Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu e os cinco grandes vocalistas que o mundo do Rock não dá valor

imagemA música do Metallica que James não queria apresentar aos outros integrantes

imagemFãs detonam produção do Knotfest após anúncio do Pantera

imagemDez músicas de outros estilos que ganharam ótimas versões rock/metal - Parte I

imagemO carinhoso jeito de Axl Rose se desculpar com sua equipe pelo seu jeito imprevisível

imagemA melhor música de heavy metal lançada a cada ano desde 1970, em lista do Loudwire

imagemJô Soares comprou uma obra de arte do Rock por causa do Regis Tadeu

imagemAngra e Shaman, Edu Falaschi fala sobre a treta que havia entre as bandas

imagemAmy Lee surpreende ao escolher os melhores cantores (e cantoras) de todos os tempos

imagemFrank Zappa surpreende ao eleger seus dez álbuns favoritos

imagemFilme que conta a história de Dio será exibido nos cinemas em setembro

imagemBruno Sutter explica semelhança problemática entre Ayrton Senna e Fausto Fanti

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemDiretora de escola censurada por pais por foto com camisa do Iron Maiden se arrepende

imagemLed Zeppelin: O motivo pelo qual Jimmy Page não gosta de "All My Love"


2022/07/09
2022/08/18

Destruction: mais típico representante do Thrash Alemão

Resenha - Spiritual Genocide - Destruction

Por Leonardo M. Brauna
Em 30/11/12

Nota: 9

"Spiritual Genocide" que marca o trigésimo aniversário da banda DESTRUCTION vem com uma grande "surpresa" que são as participações especialíssimas de ANDREAS "GERRE" GEREMIA (TANKARD) E THOMAS "ANGELGRIPPER" SUCH (SODOM) na faixa "Legacy of the Past" e os antigos integrantes HARRY WILKENS E OLIVER KISER na faixa "Carnivore" contida no lançamento digipack como bônus, e ainda um cover para "Princes of the Night" (SAXON). O lançamento dessa obra foi no dia 23 de novembro desse ano, e você pode conferir agora nos meus comentários.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O CD abre com uma breve introdução de um minuto chamada "Exordium", é uma passagem tranquila que logo dá lugar à velocidade consistente de "Cyanide". Ela mostra que os "caras" do Thrash Metal ainda são grandes incendiários.

A faixa título "Spiritual Genocide" vem logo depois confirmando o estilo de riffs cortantes que a banda utiliza em sua música. O solo também passa a ser um grande momento na faixa. Ponto para MIKE.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Renegades" foi a primeira canção que me fez "levantar a sobrancelha", pois ela mostra grande criação nos riffs explorando mais as qualidades desse grande guitarrista.

A quinta faixa "City of Doom" é outra que chama atenção para a evolução criativa de MIKE que a essa altura já se torna um referencial no álbum. SCHMIER quebra um pouco dessa atenção arriscando um pequeno solo no baixo. Brilhante performance da banda!

"No signs of Repentrance" faz o CD retornar à pegada Speed das primeiras faixas, e o batera VAAVER que estreou no disco anterior mostra porque ainda está no grupo.

Em "To Dust You Will Decay" a banda dá uma trégua à coluna cervical do ouvinte e emprega menos velocidade, porém há momentos de empolgação principalmente nos backings vocais poderosos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A vez dos primeiros convidados aparece em seguida, "Legacy of the Past" é um dos grandes momentos dessa "festa". Bases pesadíssimas, vocais fervorosos e backings monstruosos enriquecem essa faixa com muita brutalidade.

A nona, "Carnivore" é daquelas que faz qualquer um correr até a frente do palco e se esmagar ao som de um riff arrastado e contagiante. A faixa nitidamente revela as influências de HELLHAMMER (ou seria CELTIC FROST?) em alguns momentos. Para mim é a melhor do álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Riot Squad" é uma pedrada sonora sem precedentes onde o competente baterista mais uma vez se supera atacando o seu instrumento de forma triunfante, principalmente nas passagens de bumbo.

Chegando ao final do álbum o DESTRUCTION "manda ver" em "Under Violent Sledge" para encerrar com grande estilo do mais puro e violento Thrash Metal. O refrão exprime todo o poder da banda acompanhado de uma pancadaria constante.

Passando para os bônus, o primeiro vem representado no cover de "Princes of the Night". A música ficou animalesca na versão dos alemães me fazendo respirar melhor, pois devo dizer, e o bom entendedor há de concordar, que releituras de clássicos não ficam bem com "qualquer" banda, mesmo quando algumas já consagradas o fazem. Mas o DESTRUCTION manteve o respeito preservando os riffs e adicionando, claro, a sua agressividade. Ficou genial!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para o meu prazer e tenho certeza que também de milhares, a última faixa bônus é outra versão de "Carnivore" que traz os seus parceiros dos tempos de "Mad Butcher" HARRY WILKENS e OLIVER KAISER.

Em linhas gerais "Spiritual Genocide" é mais um típico representante dos Thrash Metal alemão praticado por um de seus maiores expoentes. Os fãs mais uma vez se contentarão com a preservação dessa fórmula e com certeza lotarão os eventos por onde banda passar. Em tempos de "Nu Metal", "New Metal", "Groove Metal", "Salada Metal", eis que os gigantes do verdadeiro METAL mais uma vez confirmam o seu domínio. Feliz aniversário!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track List:

01. Exordium (1:02)
02. Cyanide (3:23)
03. Spiritual Genocide (3:40)
04. Renegades (4:01)
05. City Of Doom (4:01)
06. No Signs Of Repentance (3:24)
07. To Dust You Will Decay (4:21)
08. Legacy Of The Past (Guest Version) (4:50)
09. Carnivore (4:28)
10. Riot Squad (4:13)
11. Under Violent Sledge (4:09)
12. Princess Of The Night (Bonus Track) (3:51)
13. Carnivore (Guest Version) (Bonus Track) (4:29)

Lançamento:
Nuclear Blast.

Line Up:
MARCEL 'SCHMIER' SCHIRMER – vocal, baixo;
MIKE SIFRINGER – guitarra;
VAAVER (WAWRZYNIEC DRAMOWICZ) – bateria.


Outras resenhas de Spiritual Genocide - Destruction

Resenha - Spiritual Genocide - Destruction

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Dez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

Schmier, ícone do thrash metal, demonstra seu carinho pelo Kiss; "Maiores que a vida"

Túnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que os headbangers idolatram 1986

"Eu realmente não tenho fé na humanidade", diz Schmier, vocalista do Destruction

Thrash Metal: os 10 melhores discos do século 21, segundo o Loudwire

Guia: do heavy clássico ao metalcore, confira playlist com 20 horas de metal alemão

Alemanha: as dez maiores bandas de Metal do país

Power Metal: os dez álbuns essenciais do gênero

Andreas Kisser: "Eloy Casagrande talvez não seja humano"


Sobre Leonardo M. Brauna

Leonardo M. Brauna é cearense de Maracanaú e desde adolescente vive a cultura do Rock/Metal. Além do Whiplash, o redator escreve para a revista Roadie Crew e é assessor de imprensa da Roadie Metal. A sua dedicação se define na busca constante por boas novidades e tesouros ainda obscuros.

Mais matérias de Leonardo M. Brauna.