Richie Kotzen: Álbum que não visa o sucesso comercial

Resenha - 24 Hours - Richie Kotzen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Já velho conhecido do público brasileiro, Richie Kotzen é, além de um prodígio com sua guitarra, uma verdadeira máquina no momento de produzir canções. Em seu currículo há mais de duas dezenas de álbuns solos, além da participação em cerca de uns 50 registros com colegas do ramo como Poison, Mr Big, Greg Howe, Forty Deuce, etc, etc, etc. Um número muito expressivo, principalmente se considerarmos que este norte-americano possui pouco mais de 40 anos...

Lemmy Kilmister: "Esta coisa de Black Metal me faz rir!"Capas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O público que acompanha a discografia de Richie Kotzen sabe que, mesmo fortemente influenciado pelo blues, o espectro de sua música é tão vasto que nunca dá para saber o que o próximo álbum poderá oferecer. Neste sentido, toda essa autoconfiança é explorada em seu mais novo álbum, "24 Hours", dando liberdade ao feeling em um verdadeiro festival que flerta com o pop, blues, soul, muito funk e por aí vai.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E, neste repertório que cobre praticamente tudo o que foi oferecido por seus antigos registros, temos a abertura "24 Hours" toda orientada por guitarras e praticamente a única canção verdadeiramente rock'n'roll do disco. Mas e daí? Não dá para ignorar a força de "Love Is Blind", onde Kotzen mostra que é, sim, um excelente vocalista tocando uma guitarra slide maravilhosa e contando ainda com a voz de Jerry Cantrell (Alice In Chains); ou ainda a sutileza de "Twist Of Fate", com violões, guitarras e pianos mesclados com muita elegância.

Como não poderia deixar de ser, Kotzen escreveu, produziu, cantou, tocou quase todos os instrumentos e gravou "24 Hours" em seu próprio estúdio. Um dom natural que resultou em um disco que claramente não visa o típico sucesso comercial - mas se vier, está valendo! - e feito para um público abrangente que apenas faz questão de escutar boa música, daquelas compostas com o coração. Se você se encaixa neste perfil, fica a recomendação!

Contato: www.richiekotzen.com

Convidados:
August Kotzen - piano
Jerry Cantrell - voz em "Love Is Blind"
Bret Domrose - voz em "Love Is Blind"
Mike Bennett - percussão em "OMG (What's Your Name?)"

Richie Kotzen - 24 Hours
(2011 / Headroom Inc. - inportado)

01. 24 Hours
02. Help Me
03. OMG (What's Your Name?)
04. Get It On
05. Love Is Blind
06. Stop Me
07. Bad Situation
08. I Don't Know Why
09. Tell Me That It's Easy
10. Twist Of Fate




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Richie Kotzen"


Poison: Kotzen me fez um favor quando me corneou, diz RikkiPoison
Kotzen me fez um favor quando me corneou, diz Rikki

Adrian Smith: reunindo Trujillo, Taylor Hawkins e mais em jam para esposaAdrian Smith
Reunindo Trujillo, Taylor Hawkins e mais em jam para esposa


Lemmy Kilmister: Esta coisa de Black Metal me faz rir!Lemmy Kilmister
"Esta coisa de Black Metal me faz rir!"

Capas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhosCapas
10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhos


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adGoo336