Children Of Bodom: álbum "Follow The Reaper" completa 15 anos

Resenha - Follow The Reaper - Children Of Bodom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gisela Cardoso, Fonte: Wildchild
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Children Of Bodom entrou no novo milênio com o seu terceiro álbum, intitulado "Follow The Reaper", o qual se tornou um divisor de águas no cenário musical do Metal extremo, rendendo ao grupo finlandês o título de uma das melhores bandas de Death Metal Melódico. Na época, Alexi Laiho (vocal/guitarra) e Janne Wirman (teclados) tinham apenas 21 anos, e a banda também contava com Henkka "T. Blacksmith" Seppälä (baixo), Jaska Raatikainen (bateria) - os quais ainda permanecem no grupo -, e Alexander Kuoppala (guitarra), o qual deixou a banda após este lançamento.

Kryour: prestando tributo ao Children of Bodom em vídeo ao vivoGuns N' Roses: a família brasileira de Axl Rose

Passaram-se 15 anos desde que os finlandeses desencadearam o que muitos consideram ser o seu melhor álbum, lançado em 30 de outubro de 2000. Trata-se, por muitos, de uma fusão perfeita de melodia, riffs, influências do black metal sinfônico e elementos mais agressivos presentes, principalmente, nos teclados e vocais, além dos andamentos rápidos, assim como uma maior ênfase no power metal - o que, na época, repercutiu no cenário Heavy Metal, servindo de inspiração para muitas bandas do estilo que estavam por vir. Além do mais, "Follow The Reaper" trouxe grandes clássicos do grupo - obviamente consagrados até hoje -, como as faixas "Everything I Die", "Hate Me!" e a faixa-título. Curiosamente, a música "Mask of Sanity" foi um remake da faixa "Talking of the Trees", que havia sido lançada na demo "Shining" (nesta época, o Children Of Bodom ainda se chamava IneartheD, e Laiho tinha apenas 16 anos).

"Follow the Reaper" foi gravado e mixado no estúdio do músico/produtor Peter Tägtgren, o Abyss Studios, na Suécia. Os álbuns anteriores, "Something Wild" (1997) e "Hatebreed" (1999), haviam sido gravados no Astia Studio na Finlândia, sob a produção de Anssi Kippo.

"Foi o álbum mais diferente que nós já tínhamos feito até então, porque os dois primeiros álbuns foram gravados na Finlândia mesmo. Mas então, decidimos fazer algo diferente para o 'Follow The Reaper', e então o gravamos na Suécia", conta o tecladista Janne Wirman em entrevista à Loudwire este ano. "E também a principal diferença está no processo de composição, que fizemos dia após dia. Mas ainda sim o processo de gravação foi o diferencial".

"Basicamente a experiência de gravar fora da Finlândia, e sim em uma vila na Suécia, teve muito a acrescentar. Foi maravilhoso! Eu realmente gostei", completa Alexi Laiho.

Já em uma entrevista ao Rockezine na época, o baixista Henkka T. Blacksmith comentou também a respeito da decisão de trabalhar com um produtor diferente, afirmando: "Nós estávamos com medo de gravar o álbum no mesmo estúdio e soar como nossos álbuns anteriores, e não era isso que queríamos no momento. Mas, além disso, queríamos um som mais pesado do que os nossos anteriores, e Peter parecia ser o melhor homem para fazer este trabalho, e ele realizou um trabalho melhor do que esperávamos".

Detalhando o processo de gravação, ele continuou: "apesar de nas três primeiras semanas ele [Peter Tägtren] não estava por perto, nós gravamos todas as músicas em nosso próprio país. Mas então, quando nós começamos com os vocais, Peter nos deu muitos conselhos sobre como os vocais deveriam ser. Porque, como você sabe, o próprio Peter é um monstro nos vocais e tem experiência na produção, mas ele também nos ajudou com as partes dos teclados. No final das contas, acabamos refazendo as gravações na Suécia. Ao mesmo tempo, ele só queria ter o som certo, e nos deu aproximadamente 500 diferentes sons de teclado para escolhermos, mas ele continuou tentando até achar o melhor".

Considerado como um álbum inovador, "Follow The Reaper", no início, era esperado para ser apenas mais um trabalho na discografia do Children Of Bodom. No entanto, ele acabou mudando a vida do quinteto da noite para o dia. No entanto, em entrevista à Voices From the Darkside, Laiho revelou:

"O terceiro álbum 'Follow The Reaper" está vendendo melhor do que nunca agora. Nós não temos nenhuma razão para parar, mas eu acho que, se nós vamos fazer um quarto álbum, provavelmente será o último disco que iremos fazer".

Mesmo que a banda fosse ficando cada vez mais bem-sucedida, e Laiho estivesse ciente disso, ele ainda manifestou planos para depois do Children Of Bodom, declarando: "Eu gosto desses caras... Quero dizer, eles são os meus melhores amigos, provavelmente os únicos amigos que eu já tive, e realmente há uma boa química acontecendo. Nós vamos ter boas lembranças de tudo isso. E depois, é só acontecendo e faremos uma outra banda juntos, você sabe, provavelmente. Eu não vou cantar mais, você sabe, eu vou começar a coisa toda mais uma vez".

Claramente, Alexi Laiho abandonou esse plano, já que o Children Of Bodom gravou mais seis álbuns desde o lendário "Follow The Reaper", assim como sofreu mudanças em sua formação ao longo dos anos.

"Este álbum nos rendeu a nossa primeira turnê para os Estados Unidos, e nos serviu como ponta-pé para o álbum seguinte", declara o tecladista à Loudwire. "Nós éramos jovens inocentes, não tínhamos a menor ideia para aonde estávamos indo (risos)".

Sem sombra de dúvidas, "Follow The Reaper" é um item obrigatório na coleção de todo amante do Death Metal Melódico. Além do mais, ele ainda permanecerá na memória por muitos e muitos anos, causando certa nostalgia ao ouvinte sempre que for escutá-lo.


Outras resenhas de Follow The Reaper - Children Of Bodom

nullnull




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Children Of Bodom"


Kryour: prestando tributo ao Children of Bodom em vídeo ao vivo

Finlândia: as dez melhores bandas de Heavy Metal do paísFinlândia
As dez melhores bandas de Heavy Metal do país

Children Of Bodom: Alexi Laiho e seu álbum favorito de OzzyChildren Of Bodom
Alexi Laiho e seu álbum favorito de Ozzy

Rock/Metal: 7 nomes de bandas que você pronuncia errado, parte 2Rock/Metal
7 nomes de bandas que você pronuncia errado, parte 2


Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose

Sexo e Satã: as mensagens subliminares em capas de Rock / MetalSexo e Satã
As mensagens subliminares em capas de Rock / Metal

Rock in Rio: algumas das maiores vaias em edições nacionaisRock in Rio
Algumas das maiores vaias em edições nacionais

Led Zeppelin e o lendário encontro com Elvis PresleyNirvana: "Teoria é um desperdício de tempo", dizia KurtRoadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraJudas Priest: "virou banda cover", diz Jay Jay French, do Twisted Sister

Sobre Gisela Cardoso

Headbanger, Jornalista, Crítica de Metal, vocalista, instrumentista, anarco-comunista, vegetariana, apaixonada por Mitologia Nórdica e adoradora do Deus Metal. A música me move e as palavras constroem! @GisaGrind.

Mais matérias de Gisela Cardoso no Whiplash.Net.

adGooILQ