Dark Tranquillity: Experimentalismos em quarto álbum

Resenha - Projector - Dark Tranquillity

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

A banda sueca Dark Tranquillity é uma das maiores representantes do que se convencionou a chamar de "Gottemburg Sound", e conseguiu através da qualidade de sua música uma carreira sólida, sempre atraindo mais seguidores e dividindo a opinião dos fãs. Evoluindo a cada álbum, a banda chegou ao final dos anos 90 com seu quarto disco oficial, que saiu em 10 de agosto de 1999 pela Century Media.

Black Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de IommiVelocidade: Top 10 de músicas de Metal para ser multado

Sob o título 'Projector', o álbum apresentou uma musicalidade experimental em seu Death Metal Melódico, e causou espanto pelos novos elementos, como o uso de bastante vocais limpos e nuances 'melancólicas' que se aproximam do Gothic (as faixas "Undo Control", que conta com os vocais de Johanna Andersson, e "Auctioned" são alguns bons exemplos, caso você ainda não tenha escutado o disco).

É difícil saber com precisão o que uma banda realmente pretende fazer com sua música ao longo dos lançamentos mas o recomendável é se ouvir com calma o material diferenciado lançado, como é o caso do Dark Tranquillity com este 'Projector'. Analisando friamente, os músicos de maneira alguma decepcionaram em suas performances muito bem executadas, e as composições não podem ser tachadas como ruins, ou mesmo a qualidade de produção deve ser desmerecida, pois apesar dos experimentalismos gritantes o álbum ainda pode chegar a surpreender, o mínimo possível.

Ainda em tempo, a velocidade foi bem reduzida, e para se ter uma ideia, sinais desse detalhe aparecem com alguma nitidez nas faixas "Freecard", que inicia o trabalho, "The Sun Fired Blanks", já com uma pegada mais próxima do som habitual dos suecos, e em alguns momentos de "On Your Time", que encerra o 'track list' oficial, com o dualismo entre riffs rápidos e dedilhados, e vocais guturais e limpos.

"Projector" foi relançado em 2008 - pela mesma gravadora - remasterizado, com uma nova arte de capa no slipcase e contando com quatro bônus (sendo uma a versão ao vivo de "Therein"), que também merecem uma boa audição: "Asleep in the Bandaged Light" (Instrumental), "No One" e o destaque "Exposure".

Ao contrário do que se possa imaginar com uma empreitada ousada dessas, a banda não encerrou suas atividades, mas seguiu em frente e até hoje atua no cenário, de cabeça erguida. Apenas ouça e tire suas próprias conclusões!

Banda:
Mikael Stanne (vocal);
Niklas Sundin (guitarra e arte de capa);
Michael Nicklasson (guitarra);
Martin Henriksson (baixo);
Anders Jivarp (bateria);
Participação Especial:
Johanna Andersson (Vocal)

Faixas:
01. Freecard
02. Thereln
03. Undo Control
04. Auctioned
05. To a Bitter Halt
06. The Sun Fired Blanks
07. Nether Novas
08. Day to End
09. Dobermann
10. On Your Time.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dark Tranquillity"


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia


Black Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de IommiBlack Sabbath
O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi

Velocidade: Top 10 de músicas de Metal para ser multadoVelocidade
Top 10 de músicas de Metal para ser multado

Oh, não!: clássicos que foram Oh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Metallica: corrigindo a injustiça contra Jason NewstedMarilyn Manson: "Sou o monstro do Lago Ness! Sou o Bicho Papão!"Kiss: "Sejam gentis com os ricos! Pobres não geram empregos!"Halestorm: "Gene Simmons está mal informado", diz Lzzy Hale sobre morte do rock

Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336