Drunken Bastards: Para fãs da velha escola do metal

Resenha - Horn of the Wasted - Drunken Bastards

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


Após a boa estréia com "Posercrusher" (2007), os insanos húngaros do DRÜNKEN BASTARDS retornam com um novo lançamento, para delírio dos aficionados pelo bom e velho thrash metal "old school".

Emos: 23 músicas que já estiveram na sua playlist

Elvis Presley: De que ele morreu?

Para quem não conhece, o som da banda é uma mistura de thrash metal bem sujo e agressivo com Crossover, Hardcore e Punk, além de alguns toques de Death/Black Metal, e com um vocal totalmente insano, que parece que vomita as letras divertidíssimas compostas pela banda. Imaginem uma mistura de METALLICA (no início de carreira) com VENOM, MOTORHEAD e THE EXPLOITED. Para quem acompanha essa nova safra de bandas de thrash metal "old school" que vêm surgindo, é algo relativamente parecido com o que tem feito o MERCILESS DEATH, mas ainda mais sujo e agressivo.

E a evolução dos músicos é notória neste novo lançamento, demonstrando ainda mais todo o seu poder de fogo, e deve agradar os ouvintes mais exigentes.

Apesar da banda considerá-lo como um novo álbum, "Horn of the Wasted" (que sequer chega 20 minutos de duração) apresenta apenas duas canções novas, as excelentes e destruidoras "Toxic Patrol" e "Baptized in Speed and Blood", que remete o ouvinte direto de volta aos anos oitenta, com riffs geniais e passagens matadoras. As demais consistem em três regravações (alias, muito melhores que as originais) para "Posercrusher", "Drink With Satan" e "Alcoholic Big Tits" (que só pelo nome já é possível prever o quão hilária é a letra), além de dois covers muito legais para "Destroy the Factory" (do Eat My Fuck) e "Prophecy of the Evening Star" (do Barbatos). Todas as músicas são (muito) rápidas, sem maiores firulas ou inovações, e sem dar qualquer descanso para o ouvinte.

A gravação do álbum também é bem primitiva, mas sem comprometer a qualidade do material (apesar de o vocal estar um pouco baixo), ressaltando ainda mais o tom nostálgico criado pelo som da banda. Ademais, a arte gráfica também é bem tosca, com desenhos bizarros característicos do estilo. O encarte é bem pobre, sem as letras das músicas ou maiores informações, mas feito em um papel não usual, como se fosse uma cartolina mais dura, o que demonstra um diferencial do produto.

Se você procura modernidade, passe longe desse álbum. Também não irá revolucionar o metal, mas se você é fã da velha escola do metal, pode correr atrás do seu que é diversão mais do que garantida.

Horn of the Wasted – Drünken Bastards
(2010 – Hells Headbangers - Importado)

Track List:

1 - Nuclear Era - 0:57
2 - Toxic Patrol - 3:20
3 - Posercrusher - 2:10
4 - Destroy the Factory - 1:56
5 - Drink With Satan - 2:36
6 - Alcoholic Big Tits - 1:52
7 - Baptized in Speed and Blood - 3:37
8 - Prophecy of the Evening Star - 3:12




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Emos: 23 músicas que já estiveram na sua playlistEmos
23 músicas que já estiveram na sua playlist

Elvis Presley: De que ele morreu?Elvis Presley
De que ele morreu?


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin