DragonForce: Faixas longas e solos de Vadim fazem falta

Resenha - Power Within - DragonForce

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Victor de Andrade Lopes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Os fãs de DRAGONFORCE esperavam duas coisas com The Power Within, quinto trabalho de estúdio do grupo: Como se sairia o novo vocalista Marc Hudson, selecionado entre dezenas de outros que participaram de um campeonato via YouTube para escolher o substituto de ZP THEART, e se a banda ainda mantinha as suas marcas registradas: solos cheios de "fritação", sons de video-games, letras com conteúdo fantasioso e épico, riffs rápidos.
2676 acessosDragonforce: vocalista salva a pele ao saltar de carro a 48 km/h5000 acessosSlayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

As respostas para as duas indagações são positivas. MARC HUDSON mostrou-se uma excelente substituição. Deu nova cara à banda, o que é evidenciado pelo seu timbre um tanto mais grave que o de ZP (se bem que a primeira vez em que ele abre a boca no álbum, na intensa abertura "Holding On", é para dar um daqueles agudos de arrepiar). Quanto ao som da banda, continua essencialmente o mesmo: riffs acelerados, solos ágeis, batidas extremas. As novidades por aqui ficam por conta dos backing vocais de EMILY OVENDEN, vocalista da banda de power metal conterrânea PYTHIA. CLIVE NOLAN, mais uma vez, também deu sua contribuição como segunda voz.

Contudo, o álbum tem dois defeitos que impedem qualquer resenha de concedê-lo nota máxima: o primeiro é a atuação do tecladista VADIM PRUZHANOV, que traz em "Last Man Stands" o seu único solo "considerável" do álbum inteiro (sem contar "Seasons", em cujo solo ele acompanha as guitarras e mal é percebido em meio à melodia). No resto do álbum, limitou-se a dar alguma atmosfera às faixas, com mais destaque em algumas e menos em outras. Recentemente, ele afirmou na série de vídeos sobre o making of do álbum que ele procurou fazer um som mais orgânico e manter-se longe de arpeggiators e afins – o resultado pode decepcionar alguns.

Outro defeito é a ausência de faixas longas. Enquanto nos álbuns anteriores as músicas eram de no mínimo cinco ou seis minutos de duração, em The Power Within a média não ultrapassa os quatro ou cinco minutos. A única que foi bem mais longe que a média, "Wings of Liberty", chega aos 7:22 mas não se destaca entre as demais. Não que duração seja o fator determinante da qualidade do som da banda, mas para um grupo que vem fazendo isso há mais de dez anos, soa decepcionante ver um álbum cheio de faixas curtas.

Mesmo assim, The Power Within não deixa de ser um bom álbum. Destaque para a abertura "Holding On"; "Fallen World", a primeira faixa liberada e acertadamente divulgada como "a mais intensa e rápida faixa do RAGONFORCE até hoje" (embora outras mais antigas como "Fury of the Storm" não devam nada a ela); "Seasons", que veio com uma versão acústica como faixa bônus; e "Heart of the Storm", que além de ser muito boa ainda vem em uma versão com refrão diferente, dando a opção de escolha para o fã (se é que ele não gostará das duas).

MARC HUDSON fez uma estreia excelente e demonstrou ter muito potencial. O resto da banda, como nos álbuns anteriores, mostrou tudo aquilo que fez dela uma das maiores forças do power metal atual. Resta apenas esperar que o sexteto continue fritando muito em seus instrumentos e não deixem de investir em suas faixas longas nos próximos trabalhos.

"Holding On" - 4:56
"Fallen World" - 4:09
"Cry Thunder" - 5:17
"Give Me the Night" - 4:29
"Wings of Liberty" - 7:22
"Seasons" - 5:05
"Heart of the Storm" - 4:44
"Die by the Sword" - 4:39
"Last Man Stands" - 5:12
"Seasons (Acoustic Version)" - 4:26

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Fonte: Sinfonia de Ideias http://sinfoniadeideias.wordpress.com/2012/04/15/the-power-within-nao-decepciona-mas-faixas-longas-e-solos-de-vadim-fazem-falta/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Power Within - DragonForce

2556 acessosDragonforce: Ampliado os horizontes do que já existia

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 02 de maio de 2012

DragonforceDragonforce
Vocalista salva a pele ao saltar de carro a 48 km/h

475 acessosDragonForce: Ouça versão de "Through The Fire and Flames" em baixo990 acessosHerman Li: a técnica de guitarra que ninguém parece ensinar hoje389 acessosDragonForce: Reaching Into Infinity atinge paradas da Billboard0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dragon Force"

DragonforceDragonforce
Prodígio de 10 anos toca música em show de talentos

DragonforceDragonforce
E quando o público não sabe a letra?

DragonforceDragonforce
Kirk Hammet indica o guitarrista mais rápido que já ouviu

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dragon Force"

SlayerSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Cristina ScabbiaCristina Scabbia
Cantora fala sobre seus seios e Playboy

Fascínio pelo terrorFascínio pelo terror
Cinco bandas que dão medo

5000 acessosButcher Babies: Conheça o Porn Metal de ex-coelhinhas da Playboy5000 acessosLobão: show mais curto da história do Rock não pertence a ele5000 acessosOrtografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?5000 acessosKiss sobre Secos e Molhados: "há quem acredite em OVNIs"5000 acessosRodolfo Abrantes: "Raimundos como banda não me interessa"5000 acessosGuns N' Roses: assista os primórdios da banda em 1986

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 0077507/SP) formado pela PUC-SP e membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil. Paulistano e morador de Carapicuíba (Granja Viana), tem um blog de resenhas musicais e outros assuntos chamado Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cinema, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados. Além de ouvir, também toca piano e teclado, compondo algumas bobagens de vez em quando.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online