Motorhead: O álbum de 2013 da maior banda de Rock do mundo

Resenha - Aftershock - Motorhead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Mário VBM
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Lançado no segundo semestre de 2013, em meio a noticias de complicações de saúde do baixista e vocalista Lemmy Kilmister. E por causa disso muitos duvidavam do poderio desse novo disco, se o sr. Kilmister iria sucumbir ao anos de diversão. Não. Realmente, foi mais do que provado que nada pode parar Lemmy além da morte.

11 acessosEm 12/02/1956: Nasce Brian Robertson (Motorhead, Thin Lizzy)5000 acessosGuns N' Roses x Nirvana: o que ocorreu em 1992?

Junto com Philip Campbell e Mikkey Dee, Lemmy gravou um dos maiores trabalhos da banda, superando em muito a qualidade e a pegada do ultimo trabalho de estúdio do trio. Seria possível colocar Aftershock entre os grandes discos da história da banda, mas o tempo nos dirá.

Ao colocar o cd no player, mesmo que não houvesse nenhum tipo de identificação de que banda se está colocando pra tocar, bastaria ser um pouco conhecedor pra saber, logo nos primeiros acordes, qual banda está tocando: MOTORHEAD! É assim que começa Heartbreaker, sem frescuras, o rock n`roll cheio de pegada e peso. Feijão com arroz servido pelo MOTORHEAD. Coup De Grace continua na mesma pegada, e o desejo de estar numa moto acelerando a toda com sua gata na garupa continua.

Lost Woman Blues quebra o ritmo pra entrar numa daquelas “baladas” extremamente bem feitas. Mas como falar em “balada” e MOTORHEAD? Um Blues! E um blues da melhor qualidade possível, que mostra que Lemmy junto com o MOTORHEAD sempre serão uma banda de Rock n´ Roll acima de tudo. Belíssima música.

End of Time e Do You Believe, retomam a violência sonora. O som sangra, a formula é simples: Guitarra, Baixo, Bateria e o poderoso vocal. Seguidas de Death Machine, que somente afirma a genialidade desse disco, uma música poderosa, um peso arrastado. Dust and Glass, mais um blues bem suingado; Lemmy mostra mais uma vez que não sabe cantar só raivosamente; um blues que faz lembrar Eric Clapton (com uma guitarra de uma tonelada, lógico!) se estiver distraído.

O nome da próxima música remete a uma antiga música da banda (Going to Brazil) mas ao contrário dela, Going to Mexico, trata de um assunto mais sério. De como o pessoal dos EUA quando estão em apuros recorrem à região dos antigos Aztecas para se safarem. A nona música do disco é mais uma arrastada, pesada e empolgante, Silence When You Speak to Me. Que trata de verdades e mentiras.

O disco continua com Crying Shame, nessa música eles provam mais uma vez que só estão por ai para fazer rock n` roll e nada mais. Chega a remeter à banda Made in Brazil, aquele rockão cru e simples do começo de tudo, quando o blues começou a ser acelerado. Queen of the Damned continua a jornada: rápido, sujo e rasteiro. Isso é o MOTORHEAD.

Knife nos lembra: “your fate is death”. Seguida de Keep Your Powder Dry mais um rockão avassalador. O disco termina com Paralyzed, uma verdadeira chinelada na cara. Pesada, rápida e sem enrolação. Fica aquele gostinho de “já acabou”. Aperte o play novamente.

Junto com a arte sonora, a arte do encarte o Snaggletooth vem numa versão guerra no deserto, tão mal encarado quanto sempre. Todas as letras, com desenhos bem simples no fundo das letras e apenas uma foto do trio. Simplicidade total.

E assim é mais um álbum do grandiosamente simples MOTORHEAD. Fácil um dos melhores discos dos últimos tempos. Uma banda incansável, batalhadora e sempre comprometida com o Rock.

Track - list (versão nacional):
01 - Heartbreaker
02 - Coup De Grace
03 - Lost Woman Blues
04 - End of time
05 - Do you Believe
06 - Death Machine
07 - Dust and glass
08 - Going to Mexico
09 - Silence when You speak to me
10 - Crying shame
11 - Queen of the Damned
12 - Knife
13 - Keep Your powder dry
14 - Paralyzed

Integrantes:
Philip Campbell - Guitarra
Mikkey Dee - Bateria
Lemmy Kilmister - Baixo e voz

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Aftershock - Motorhead

4213 acessosMotorhead: Um soco na cara de quem não acreditava mais em Lemmy3772 acessosMotorhead: um disco para comemorarmos a vitória de Lemmy


Judas PriestJudas Priest
Lemmy significou muito para Rob Halford

11 acessosEm 12/02/1956: Nasce Brian Robertson (Motorhead, Thin Lizzy)268 acessosPhil Campbell: Lyric-video da nova faixa "Ringleader"756 acessosMotorhead: edição especial de 40 anos do primeiro disco2018 acessosFuturo Headbanger: Pai homenageia Lemmy e Mustaine em nome do Filho33 acessosEm 16/05/2000: Motorhead lança o álbum We Are Motörhead0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

MotorheadMotorhead
Lemmy fala sobre Hendrix, velhice, nazismo e viagra

Heavy MetalHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns da década de 70

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1982

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Motorhead"


Guns x NirvanaGuns x Nirvana
Desentendimentos e um ferido em show de 1992

HeadbangersHeadbangers
O preconceito mostrado em vídeo bem-humorado

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Bruce Dickinson e Leopoldo Pacheco

5000 acessosRolling Stones: as 10 melhores segundo a... Rolling Stone5000 acessosResenha - Sgt. Peppers - Beatles5000 acessosScorpions: As 20 melhores canções com temática romântica5000 acessosHeart: a suruba que não rolou com Alex e Eddie Van Halen5000 acessosGuitarra: Os reis da palhetada alternada5000 acessosZakk Wylde: comparando Synyster Gates do A7X com Randy Rhoads

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Mário VBM

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online