Marc Rizzo e o baixista Tony Campos (Fear Factory, Ministry, Asesino).

Ozzy Osbourne: No Rock In Rio, má impressão sobre o BrasilVeja SP: show do Iron Maiden eleito como "pior de 2009"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Corta pra 2018. Depois de dois discos discutíveis - o fraco "Savages" (2013) e "Archangel" (2015) -, a banda retorna ao seus melhores momentos com "Ritual". O décimo-primeiro álbum do Soulfly traz a Max e Marc ao lado do baterista Zyon Cavalera (um dos filhos do ex-frontman do Sepultura e integrante do grupo desde 2012) e o baixista Mike Leon (que entrou em 2015), que faz a sua estreia em um CD do Soulfly. O play conta também com as participações especiais de Randy Blythe (vocalista do Lamb of God, em "Dead Behind the Eyes") e Ross Dolan (vocalista do Immolation, em "Under Rapture").

"Ritual" é bom porque traz o Soulfly investindo novamente em doses cavalares de peso, deixando de lado os experimentalismos que marcaram o início da carreira da banda e que volta e meia retornam. O que temos nas dez faixas do disco é um metal atual, moderno e construído com muito groove. É a receita que fez o Sepultura se destacar lá na primeira metade dos anos 1990 elevada a enésima potência, porém sem as batidas tribais e com um foco maior no lado mais extremo do metal. Além da óbvia e sempre presente influência do thrash, o disco traz canções que beiram o death e até mesmo o black metal - basta ouvir a dobradinha "The Summoning" e "Evil Empowered" para perceber isso.

Um fator determinante para o impacto está na mixagem e na produção, que deixou para trás a sonoridade mais crua dos dois álbuns anteriores - e que prejudicou "Savages" - e fez surgir em seu lugar uma parede sonora repleta de tons graves em uma muralha pesadíssima, onde todos os instrumentos soam bastante distintos. A evolução Zyon na bateria também é outro ponto forte, com o herdeiro de Max mostrando que a tradição da família Cavalera no metal mundial está garantida.

Com um tracklist muito bom, "Ritual" tem destaques individuais como a faixa-título (a única a remeter, ainda que de maneira bem sutil, aos primeiros anos da banda), a dupla de músicas com os convidados (Blythe em "Dead Behind the Eyes" e Dolan em "Under Rapture", ambos trazendo elementos da sonoridade de suas bandas) e a dupla pancadaria de "The Summoning" e "Evil Empowered", duas das melhores músicas já gravadas pelo quarteto. Há de se mencionar também a improvável aproximação de Max com o lado mais calmo de sua musicalidade em "Soulfly XI", a tradicional faixa instrumental que fecha os discos do grupo. Desa vez, a banda trilha por uma espécie de jazz indígena, e o resultado é de cair o queixo.

Max Cavalera é um dos maiores e mais influentes músicos da história do metal mundial. Ainda que a sua carreira apresente períodos irregulares aqui e ali, quando o vocalista e guitarrista acerta a mão tudo ganha uma dimensão arrebatadora. Em "Ritual", esse foi o caso. Discaço!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Soulfly"Todas as matérias sobre "Sepultura"


Max Cavalera: os primeiros álbuns e os primeiros shows da vida deleMax Cavalera
Os primeiros álbuns e os primeiros shows da vida dele

Sepultura: como foi o convite para tocar com o Motörhead?Sepultura
Como foi o convite para tocar com o Motörhead?


Ozzy Osbourne: No Rock In Rio, má impressão sobre o BrasilOzzy Osbourne
No Rock In Rio, má impressão sobre o Brasil

Veja SP: show do Iron Maiden eleito como pior de 2009Veja SP
Show do Iron Maiden eleito como "pior de 2009"


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336