Kreator: O 26° Aniversário de "Extreme Aggression"

Resenha - Extreme Aggression - Kreator

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por David Torres
Enviar Correções  


Após terem concebido uma sequência extraordinária de álbuns, encabeçada por "Endless Pain" (1985), "Pleasure to Kill" (1986) e "Terrible Certainty", os Thrashers germânicos do Kreator retornavam com mais um petardo estupendo, "Extreme Agression". Lançado em 19 de junho de 1989, através do selo Noise Records sob a produção de Randy Burns (Death, Bitter End, Megadeth), esse quarto álbum de estúdio dos alemães é igualmente um clássico e hoje está comemorando o seu aniversário de 26 anos. Sendo assim, vamos revisitar essa grande obra do Thrash Metal!

Lamb Of God: Mark Morton está trabalhando em música com Mille Petrozza, do KreatorTeoria da Conspiração: Slipknot troca membros em shows ao vivo?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A bateria de Jurgen "Ventor" Reil, aliada ao baixo de Roberto Fioretti e aos "riffs"de Mille Petrozza e Jörg Trzebiatowski, introduzem ao ouvinte a implacável faixa-título. "Extreme Aggression" é simplesmente um hino e é aquela típica pancadaria que faz total jus ao seu nome. Nossos ouvidos são espancados com palhetadas destruidoras, uma bateria debulhadora e vocais rasgadíssimos de Petrozza. Os solos são um espetáculo a parte, repletos de melodia e muito bem encaixados. Uma excelente forma de começar esse grande registro. "No Reason to Exist" é a segunda faixa e novamente somos atacados por um enxame de "riffs" furiosos. Uma grande música com um excelente trabalho instrumental e vocal, além de ótimas mudanças de andamento.

As baquetas de "Ventor" abrem caminho para os vocais ensandecidos de Petrozza que em questão de segundos cantam os primeiros versos da magnífica terceira faixa do álbum, "Love Us or Hate Us". "Riffs" certeiros, uma "cozinha" impecável de baixo e bateria e mudanças de andamento fenomenais e extremamente bem feitas podem ser encontrados aqui. Uma das melhores faixas do álbum e, pessoalmente, uma das minhas favoritas. A quarta faixa é "Stream of Consciousness" e novamente recebemos uma saraivada de "riffs" e solos matadores. A banda jamais erra, muito pelo contrário. Apenas acerta e em cheio! Dando continuidade ao trabalho, vem a excelente "Some Pain Will Last". Cadenciada e bem construída, é outro grande destaque do disco, com toda a banda arrasando em seus respectivos postos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sem tempo para respirar, os "riffs" da faixa seguinte ecoam pelos alto-falantes. "Betrayer" é aquela composição que você pode ouvir por toda a eternidade e o sentimento será sempre o mesmo. O que temos aqui é uma pancadaria de primeiríssima, repleta de "riffs" devastadores, uma levada de bateria completamente insana, solos hipnotizantes repletos de "feeling", vocais perfeitamente rasgados, além de uma letra e um refrão poderosíssimo:

"Misleader!
You twisted things to satisfy
Deceiver!
This greedy lust
You can't deny, you can't deny

Betrayer!!
Betrayer!!"

Simplesmente um clássico! Vale ressaltar que um videoclipe para essa faixa foi produzido, filmado em Atenas, na Grécia. A banda decide reduzir a velocidade e emenda com "Don’t Trust", uma música mais cadenciada, porém não menos interessante, trazendo um desempenho instrumental e vocal nos mesmos padrões de qualidade de todas as faixas anteriores. Um fato curioso é que, tanto nessa faixa, como na anterior, os vocalistas Greg Saenz (Cyco Miko) e Dan Clements (Excel) foram convidados para fazer "backing vocals".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A seguir, surge "Bringer of Torture", a menor faixa do álbum. É uma composição crua e visceral que atinge em cheio os tímpanos dos ouvintes, ou seja, simplesmente perfeita! O álbum chega ao fim com "Fatal Energy", outra composição fantástica e que possui um trabalho soberbo de guitarras, encerrando esse grande trabalho de forma completamente satisfatória. "Extreme Aggression" é simplesmente uma das muitas obras primas do Thrash Metal mundial. É um disco obrigatório para todo fã e admirador do estilo, recheado de qualidade em cada acorde presente em seu conteúdo. De longe, o seu único defeito é a sua capa, que traz apenas uma foto promocional da banda, pois de resto, o que temos é um álbum completamente indispensável.

Escrito por David Torres

01. Extreme Aggression
02. No Reason to Exist
03. Love Us or Hate Us
04. Stream of Consciousness
05. Some Pain Will Last
06. Betrayer
07. Don't Trust
08. Bringer of Torture
09. Fatal Energy

Mille Petrozza (Guitarra / Vocal)
Jörg Trzebiatowski (Guitarra)
Roberto Fioretti (Baixo)
Jürgen "Ventor" Reil (Bateria)

Músicos Convidados:
Greg Saenz (Backing Vocals)
Dan Clements (Backing Vocals)


Outras resenhas de Extreme Aggression - Kreator

Resenha - Extreme Aggression - KreatorResenha - Extreme Aggression - Kreator



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lamb Of God: Mark Morton está trabalhando em música com Mille Petrozza, do KreatorRotting Christ: Banda divulga cover do Kreator gravado em 1996

Kai Hansen: escolhendo as dez maiores bandas de metal da AlemanhaKai Hansen
Escolhendo as dez maiores bandas de metal da Alemanha

Metal: dez álbuns provam que 1986 foi o ano do ThrashMetal
Dez álbuns provam que 1986 foi o ano do Thrash


Teoria da Conspiração: Slipknot troca membros em shows ao vivo?Teoria da Conspiração
Slipknot troca membros em shows ao vivo?

Cristina Scabbia: Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!Cristina Scabbia
"Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"


Sobre David Torres

Moderador e criador nas páginas Mundo Metal e The Old Thrash Metal, tem como estilo predileto o bom e velho Thrash Metal e procura sempre conhecer mais e mais acerca do estilo, assim como do Rock/Metal como um todo e as suas mais variadas vertentes e subgêneros.

Mais matérias de David Torres no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280