RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO hit da Legião Urbana que traz crítica contra "Escolinha do Professor Raimundo"

imagemBanda cancela show porque perdeu laptops e Sebastian Bach alfineta; "Isso é uma piada?"

imagemDigão diz a Jão que não quer treta mas não tem sangue de barata

imagemSe Kiko voltar, o Angra vai imitar o Iron Maiden e ter três guitarristas?

imagemO músico incrível que foi induzido três vezes ao Hall da Fama do Rock

imagemMustaine revela os critérios avaliados na hora de escolher um integrante do Megadeth

imagemJão, do Ratos de Porão, chama Digão para resolver as diferenças em um ringue

imagemO hit regravado pelo Jota Quest que na época derrubou Roberto Carlos do 1º lugar

imagemO músico que desprezou a Rainha no Live Aid e jamais iria ao funeral da Rainha

imagemBlack Sabbath: A opinião de Dio sobre "Heaven & Hell" e "Mob Rules"

imagemMais uma vez! Confira os 5 artistas que mais tocaram no Rock in Rio

imagemA banda que desbancava Roberto Carlos na época da Jovem Guarda, segundo Miguel Plopschi

imagemComo um amigo cego inspirou o hit "Sound Of Silence", de Simon & Garfunkel

imagemA curiosa analogia de Kiko Loureiro sobre Uber e F1 para explicar importância da prática

imagemNovo produtor do Slipknot esperava mais do grupo, afirma guitarrista


Stamp

Otep: Genial ou irrelevante? Uma questão de ponto de vista

Resenha - Generation Doom - Otep

Por Vicente Reckziegel
Postado em 26 de maio de 2016

O Otep está na ativa desde 2000, e desde então já havia lançado seis discos, sendo o ultimo "Hydra", no ano de 2013. E eis que agora em 2016 surge o sétimo petardo da banda americana "Generation Doom", que mantém o nível já encontrado nos discos anteriores.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A sonoridade da banda continua bastante enraizada no New Metal, com certas particularidades encontradas em quase todas as bandas americanas do estilo. Com isso podemos ouvir facilmente trechos de Nu Metal e até alguns resquícios de Hip-Hop/Rap em determinadas canções. Ou seja, tudo que causa ojeriza na grande maioria dos puristas.

O grande trunfo da banda é justamente seu grande problema. Todas as músicas são guiadas pela vocalista Otep Shamaya. Ou seja, não espere ouvir solos, riffs inspirados ou muitas variações nas músicas, tudo parece um simples som de fundo para as vocalizações da cantora, que muitas vezes parece uma versão feminina de Mike Patton (antes que surjam tochas e forcados, não estou comparando história nem qualidade).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E aqui temos as tradicionais músicas "a Lot of Fucks" como "Zero", Feeding Frenzy" e a pesada faixa-título "Generation Doom’. Temos também a blasfema "God is a Gun" (you’re just a myth/ you don’t exist) e a explicitamente sexual "Equal Rights, Equal Lefts" ( com o meigo trecho "I’ll always get more pussy than you").

Algumas faixas se sobressaem, principalmente quando acrescentam mais melodia e variações durante sua execução, como em "In Cold Blood", "No Color" e "Lie", sendo que essas faixas possuem forte apelo comercial. Também temos aqui o cover do Lorde, "Royals", que não trouxe grande novidade em sua execução, e "Lords of War" possui os tradicionais breakdowns em seu refrão."On the Shore" encerra o álbum de forma mais calma, de certa forma parecido com o que o Walls of Jericho fez em seu mais recente disco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Enfim, "Generation Doom" não irá mudar a opinião já formada de quem conhece o (a) Otep. Alguns continuaram considerando genial, enquanto outros continuaram dando de ombros e achando irrelevante. Tudo é uma simples questão de ponto de vista...

Formação:
Otep Shamaya – vocais
Ari Mihalopoulos - guitarra
Corey Wolford - baixo
Justin Kier - bateria

12 Faixas- 55:01

Tracklist:
01. Zero
02. Feeding Frenzy
03. Lords Of War
04. Royals (LORDE cover)
05. In Cold Blood
06. Down
07. God Is A Gun
08. Equal Rights, Equal Lefts
09. No Color
10. Lie
11. Generation Doom
12. On The Shore

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

NFL Steve Harris


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuais

Otep: "Eu gostar de garotas parece não ter efeito!"

Rock/Metal: 7 nomes de bandas que você pronuncia errado, parte 2

Iron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

King Diamond: O que significa ser Satanista?


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel.