Anarchos: Se inspirando em mestres conterrâneos

Resenha - Descent into the Maelstrom - Anarchos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Este é o segundo registro dos holandeses do Anarchos, sendo que a banda formada em 2010 havia lançado até então somente a demo “Tortured Beyond Death” (2012). Optando pelo Death Metal, o grupo une influências de todas as partes do estilo com uma pegada bem enraizada.
5000 acessosSeparados no nascimento: Ian Hill e Stênio Garcia5000 acessosSeparados no nascimento: Joe Satriani e Lord Voldemort

Produzido no Dirty Birth Studios por Fredde Kaddeth (Massive Assault, Absorbed), “Descent Into The Maelstrom” traz uma sonoridade suja e distorcida, mas de qualidade e muito peso, fazendo com que a sonoridade da banda soe entre o rústico e o atual, dando certa diferenciação à identidade do Anarchos.

Optando por ritmos mais cadenciados (não arrastados), sendo que varia muito pouco, a banda consegue se inspirar nos conterrâneos do Asphyx, além de nomes como Six Feet Under e Possessed aqui e acolá. Uma dose homeopática de melodia é inclusa, principalmente nos solos, e deixa o som ainda mais interessante.

Com um clima maléfico a banda destila temas como a morte, a decadência humana e o oculto, sendo que faixas como Morbid Ways to Decay e Sarggeburt se destacam, mas não estando muito à frente das outras composições. Se aprecias um Metal extremo mais visceral, não perca a oportunidade de conhecer.

https://www.facebook.com/anarchos666?fref=ts
http://anarchos.bandcamp.com/

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Anarchos"

Judas PriestJudas Priest
A bizarra semelhança de Ian Hill e Stênio Garcia

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Joe Satriani e Lord Voldemort

HangarHangar
Os discos que marcaram o baterista Aquiles Priester

5000 acessosMusas do Metal: confira as 10 mais lindas atualmente5000 acessosDoors - Perguntas e Respostas5000 acessosOut: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista5000 acessosRecorde: 7 mil guitarristas fazem homenagem a Hendrix5000 acessosKerry King: o Metallica não precisa mais lançar discos5000 acessosJeff Scott Soto: memórias ruins de quando cantou para Malmsteen

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online