RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Summer Breeze

At The Gates: A certeza da essência mantida em novo álbum

Resenha - At War With Reality - At The Gates

Por Fábio Leonardo
Postado em 21 de outubro de 2014

Nota: 8

At The Gates! Veja só mais um gigante de temporadas passadas reaparecendo em tributo a si mesmo, reunido com (quase) toda sua formação original pra gravar um novo álbum, 19 anos depois do clássico "Slaughter Of Souls"

Depois de alguns meses de especulação, nos vem a boa notícia de que o At The Gates voltaria a gravar um álbum, após algum tempo tocando ao vivo e alguns membros dizendo na mídia que isso jamais iria acontecer. Ok, membros carrancudos fazem isso toda hora...

Pra quem não conhece, At The Gates é considerada a grande mãe daquele estilo que foi começando timidamente no meio dos anos 90 e culminou na explosão de bandas como In Flames, Soilwork e Arch Enemy, o grande Death Metal Melódico. Quem conhece a banda ou se preocupar em ouvir seus antigos registros verá aquilo, tudo cru, de onde todos estes atuais gigantes tiraram sua inspiração. Não é pra menos.

Cá está o álbum e a boa surpresa é que ele soa exatamente como deveria: como At The Gates. Sem inovação, sem experimentos, sem Dj's ou Orquestra sinfônica: Do início ao fim, é perceptível que todos os músicos entraram no estúdio com o mesmo foco e fizeram o que deveriam, mantendo a proposta com uma sincronia que faz o ouvinte pensar que a banda, na verdade, nunca se separou.

Com a certeza da essência mantida, conforme se ouve, percebe-se o grande destaque que é a atmosfera do álbum como um todo. As músicas possuem um clima sombrio, com riffs soturnos, algumas vezes beirando ao apocalíptico, tudo tão bem executado que a vontade de fechar os olhos e soltar a mente em muitas passagens torna-se irresistível. E não estou falando do combo "Porrada/Refrão bonito/Mais porrada/Refrão bonito" que virou uma chata marca registrada em bandas deste estilo. Ouça faixas "como "Death And The Labyrinth", "The Book Of Sand (Abomination)" e "The Night Eternal", os grandes destaques deste registro, e irá entender.

Se existe um ponto negativo neste álbum, diria que está no vocalista Tomas Lindberg. Aqui ele mostra o que todo mundo já sabe: Que é um vocalista reto, dono de um rasgado repetitivo e sem nenhuma tentativa de variação (Se você quiser ser bonzinho, cite as poucas partes narradas com voz cavernosa). Aqui, você ouve exatamente tudo o que ele fez nas bandas as quais fez parte ao longo dos anos, como The Crown e Nightrage. Isso o faz, muitas vezes, se perder no clima das músicas, te fazendo se divertir com o instrumental e até esquecer que tem a voz dele ali em algum lugar...

Nada mais justo do que a presença dele, já que a reunião da formação clássica foi uma das prioridades, mas infelizmente se chega à conclusão que este registro teria ido muito mais longe se houvesse sido gravado por outro vocalista.

Grata surpresa aos fãs da banda e fãs do estilo, deixando um sentimento misto de fidelidade ao estilo que a consagrou e a novidade que conseguiram colocar no som sem distorcê-lo. E se você não for fã de Death Melódico, amigo, nem tenta.

At War With Reality - At The Gates

1. "El Altar del Dios Desconocido" 1:06
2. "Death and the Labyrinth" 2:33
3. "At War with Reality" 3:09
4. "The Circular Ruins" 4:28
5. "Heroes and Tombs" 3:59
6. "The Conspiracy of the Blind" 3:19
7. "Order from Chaos" 3:26
8. "The Book of Sand (The Abomination)" 4:28
9. "The Head of the Hydra" 3:38
10. "City of Mirrors" 2:06
11. "Eater of Gods" 3:51
12. "Upon Pillars of Dust" 2:39
13. "The Night Eternal" 5:43

Line-Up:
Tomas Lindberg: vocais
Anders Björler: Guitarra
Martin Larson: Guitarra
Andrian Erlandsson: Bateria
Jonas Björler: Baixo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da Suécia


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal