Matérias Mais Lidas


Powerwolf: disseminando a licantropia mundo afora

Resenha - Preachers of the Night - Powerwolf

Por Aloysio França
Postado em 14 de outubro de 2013

Nota: 9 starstarstarstarstarstarstarstarstar

A Alemanha sempre nos presenteou com excelentes bandas de Heavy Metal e devido aos fatos, isso não deverá mudar tão cedo. Um desses fatos tem nome. Chama-se POWERWOLF.

O POWERWOLF está chegando ao seu quinto álbum de estúdio em oito anos de carreira, e vem se tornando uma banda de destaque a cada novo passo. Após o sucesso de "Blood of the Saints" lançado em 2011, com a grande conquista do almejado título ‘Álbum de Power Metal do Ano’ concedido pela revista Metal Hammer alemã, a banda traz agora o poderoso "Preachers of the Night", que os consolida como uma das maiores bandas do gênero na atualidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

O vocalista romeno Attila Dorn traz histórias do rico folclore de seu país de origem para as letras, de modo que lobisomens e vampiros são seu tema favorito e estão presentes em quase todas as músicas. Tudo isso somado a um forte lado teatral, com corpse paint e roupas góticas, resumem a fórmula que torna o POWERWOLF uma banda diferenciada. São realmente os lupinos do Power Metal.

Apesar de todos esses mitos sombrios, "Preachers of the Night" é um álbum divertido de se ouvir e quando não está cativando com suas passagens épicas, empolga com bom humor. A faixa de abertura "Amen and Attack" logo de cara inicia com a força da marcante voz de ópera clássica do vocalista Attila, e com velocidade, exala poder do começo ao fim. Decorar as letras soturnas tornam a experiência ainda mais interessante, pois dá a oportunidade de aflorar a imaginação com os contos folclóricos e as aventuras de padres tentando combater as criaturas malignas das florestas romenas. Músicas como "Nochnoi Dozor" e "Sacred & Wild" deixam a velocidade de lado e em troca trazem refrões fortes que cairão muito bem ao vivo. "Kreuzfeuer" vem em ritmo marcial e com um coro arrebatador. A melhor do disco tem a letra mais subversiva; "Coleus Sanctus" – traduzido do latim, "Saco (escrotal) Santo" – em meio a uma história bizarra sobre combater o mal com uma ereção abençoada, tem a melhor melodia de toda a sequência. De fato é uma música ‘testosterônica’. Faixa após faixa o álbum joga refrões épicos e passagens dramáticas na sua cara.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Quando ouvi POWERWOLF pela primeira vez, não dei o valor adequado à banda. Eu os considerei um pouco farofa, ou algo do tipo. Porém, minha curiosidade pelo seu estilo e sua temática me fez insistir em ouvi-los. Gosto de fuçar em bandas conceituais, e logo fui pesquisar sobre contos populares da Romênia e da Transilvânia, e percebi que é tudo de fato muito fascinante. Acredito que esta tenha sido a porta de entrada para despertar meu interesse pela banda. Atualmente, fica melhor a cada ouvida, e por isso faço questão de usar o que tenho em mãos para ajudar a divulgar. A banda está trazendo algo de novo para o Metal e por consequência, está ganhando força no cenário. Que continuem crescendo e espalhando sua licantropia maligna para o mundo!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

"Preachers of the Night" foi lançado em 19 de julho de 2013 via Napalm Records.

Tracklist:
1. Amen & Attack
2. Secrets Of The Sacristy
3. Coleus Sanctus
4. Sacred & Wild
5. Kreuzfeuer
6. Cardinal Sin
7. In The Name Of God (Deus Vult)
8. Nochnoi Dozor
9. Lust For Blood
10. Extatum Et Oratum
11. Last Of The Living Dead

Fonte: MEGALOMANIA
http://megalomania-metal.com.br/powerwolf-disseminando-a-licantropia-no-mundo/

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps




publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Aloysio França

Nascido em 1980, ex-guitarrista e vocalista de Thrash Metal, atual artista gráfico e podcaster no site Megalomania-Metal. É também um leitor orgulhoso de Tolkien e Cornwell. Não discrimina gêneros, mas sim música boa de música ruim.
Mais matérias de Aloysio França.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS