Arctic Monkeys: certeza que é mais uma cria do Deus David Bowie

Resenha - Tranquility Base Hotel & Casino - Arctic Monkeys

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Camargos
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Há quase duas semanas foi divulgado um dos lançamentos mais esperados do ano corrente, "Tranquility Base Hotel and Casino" do grupo inglês Arctic Monkeys, e desde então, diversas críticas foram dirigidas ao álbum. Por um lado, fãs ortodoxos têm demonstrado desapontamento pelo som mais "plástico" e sintético em relação aos outros trabalhos da banda. Por outro lado, os mais receptivos abraçaram a proposta experimental do trabalho e fazem elogios ao talentoso vocalista, guitarrista e principal compositor da banda, Alex Turner, pelo amadurecimento na composição das canções.

Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosA polêmica origem do termo Heavy Metal

Ao nos distanciarmos dessas opiniões que têm circulado nas redes sociais, se é que há essa possibilidade, notaremos, por autonomia, (i) uma melodia realmente mais "plástica", porém, menos pop que o último álbum ("AM", 2013) e, aliás, com uma erudição nunca antes vista no Arctic Monkeys, carregada de experimentações que nos remetem, principalmente, ao último trabalho do brilhante David Bowie ("Blackstar", 2016) e, até mesmo, às obras geradas da parceria deste com o Brian Eno (a chamada "Trilogia de Berlim", 1977-1979); (ii) uma atmosfera sonora letárgica e monofônica - já apelidada pelos haters de "Rádio Alpha FM" - que vinha sendo explorada pelo trabalho do Turner no supergrupo The Last Shadow Puppets; e, por último, (iii) uma riqueza literária infinitamente superior em relação aos álbuns anteriores, a qual se deve às novas influências, cinematográficas e literárias, sobre o Turner.

Tudo isso é, de fato, muito bom para quem está calejado com os trágicos deslizes das bandas que apostaram em canções pop para alcançar o sucesso comercial, como o Coldplay, e aguardava a transformação do Arctic Monkeys em mais um Twenty One Pilots após o sucesso do consagrado "AM". Por isso, a recepção vem acompanhada por surpresa, afinal, assim como disse Noel Gallagher (ex-Oasis), ninguém esperava experimentação do Arctic Monkeys. Não há mais nada a reconhecer senão que a discografia do grupo britânico continua intocável, porém, agora mais rica artisticamente, o que nos leva à ansiedade para o próximo álbum.

Por fim, "Tranquility Base Hotel and Casino" nos traz a certeza que o Arctic Monkeys é mais uma cria do Deus David Bowie. Por isso, ouçam-o se querem entrar no paraíso.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Arctic Monkeys"


NME: os 50 álbuns com mais vendas na primeira semanaNME
Os 50 álbuns com mais vendas na primeira semana

Metallica: Lars diz que Arctic Monkeys é Heavy MetalMetallica
Lars diz que Arctic Monkeys é Heavy Metal

Vinil: os dez discos mais vendidos no Reino Unido em 2014Vinil
Os dez discos mais vendidos no Reino Unido em 2014


Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados

A polêmica origem do termo Heavy MetalA polêmica origem do termo Heavy Metal
A polêmica origem do termo Heavy Metal

Iron Maiden: em 1985, show Iron Maiden
Em 1985, show "secreto" com Adrian no vocal

Heavy Metal: as piores capas dos grandes artistas do gêneroQuando shows dão errado: 25 apresentações desastrosasKip Winger em 2007: "Metallica se tornou a piada do rock!"David Ellefson: demo do Metallica teve mesmo impacto que álbum do Judas

Sobre Bruno Camargos

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336|adClio336