Scorpions: eles cumpriram a promessa.

Resenha - Unbreakable - Scorpions

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Noé de Souza
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Aproveitando que uma das maiores bandas de Rock de todos os tempos está encerrando suas atividades, resolvi escrever sobre o disco que marcou a volta do SCORPIONS ao estilo que sempre o consagrou: Hard Rock de qualidade.
1429 acessosLoudwire: em vídeo, os 10 maiores riffs de metal dos 80's5000 acessosHeavy Metal: os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos

Desde Crazy World (1990), e seu megahit Wind Of Change, os alemães de Hanover ficaram apagados, devido à moda Grunge, que varreu a cena pesada. Após Eye To Eye (1999), viram que seu veneno não surtia efeito. Foi então que tiveram a idéia de revisitar sua trajetória, ao gravarem, com o auxílio de uma orquestra, o Moment Of Glory (2000) e desplugarem suas guitarras com Acoustica (2002).

Assim como na música que escreveram, Don´t Make no Promisses, do álbum Animal Magnetism (1980), Rudolf Schenker (guitarra) e cia provaram que voltariam a gravar um disco tão pesado e inquebrável. E é com esse título que nomearam seu então novo trabalho. Unbreakable é folheado com o mais puro aço, tanto nas cordas da guitarra quanto nas cordas vocais de Klaus Meine.

New Generation abre o álbum com as guitarras afiadas e aquele marcante refrão de Klaus. Love ´Em Or Leave ´Em tem aquele riff que só o Rudolf sabe fazer, enquanto Dep And Dark começa sombria e com um refrão marcante. Borderline tem uma introdução mecânica, mas possui um refrão de cantar com os punhos levantados. Blood Too Hot nos leva ao túnel do tempo, com os riffs que remetem ao Blackout. Aliás, vale destacar o trabalho da dupla Schenker/Mathias Jabs.

Quando se falam em Scorpions, lembramos das baladas radiofôficas. E Maybe I Maybe You é uma delas, com uma bela melodia, sob a batuta de Koen van Baal. No final dela, a banda desce a lenha. Outros destaques ficam para Can you Feel It (refrão no início e com a voicebox de Mathias Jabs), This Time, Through My Eyes e Remember The Good Times.

Analisando o disco, seria uma mistura de tudo o que o Scorpions produziu com um toque de modernidade. Portanto, não esperem uma segunda de um Blackout (1982), Love At First Sting (1984), ou qualquer um da fase setentista, quando contavam com Uli Jon Roth. Pois os tempos são outros, a técnologia mudou os parâmetros de gravação. Mas, ainda sim, eles se superaram.

Formação:

Klaus Meine - vocal
Rudolf Schenker - guitarra/backing vocals
Mathias Jabs - guitarra
Pawel Maciwoda - baixo
James Kottak - Bateria/backing vocals

Tracklist:

1-New Generation
2-Love ´Em Or Leave ´Em
3-Deep And Dark
4-Borderline
5-Blood Too hot
6-Maybe I Maybe You
7-Someday Is Now
8-My City My Town
9-Through My Eyes
10-Can You Feel It
11-This Time
12-She Said
13-Remember The Good Times

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Unbreakable - Scorpions

1934 acessosResenha - Unbreakable - Scorpions1975 acessosResenha - Unbreakable - Scorpions2146 acessosResenha - Unbreakable - Scorpions

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MudançasMudanças
10 bandas que não soam mais como em seus primeiros discos

1429 acessosLoudwire: em vídeo, os 10 maiores riffs de metal dos 80's1766 acessosScorpions: como surgiu a ideia de fazer turnê com o Megadeth1510 acessosAccept: "Nós deixamos as baladas para o Scorpions" diz Wolf0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Scorpions"

ScorpionsScorpions
Visão do mundo em "Wind of Change"

Full RockFull Rock
10 músicas desgraçadas por bandas de forró

Hard RockHard Rock
Alguns dos clipes mais clichê do gênero

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Scorpions"

Heavy MetalHeavy Metal
Os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos

SlashSlash
"Não entendo a histeria sobre o Guns N' Roses"

Osama Bin LadenOsama Bin Laden
O que havia na sua coleção de cassetes?

5000 acessosSpike: os sete piores solos de guitarra5000 acessosMetallica: foto rara de formação original do grupo5000 acessosEm 20/08/2005: Iron Maiden é atacado com ovos no Ozzfest5000 acessosDerek Sherinian: comentários sobre Kiss e Yngwie Malmsteen5000 acessosEric Adams: "caça é um estilo de vida"5000 acessosAnthrax: gravadora não deixou que Corey Taylor fosse vocalista

Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don´t Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun. Sou Jornalista, blogueiro, facebookeiro, o que for. Quem quiser saber o que eu escrevo, acessem meu blog: www.esporropublico.zip.net.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online