Motorhead: um disco para comemorarmos a vitória de Lemmy

Resenha - Aftershock - Motorhead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Leandro Fernandes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


21° álbum de estúdio do "Moto...", mesma pegada de sempre, garra e muito barulho. Como os membros da banda dizem: "cru e sujo" (no bom sentido), eles nos presenteiam com essa pérola chamada "Aftershock". "Tirem as crianças da sala, o Motörhead está chegando..."
0 acessosBlend Guitar: em vídeo, Top 10 Heavy Metal Bands5000 acessosA Vida Pós-bilau: vocalista do Life of Agony abre o jogo

Esse disco dessa excelente lendária banda prova e nos mostra que Lemmy vai bem, obrigado! Depois de várias notícias sobre sua saúde que preocupou o mundo do rock há poucos meses atrás, chega esse disco provando a todos que apesar dos problemas que Lemmy enfrentou, ele continua de pé e com bastante garra. "Aftershock" segue no mesmo padrão Motörhead de ser, nota-se um cansaço na voz de Lemmy, mas nada que comprometeu o álbum, muito pelo contrário, soube acertar e muito bem sua voz ao ritmo de cada música.

O trabalho nos vem com uma poderosa porrada do início ao fim "Heartbreaker", direto ao assunto, mostrando sempre a potência de Lemmy & cia. Passamos por excelentes músicas no começo do álbum como "Coup De Grace", "Lost Woman Blues" e "Death Machine", são músicas fáceis de entrar em um set da banda em turnê. Sem perder o belo costume em adicionar uma "balada" nos álbuns, coisa que o Motörhead faz com maestria, vem a belíssima "Dust And Glass", logo você sente aquela vontade de sair pela estrada, sem destino. "Going to Mexico" tem uma pegada pra lá de potente, dentre as "Going" feitas pelo trio, essa realmente coloca as outras "no bolso", perfeita.

"Silence When You Speak To Me" lembra um pouco no começo o clássico também "Man in the Box" do "Alice in Chains", coisa também que não tira o brilho da canção. "Queen Of The Damned" é a "Iron First", "Ace of Spades" desse belo petardo, pancadaria do início ao fim. "Aftershock" é um disco para comemorarmos essa vitória de Lemmy com sua saúde, esperamos que possa vir mais outro belo disco depois desse. Vale a pena sim ter esse petardo, pois como a lenda disse: "Compre-o, roube-o".

Membros:
Lemmy Kilmister (baixo, vocais)
Phil Campbell (guitarra)
Mikkey Dee (bateria)

Músicas:

01. Heartbreaker
02. Coup de Grace
03. Lost Woman Blues
04. End Of Time
05. Do You Believe?
06. Death Machine
07. Dust And Glass
08. Going To Mexico
09. Silence When You Speak To Me
10. Crying Shame
11. Queen Of The Damned
12. Knife
13. Keep Your Powder Dry
14. Paralyzed

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Aftershock - Motorhead

3422 acessosMotorhead: O álbum de 2013 da maior banda de Rock do mundo4140 acessosMotorhead: Um soco na cara de quem não acreditava mais em Lemmy

Phil AnselmoPhil Anselmo
Lemmy sentia dor mas não queria deixar o palco

0 acessosBlend Guitar: em vídeo, Top 10 Heavy Metal Bands854 acessosStar Wars: cosplay funde Lemmy Kilmister a Stormtrooper1248 acessosMotorhead: album solo de Lemmy a ser lançado ainda este ano0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

Lemmy KilmisterLemmy Kilmister
Em 2007, ele estava ouvindo muito o Evanescence

Auto-elogioAuto-elogio
20 bandas que deram o seu nome a músicas

Regis TadeuRegis Tadeu
"Lemmy era tão poderoso que seu corpo não teve coragem de contrariá-lo"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Motorhead"

A Vida Pós-bilauA Vida Pós-bilau
Vocalista do Life of Agony abre o jogo

BucketheadBuckethead
Uma rara imagem do guitarrista sem a máscara

Iron MaidenIron Maiden
Jurando nunca seguir passos do Metallica em festival

5000 acessosHistóricas: Fotos de encontros inusitados entre rockstars5000 acessosSeparados no nascimento: Klaus Meine e Kiko do Chaves5000 acessosMulheres no Rock: resistência em um meio machista2433 acessosPantera: bebê de sete meses agitando com "Cowboys From Hell"2963 acessosRock x Política: quem disse que não sai coisa boa dessa mistura?5000 acessosLamb of God: a simplicidade dos caras do Metallica

Sobre Leandro Fernandes

Conheci o rock em 1992, tendo o primeiro disco do Iron Maiden. Com o passar dos anos me apeguei ao rock progressivo e tenho bandas como Pink Floyd, Jethro Tull, Rush e Uriah Heep sendo as favoritas. Profissional da área de T.I, casado e uma filha. Sempre buscando conhecimento no rock/metal em geral.

Mais matérias de Leandro Fernandes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online