Lamb Of God: Uma das bandas mais relevantes no cenário dos EUA

Resenha - VII Sturm und Drang - Lamb Of God

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Phelipe Torres
Enviar Correções  

9


Depois do ótimo "Resolution" de 2012 e após passar por grandes problemas com a prisão de seu vocalista, o Lamb of God apresenta seu mais novo trabalho de estúdio VII: Sturn und Drang. As letras tratam em sua maioria desse período conturbado e difícil passado por Randy Blythe, de uma maneira extremamente agressiva e é notória a entrega do mesmo na execução das canções.

Consequence Of Sound: os melhores álbuns de metal lançados em 2020

Black Sabbath: As 10 melhores músicas da banda segundo a Ultimate Classic Rock

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum abre com "Still Echoes", que traz um Riff simples e competente, sendo uma música bem pancada que já te coloca no clima do álbum. "Erase This" mantem o peso com Chris Adler executando diversas mudanças de dinâmica por toda a canção. "512" é incrível, a letra trata direta e explicitamente do período de confinamento de Blythes na República Tcheca, sendo um dos pontos de destaque de todo o álbum, é possível sentir a agonia e tensão empregada na performance do vocalista e o restante da banda trabalha para que esse clima seja alcançado de forma incrível.

"Embers" e "Footprints" são devastadoras, sendo até aqui as mais aceleradas e diretas, a primeira conta com Chino Moreno do DEFTONES nos vocais e a segunda tem um início rápido que cai em um Groove monstro onde o baixista John Campbell monta uma parede sonora extremamente competente. Serão figuras fáceis no repertório da vindoura turnê. "Overlord" tem uma introdução bem BLACK LABEL SOCIETY e um solo de guitarra que abriria um sorriso na cara de Zakk Wylde, além de uma agressiva mudança sonora do meio para o fim.

"Anthropoid" não começa, ela simplesmente invade seus ouvidos como um tanque de guerra desgovernado e com um único objetivo: fazer seu pescoço quebrar de tanto bater cabeça. "Engage the Fear Machine" dá continuidade ao trabalho de forma competente e pesada, sendo uma das melhores desse álbum. "Delusion Pandemic" tem como ponto alto a parte falada no meio da música que cai em um breakdown, más nada que seja assim tão incrível.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Torches" encerra esse trabalho com outro vocal convidado. Desta vez é Greg Puciato do THE DILLINGER ESCAPE PLAN que dá as caras em uma música bem interessante e que sai dos padrões do Lamb of God. Excelente por sinal.

A edição Deluxe do álbum possui duas faixas bônus: "Wine & Piss" e "Nightmare Seeker" (The Little Red House) que se não são incríveis, valem a audição.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O destaque fica com Randy Blythe e Chris Adler sem dúvida nenhuma. Morton e Willie Adler jogam pelo time com Riff’s certeiros e eficientes além de John Campbell, que faz seu baixo se sobressair em vários momentos desse trabalho.

O Lamb of God chega ao seu sétimo álbum de estúdio e além de apresentar um sucessor ao nível do "Resolution" de 2012, mostra que os problemas recentes fortaleceram a banda e eles possuem ainda muito combustíveis para queimar, sendo hoje uma das bandas mais relevantes dentro do cenário norte-americano.


Outras resenhas de VII Sturm und Drang - Lamb Of God

Lamb of God: Tudo intacto e no seu devido lugar


Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280