Dope Stars Inc.: Rock com música eletrônica, cyberpunk

Resenha - Ultrawired - Dope Stars Inc.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcio Tadeu Tomazela Lima
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


"Surpreendente, empolgante". Esses foram os adjetivos que imediatamente se passaram por minha cabeça quando "Better not to joke" começou a rolar nos meus fones de ouvidos.
5000 acessosSilverchair: a história por trás da capa de Freak Show5000 acessosTeoria da Conspiração: Slipknot troca membros em shows ao vivo?

Por acaso entrei no TPB e encontrei lá um disco novo da banda italiana Dope Stars Inc.

Baixar gratuitamente? Sim!

O Ultrawired segue uma mistura de rock com música eletrônica, cyberpunk e diversos sintetizadores, com temáticas abordando filmes, videogames, pirataria e revolução.

Não é necessário falar que o DSI já vinha se espalhando no cenário 'industrial' (se é que industrial ainda existe) ou cyberpunk, gótico ou qualquer coisa assim (não aprecio rótulos).

Tendo sua fama com hits como "Make a Star", "Infection 13" e "Beatcrusher" (esta que foi parte da trilha sonora de Jogos Mortais 4) não é de se surpreender (mas surpreendeu!) que o quarto álbum fosse ainda melhor.

Saindo de Better not to joke, a seqüência se dá com "Save the Clock Tower", referente à trilogia 'De volta para o Futuro' que impulsiona com sintetizadores frenéticos muita energia, ainda mais daqueles que conheceram e vivenciaram essa aventura a 88MPH dos anos 80.

Com uma pitada de inconformismo chegamos a "Cracking the Power" que de uma forma dançante e alegre passa sua mensagem revolucionária.

"Banksters" é sem comentários, simplesmente por sua 'pegada' punk.

Então vem a famosa "Lies Irae", uma das melhores (se é possível eleger dentre todas a melhor), composta de uma forma inusitada: em conjunto com os fãs, no piratepad, um editor estilo 'Word' porém para todos juntos editarem online, todos os participantes contribuíram com as letras dessa enérgica e muito bem composta música que mistura Giuseppe Verdi com muitos sintetizadores e uma pegada rock.

"Blackout" se destaca pelas linhas de baixo e vocais agressivos de Victor Love, há quem diga que é uma das melhores do álbum.

Amantes de vídeo-games: "Get Young" é diretamente feita para vocês. Com sintetizadores marcantes e melodias vocais, Get Young clama a todos os gamers a juventude de estarem sempre se sentindo bem com seus jogos.

"No life belongs to you" já nos trás aquele feeling existencial, característica de grandes álbuns clássicos em suas músicas mais introspectas, assim como a seguinte "Two dimensional world".

"Run motherfucker run" com muita energia e pegada rock 'n' roll poderia agitar qualquer show com rodas de porradaria. Sem dúvidas.

Atenção piratas: "Pwning the Network" é um chamado para a busca de diversão nas redes e muita animação. Interessante comentar que Dope Stars Inc. interage com os fãs pela internet, pads, grupos de IRC, etc. Essa temática 'pirata' é bastante abordada pela banda, pois seguem a filosofia de produção independente e sustentável, na qual a pirataria através de lemas como "sharing is caring" é defendida. Não se defende fraudes ou roubos dentro desse ideal, mas o compartilhamento de cultura sem custos e a transparência política.

"We are the new ones" completa a movimentação revolucionária. Com uma pegada mais metal, não tem com não balançar a cabeça.

"Riding the UFO", assim como No life belongs to you, já tem uma pegada mais calma, porém muito marcante, com muitos efeitos sonoros e um misticismo quase extraterreste.

Finalizando com "Thru the never", que de alguma forma me remete a "Lucy forever" do King Diamond, não por sua melodia ou algo assim, mas por seu encerramento profundo, pela sensação deixada quando ouvimos o último "never" de Victor Love.

Assim construído o CLASSICO Ultrawired, além de ser inteiramente composto, gravado, editado e masterizado por Victor Love em um computador pessoal e nada mais, o álbum está sendo distribuído gratuitamente pela internet e o retorno disso é diretamente vindo dos fãs, assim compactuando com a nova tendência musical de não depender de grandes gravadoras e selos, dando liberdade para a produção musical sustentável.

Bastante interessante e muito bom de se ouvir.

Site Oficial: Dope Stars Inc.

Site dos Fãs Brasileiros: Dope Stars Inc. Brasil

Minha nota? 10 '+1', com absoluta certeza.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dope Stars Inc"


SilverchairSilverchair
A triste história por trás da capa do álbum Freak Show

Teoria da ConspiraçãoTeoria da Conspiração
Slipknot troca membros em shows ao vivo?

JapãoJapão
Conheça dez bandas japonesas de Metal

5000 acessosHeavy Metal: as 10 introduções mais matadoras do estilo5000 acessosAvenged Sevenfold: "The Rev" dizia que não passaria dos 305000 acessosIron Maiden: fatos estranhos na gravação de The Number Of The Beast5000 acessosMotorhead: Mikkey Dee conta sua pior experiência alcooólica5000 acessosThe Beatles: As 10 canções mais (injustamente) subestimadas5000 acessosDream Theater: riff de música foi usado pelos Mamonas Assassinas?

Sobre Marcio Tadeu Tomazela Lima

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online