Bullet For My Valentine: Temper Temper sem solo e com sintetizadores

Resenha - Gravity - Bullet For My Valentine

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Matheus Albuquerque
Enviar Correções  

7

A banda britânica Bullet For My Valentine chega com o seu sexto álbum, "Gravity", tentando alcançar as rádios com um som mais acessível para os ouvintes de rock alternativo.

Mustaine: por que ele perdeu seu emprego no Metallica?Ghost: De quais bandas brasileiras eles gostam?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com um som menos pesado e sem seus riffs característicos, a banda aposta em um som com mais backgrounds sintetizados, mas continua com suas letras de desespero e alfinetada em uma possível ex-namorada.

Podemos ver o exato som do impopular Temper Temper já na música de abertura do álbum, "Leap Of Faith". Com o andamento do álbum não vemos grande mudança, Não existe muita diferença entre as músicas, como dito antes, se dirigindo para um público que escuta bandas como Three Days Grace ou Breaking Benjamin nas rádios.

A música não está de todo ruim, com pontos altos em "Over It", que foi o primeiro single, dando um refrão que fala de sofrimento mas tem algo de contagiante em seu ritmo. "Letting You Go" segue o mesmo caminho, com um refrão bem grudento e um instrumental que seria característico da banda se não fossem os sintetizadores e a música "Don't Need You", divulgada como parte de um EP mas acabando ganhando espaço no álbum, com seu som parecendo praticamente do álbum Venom. A faixa Titulo do álbum merece um destaque por ter um ritmo contagiante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum se arrisca em sonoridades como de "Not Dead Yet" que para mim foi uma grande surpresa. Seu sintetizador encaixa perfeitamente com a música e faz com que seja uma das melhores do álbum. Temos Também a música "Under again" que tem sintetizadores bem postados e um refrão emocionante.

Os erros da banda vem das baladas do álbum, "Breathe Underwater" é de longe a música mais fraca do álbum, praticamente toda acústica. Pior ainda, foi ela ter sido a música de encerramento do álbum, não combinando nem um pouco com o álbum. "The Very Last time" também fica entre as mais fracas, um sintetizador atrás acompanhando a voz de Tuck, que mesmo depois da entrada do instrumental não causa muitas emoções no ouvinte.

A banda realmente deixou a desejar no quesito instrumental. Algo que sempre foi elogiado pelos fãs que ficou ausente são os solos de Paget, que sempre dava uma outra cara para o som, deixando assim uma espécie de vazio nas músicas do álbum.

Tracklist
1."Leap of Faith"
2."Over It"
3."Letting You Go"
4."Not Dead Yet"
5."The Very Last Time"
6."Piece of Me"
7."Under Again"
8."Gravity"
9."Coma"
10."Don't Need You"
11."Breathe Underwater"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bateristas: os dez melhores em vídeo, com algumas surpresasBateristas
Os dez melhores em vídeo, com algumas surpresas

Metalcore: os dez trabalhos essenciais do estiloMetalcore
Os dez trabalhos essenciais do estilo


Mustaine: por que ele perdeu seu emprego no Metallica?Mustaine
Por que ele perdeu seu emprego no Metallica?

Ghost: De quais bandas brasileiras eles gostam?Ghost
De quais bandas brasileiras eles gostam?


Sobre Matheus Albuquerque

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280