Cannibal Corpse: álbum soa experimental sem deixar de ser clássico

Resenha - Red Before Black - Cannibal Corpse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Rezende
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

É possível uma banda tradicional, depois de 30 anos de estrada, surpreender até mesmo os fãs que a acompanham assiduamente? Julgo que a resposta para a pergunta revela-se através da audição do primoroso trabalho desenvolvido pelo Cannibal Corpse ao gravar seu mais recente álbum "Red Before Black". O trabalho produzido por Erik Rutan - que também fez participações especiais como backing vocal e guitarrista - conta com uma excelente arte de capa desenvolvida por Vince Locke. O artista criou uma imagem que faz referência e representa muito bem o Cannibal Corpse porém não causa grande choque visual em comparação às capas de "Torture" (antes da censura) e "Tomb of the Mutilated". O álbum foi lançado em novembro de 2017 e foi gravado, mixado e masterizado em dois estúdios - Mana Recording Studios, CA e West Side Music, NY.

Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilJim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

"Red Before Black" propicia ao ouvinte deleitar-se com combinações entre o Death Metal clássico, Doom Metal e passagens breves que remetem ao Metal Progressivo.

O álbum inicia-se com "Olny One Will Die" e seu compasso de Detah Metal clássico, não havendo muitas surpresas. Na sequência, "Red Before Black" apresenta elementos de metal progressivo, um solo matador de guitarra e um ótimo refrão (digno de cantar junto nos shows).

A terceira música "Code of the Slashers", foi single e tema do clipe lançado pela banda em 2017 antes do álbum. A presença de compasso bem marcado e uma ótima dicção de George Fisher são os destaques da música. Nos últimos segundos há uma levada fantástica na qual o bumbo pulsa simultaneamente às palhetadas retas de guitarra e ao perfeito pizzicato do Alex Webster.

Aos 11 minutos e 22 segundos o ouvinte depara-se com a tradicional "Shedding My Human Skin", sendo por si só uma máquina do tempo que remete aos primórdios da banda, sendo mais complexa e crua do que as faixas anteriores.

A música com maior aparência Doom Metal do álbum - "Remaimed" - inicia-se com belos riffs de estilo fúnebre e bem marcados por cordas afinadas alguns tons abaixo do tradicional mi.

Destaco a destreza e criatividade de Alex Webster na faixa "Scavenger Consuming Death", que com certeza agradará aos fãs que admiram o riff de contrabaixo da tradicional "Hammer Smashed Face".

As demais faixas soam agressivas, como um som Detah Metal deve ser, e surpreendem pelos detalhes, novas técnicas e mudanças bruscas de compasso aplicadas.

Vale a pena conferir o álbum, pois com certeza, mesmo sendo contemporâneo, pode ser classificado como um clássico.

Track List:

1- "Only One Will Die"
2- "Red Before Black"
3- "Code of the Slashers"
4- "Shedding My Human Skin"
5- "Remaimed"
6- "Firestorm Vengeance"
7- "Heads Shoveled Off"
8- "Corpus Delicti"
9- "Scavenger Consuming Death"
10- "In the Midst of Ruin"
11- "Destroyed Without a Trace"
12- "Hideous Ichor"



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cannibal Corpse"


Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilCannibal Corpse: álbum "Torture" é relançado em versão deluxe no Brasil

Metal Hammer: As melhores músicas da história do Death MetalMetal Hammer
As melhores músicas da história do Death Metal

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1992Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1992

Death Metal: as 10 melhores (ou piores?) capas do estiloDeath Metal
As 10 melhores (ou piores?) capas do estilo


Jim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal CorpseJim Carrey
Batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

Restart: Trecho de Enter Sandman do Metallica no VMB 2010Restart
Trecho de "Enter Sandman" do Metallica no VMB 2010

Mustaine: Aos 15 entrei na magia e conheci o lado negro!Mustaine
"Aos 15 entrei na magia e conheci o lado negro!"

Max Cavalera: A opinião de Lemmy, Kiko Loureiro, Vinnie Paul e outrosMax Cavalera
A opinião de Lemmy, Kiko Loureiro, Vinnie Paul e outros

Sons Of Anarchy: a obra-prima televisiva e sua fantástica trilha!Sons Of Anarchy
A obra-prima televisiva e sua fantástica trilha!

Slipknot: e se Lars Ulrich fosse o baterista?Slipknot
E se Lars Ulrich fosse o baterista?

Metallica: James explica por que Kirk não compôs pro HardwiredMetallica
James explica por que Kirk não compôs pro "Hardwired"


Sobre César Rezende

César Rezende. 28 anos. Duque de Caxias - RJ.

Mais matérias de César Rezende no Whiplash.Net.