RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemA atitude punk da Legião Urbana que causou irritação e deu trabalho na gravação

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemO conselho realista de John Petrucci para bandas que estão começando agora

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemO que faltou para o Overkill entrar no "Big Four" do thrash, segundo D. D. Verni

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso

imagem5 motivos para assistir ao novo RockGol 2023 que estreia em fevereiro


Stamp

Almah: Edu, se foque na música e arrebente, meu velho!

Resenha - Unfold - Almah

Por Thiago El Cid Cardim
Postado em 22 de novembro de 2013

Não vou, honestamente, entrar no mérito das declarações discutíveis que Edu Falaschi vem dando nos últimos anos. Mas é preciso dar o braço a torcer, claro, e admitir que ele se encontrou na banda paralela que vinha mantendo enquanto atuava como vocalista do Angra. Quando o seu papel no Angra se complicou, foi justamente quando o Almah começou a ganhar mais corpo, mais forma, a se estabelecer e criar identidade própria.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E quando enfim o vocalista abandona o cargo à frente do Angra, mais do que acertadamente, aquela que agora é a sua banda principal apresenta seu disco mais refinado, inteligente e moderno. "Unfold" tem um vocalista vindo da escola do power metal/metal melódico mas é justamente o ápice de seu distanciamento das amarras deste gênero. Se o Almah já tinha se estabelecido como um dos grandes nomes da atual cena do heavy metal nacional, com "Unfold" eles abrem as portas de vez para conquistar também o mercado internacional.

Já na abertura, "In My Sleep", Edu surge cantando mais rasgado, mais agressivo, mas ao mesmo tempo mais confortável, com a voz longe da necessidade de entrar na região dos agudos. E detalhe: a música é absolutamente power metal, inclusive melhor do que o que próprio Edu vinha fazendo com o Angra nos últimos discos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Aliás, e o elemento étnico de "I Do", que conversa com a música brasileira da mesma forma que a antiga banda do cantor, mas mantendo praticamente intactas as características do Almah, sem soar como uma mera cópia? Mesmo quando o frontman se arrisca num agudo mais intenso, como em "The Hostage", o faz com precisão, com cautela, sem exageros. E acerta na mosca. O grande trunfo de "Unfold", no entanto, está justamente nos momentos em que a banda sai desta zona de conforto do metal melódico. Escute "Beware The Stroke", por exemplo, e perceba uma forção afiada que também sabe fazer, com excelência, um metal tipicamente tradicional, na melhor escola Iron Maiden.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em "Cannibals In Suits", o Almah entrega um instrumental mais pesado, urgente, agressivo, quase como se estivesse bebendo da fonte do thrash metal. A letra, de cunho mais crítico e ácido, praticamente pede uma entrega mais furiosa. Ah, acha impossível? Pois vamos então para um outro lado, completamente diferente, já que "Wings Of Revolution" é um exercício de música pop brilhante, uma canção limpa e que poderia rivalizar com qualquer Coldplay da vida, talvez até pela chance de se tornar música-tema de um evento como as Olimpíadas, por exemplo (enquanto ouve a faixa, imagine um vídeo com cenas de artistas nas mais diferentes modalidades esportivas, superando seus limites, e você vai entender exatamente o que estou querendo dizer). Este espectro cristalino típico da música pop também fica claro em "Warm Wind", uma balada triste, tocante e bastante corajosa – porque, apesar de ser totalmente radiofônica, é repleta de bom gosto e sofisticação. Merece uma audição detalhada.

Um dos grandes momentos do álbum, no entanto, reside em "You Gotta Stand". Trata-se de uma música tipicamente hard rock, que tem tudo que precisa para não sair mais da cabeça do fã de boa música: uma dupla de guitarras disparando riffs envolventes e grudentos; um tecladinho irresistível que trabalha totalmente a favor do restante da composição, entrando nos momentos certos; e uma interpretação brilhante do vocalista, que vai dos gritos mais violentos a um refrão cavalgado e quase alternativo, que lembra imediatamente algo como o Faith No More. Dá pra imaginar? Então.

É hora do Edu se focar na música. Na sua própria música. É hora de deixar as polêmicas de lado, as discussões, o #mimimi, as fofocas. E pensar, apenas e tão somente, no seu trabalho. Que, aliás, se continuar assim, tem tudo para conquistar o mundo. Vai fundo. E arrebenta, meu velho!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Line-up
Edu Falaschi - Vocal
Marcelo Barbosa - Guitarra
Gustavo Di Padua - Guitarra
Raphael Dafras - Baixo
Marcelo Moreira - Bateria

Tracklist
In My Sleep
Beware The Stroke
The Hostage
Warm Wind
Raise The Sun
Cannibals In Suits
Wings Of Revolution
Believer
I Do
You Gotta Stand
Treasure Of The Gods
Farewell


Outras resenhas de Unfold - Almah

Resenha - Unfold - Almah

Resenha - Unfold - Almah

Resenha - Unfold - Almah

Resenha - Unfold - Almah

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Helloween: Edu Falaschi em cover de "Eagle Fly Free"

Marcelo Barbosa: entre os guitarristas mais sensuais do mundo

Edu Falaschi: vídeo com a banda Mitrium em 1993


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.
Mais matérias de Thiago El Cid Cardim.