RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Summer Breeze

Bandanos: Crossover com alto poder de destruição

Resenha - Nobody Brings My Coffin Until I Die - Bandanos

Por Pedro Humangous
Postado em 22 de outubro de 2014

O Crossover parece ser a cara do Brasil, um estilo nervoso, sujo, ríspido, direto e sem frescuras. Representa bem o povo brasileiro, que já acorda cedo na correria do dia a dia, ralando sem parar, cheio de desigualdades que geram insatisfação e ódio. O Bandanos já é figura carimbada no cenário nacional e não precisa mais provar seu valor a ninguém.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O grupo surgiu em São Paulo no ano de 2002 e vem se firmando com um dos grandes nomes do estilo ao lado do Galinha Preta e Ratos de Porão. As músicas são energia pura, transbordando a ira do Metal com o inconformismo do Punk, gerando essas composições descompromissadas e avassaladoras! O Thrash se faz presente vários momentos entre as treze músicas que compõem esse trabalho, trazendo até um lado nostálgico – lembra bastante o início da carreira de bandas como Nuclear Assault, D.R.I. e Suicidal Tendencies, por exemplo.

O álbum foi gravado no renomado Datribo Studios, sendo produzido, mixado e masterizado por Ciero e pela própria banda. A qualidade ficou ótima, com o punch necessário e a sujeira na medida certa. Destaque para as faixas "Bay Area Seduction" e "Nova Onda De Violência", ambas insanas! Vale dar uma conferida no encarte com seus desenhos divertidos e principalmente para acompanhar as interessantes letras das músicas – confesso que não consegui entender muito o que o vocalista cantava, se era inglês ou português.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O disco vem embalado em um belo e bem produzido digipack, certamente vale a pena adquirir o original. Os integrantes Crisplatterhead (vocais), Marcelo Papa (guitarras), Lauro Metal Hammer (baixo) e Hell-der Tiso (bateria) criaram um verdadeiro monstro chamado "Nobody Brings My Coffin Until I Die", um trator que devasta tudo o que está em seu caminho! E não ouse ficar em sua frente, quando o Bandanos tocar, o jeito é abrir a roda e entrar no mosh!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track List:
1- Fato Ou Mentira
2- Vinyl Addiction
3- Nova Onda De Violência
4- Falsas Ambições
5- Meus Inimigos
6- Urban Thrash Skate Maniacs
7- Bay Area Seduction
8- O Super Legal
9- Idiossincrasia
10- Linha de Desumanização
11- Velhos Heróis
12- Enterrado Vivo
13- Escravos do Relógio

Contatos:
http://www.facebook.com/bandanoscrossover
http://www.bandanos.bandcamp.com


Outras resenhas de Nobody Brings My Coffin Until I Die - Bandanos

Resenha - Nobody Brings My Coffin Until I Die - Bandanos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuais


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Pedro Humangous

Pedro Humangous, 28 anos, publicitário headbanger. Dono e editor chefe da revista Hell Divine. Santista apaixonado por música e uma boa cerveja. Atualmente reside em Brasília e não poupa esforços para fazer o metal se fortalecer no país. Já colaborou com as revistas portuguesas Versus e Horns Up, além da coluna "Rolo Compressor" na rádio Nucleo Base. Colecionador de CD's, DVD's, Livros e Action Figures, concentra suas forças no metal extremo, sem deixar de lado os demais estilos. Fanático por Opeth, Iron Maiden, Trivium, Kreator, Dream Theater, Baroness, Suicide Silence, entre tantas outras. Siga: @PedroHumangous
Mais matérias de Pedro Humangous.